2010 em um disco e uma música, por Pablo Miyazawa

Disco: Arcade Fire – The Suburbs

Não houve outro disco como The Suburbs do Arcade Fire em 2010 – e talvez em muitos anos. Uma combinação certeira de canções épicas, urgência instrumental, ganchos memoráveis e esperança – esperança sim, de que o rock grandioso de arena ainda é uma possibilidade real, sem precisarmos colocar responsabilidades apenas nos velhos medalhões. “We Used to Wait”, “Modern Man”, “The Suburbs”, “Month of May”, “Empty Room” e a já clássica “Ready to Start” são capítulos de uma mesma história que não iremos nos cansar de ouvir tão cedo.

Música: Arcade Fire – Ready to Start

.

Pablo Miyazawa (@pablomiyazawa) é editor-chefe da revista Rolling Stone.

  • Absolutamente certo!

  • Embaixo assinado, com sangue.

  • Curioso. Vou baixar.

  • Não concordo em ser o melhor álbum, mas também vejo em The Suburbs a esperança para o mainstream. E Richard, baixe logo!

  • jr

    Existe um grande problema quando se espera muito por um álbum novo de uma banda que se gosta, há uma pré-disposição perigosa em gostar antes de ouvir. No entanto, é algo que funciona pra ambos os lados, o contrário também sendo verdadeiro.

    Arcade Fire, pra mim, é só mais uma das bandas que constituem o status quo da música em 2010. Nunca achei nada espetacular. Por outro lado, também não nutro nenhum tipo de antipatia. Com isso em mente, depois de ler a opinião do Pablo, pessoa que respeito, me dei ao trabalho de ouvir ao The Suburbs, torcendo ser surpreendido.

    Após ouvir algumas vezes, não vi absolutamente nada extraordinário. Não que seja ruim, apenas não é, de forma alguma, a tal esperança para o rock da qual tanto se fala ao longo dos anos. É mais do mesmo: rock não confrontacional perfeitamente representativo do momento que se vive, prontinho para rádios e mtv. Não justifica o barulho que se fez desde agosto, repercurtindo por todos os cantos da internet.

    The Suburbs é rock mainstream com certa qualidade. Nada que traga lágrimas aos olhos, nada que tenha colocado 2010 na história. Entendo que, quando se é bombardeado diariamente com procarias (caso dos críticos de música e cultura em geral), aconteça de se supervalorizar algo que não seja tão aviltante… The Suburbs, embora passe longe de ser aviltante, é só um disco ok… 2011 trará outos melhores… assim como 2009 já os trouxe. O rock permaneceu o mesmo.

  • Me identifiquei bastante tanto com a escolha do disco a também da múscia

  • Pingback: o jeito web do jornalismo « Valores-Notícia()