5 perguntas para… Geanine Marques (G T’AIME)

Geanine e Rodrigo na foto que resultou na capa deste excelente e elegante disco do G T’aime. Foto: Claudia Guimarães/Divulgação

Geanine Marques ficou muito conhecida no país por ter se transformado na musa do estilista Alexandre Herchovitch, mas o que pode ser que muita gente não saiba, é que ela sempre esteve ligada ao mundo da música, além do da moda. Junto com o seu companheiro de sete anos, Rodrigo Belotto, a artista acaba de lançar o finíssimo projeto G T’aime, que mistura folk com MPB, um jeito de cantar meio “chanson française” e um ar muito romântico e sensual, o que é simplesmente a cara dela.

Juntos, os dois assinam oito das dez músicas oficiais (uma não creditada) do álbum lançado pela gravadora Joia Moderna, que tem como batuta o DJ Zé Pedro. s músicas foram gravadas no Estúdio El Rocha, um dos mais respeitados de São Paulo e contou com a produção de Maurício Takara, que soube captar muito bem a atmofesra por vezes efêmera do duo. Fecham o grupo Danilo Costabille (guitarra) e Ricardo Athayde (bateria).

Conversamos com a artista por e-mail sobre este novo passo na música, já que a curtitibana radicada em São Paulo, deixou para atrás o Les Stop Betty! e ainda tem o grupo Stop Play Moon (banda dedica mais ao eletrônico e que fez um belo buchicho quando foi lançado em 2013).

Move That Jukebox: Geanine, tocar com o parceiro não é para qualquer um. E você escolheu fazer isso. Como foi que nasceu essa vontade de fazer música com o companheiro?

Geanine Marques: Foi bem natural. Realmente foi mais uma vontade de aproveitar e de trabalhar em cima de algumas melodias que ele fez sair do meu violãozinho velho. E esse exercício foi se repetindo ao longo do relacionamento. Coisas novas continuaram nascendo e não tinhamos qualquer pretensão.

Move That Jukebox: E como fica o Stop Play Moon? A banda está meio parada, né?
Geanine Marques: O Stop está no pause” Risos! Mas quem sabe, logo menos!

Move That Jukebox: Engraçado, vocês escolheram também o nome em francês, que já dá um ar romântico talvez um pouco sexual, então, conta como chegaram nisso, já que as canções são todas em inglês. Não encaixou.
Geanine Marques: Para alguns amigos íntimos eu costumava assinar G T’aime, e um dia um deles me sugeriu usar esse nome se eu tivesse um novo projeto. Achei que cairia bem. Beyond fronteiras sobre as línguas. [Risos].

Move That Jukebox: Voltando a sua outra banda, vocês aqui escolherem fazer algo mais voltado para o folk, com as canções mesmo em primeiro lugar. Lá as coisas mais eletrônicas. Como foi que chegamos nesta sonoridade? Quais foram suas inspirações para as canções?

Geanine Marques: As cancões falam geralmente de amor e das (des)ilusões de um coração apaixonado. A sonoridade do G T’AIME não foi exatamente uma escolha. Era a matéria prima que tínhamos, sem sentir a necessidade de modificá-la, mas sim de acrescentar elementos. Foi o que aconteceu quando nos juntamos ao Ricardo Athayde, amigo e batera, que trouxe o guitarrista Danilo Costabile. Aí fechou, mas com aquele clima ainda de quatro paredes. O Stop é outra história.

Move That Jukebox: Geanine e você é uma pessoa da moda, musa e amiga do Alexandre Herchcovitch, já desfilou n vezes e sempre teve uma preocupação com a sua imagem. Então, pode aproveitar para contar um pouco também sobre como vocês chegaram a estética do preto e branco, o clipe meio noir? E qual a importância que você acha de o artista se preocupar com o que veste?

Geanine Marques: Eu tive vontade de fazer uma foto realmente simples que a princípio seria para o encarte interno do álbum. A Claudia (Guimarães) partilhou da ideia do PB e nos emprestou seu talento. Quando O Zé (Pedro, Jóia Moderna) viu o resultado, disse que queria esta capa, e que o formato seria 20×20 cm. Topamos na hora. No clipe, na primeira conversa com o Murilo Alvesso, que dirigiu, as refêrencias eram bem próximas e ficamos super satisfeitos. Desaturados e com um certo clima no ar!

Geanine Marques também topou fazer uma playlist especial para o Move That Jukebox e vocês consegue ouvir abaixo as músicas de alto nível, que ela escolheu para você ouvir equanto lê a matéria, sim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *