2010 em um disco e uma música, por Marcelo Costa

Disco: Arcade Fire – The Suburbs

Vivemos uma época difícil para álbuns marcantes, aquele tipo de disco que do começo ao fim deixa você sem respirar. Geralmente nos apaixonamos por uma música aqui, bocejamos outras duas, esquecemos uma terceira e, quando percebemos, o disco chegou ao fim. Não é o caso deste terceiro disco do Arcade Fire. Eles conseguiram algo importante com “The Suburbs”: amolecerem o som sem perder a dignidade. “The Suburbs” é um daqueles discos com coisas a dizer, raro em tempos atuais. Meu disco do ano.

Música: Os Pontos Negros – Amor, É só Febre

Descoberta mais bacana do ano: descobrir esta banda portuguesa cujo nome é uma tiração com o White Stripes e o som namora o Strokes. Eles são de Queluz, arredores de Lisboa, e essa música é do segundo disco deles, “Pequeno Almoço Continental”, lançado pela major Universal portuguesa. É um rock apaixonado, uma declaração de amor adolescente, uma canção daquelas que grudam na cabeça da gente. É quase uma febre (amor). Hehe.

.

Marcelo Costa (@screamyell) é editor e fundador do site Scream & Yell e colabora com seus textos sobre cultura pop para várias publicações nacionais.

4 Comentários para "2010 em um disco e uma música, por Marcelo Costa"

  1. aliás, foi exatamente o q aconteceu cmg quando ouvi esse cd: gostei das duas primeiras, bocejei a partir da terceira, na nona eu tive certeza que tava ouvindo a mesma música há meia hora…

  2. Cacilda, Pontos Negros é bom demais! Muito pra música do ano, e “Sub-Zero” é a melhor deles disparada, mas achei bacana a referência. Quanto ao The Subusrbs, só foi melhor do ano por falta de concorrentes, 2010 foi complicado demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *