5 perguntas para… Odair José

Odair José durante show no Sesc Pompeia. Foto: ©Rama de Oliveira

Odair José lança nesta sexta (3), o seu 35º álbum (!!!), no Cine Joia. O álbum Gatos & Ratos é cheio de críticas à sociedade e a comunidade política, que não enxergam ou fingem não enxergá-la. A analogia da música e da capa trata justamente desses dois inimigos que convivem muito bem juntos. Novamente, Odair aparece roqueiro, como em seu disco anterior Dia 16 (2015), que foi lançado no Sesc Pompeia em how que mesclou grandes sucessos da carreira como “Eu vou tirar você desse lugar”, ‘Uma vida só (Pare de tomar a pílula)” e “Cadê você”, todas em estilo romântico-brega que o deixou conhecido. O show no Joia deve seguir o mesmo modelo com músicas novas e antigas. Para saber tudo sobre o show, entre no Azoofa! A apresentação tem abertura de Pélico, que vai mostrar seu disco Euforia, um dos melhores álbum de 2015 e que comentou a discografia do cantor para Move That Jukebox.

Conversamos com esse grande artista brasileiro por e-mail e ele foi contundente: o artista precisa se posicionar! Confere aí:

Move That Jukebox: Odair são 34 discos lançados! Uma longa carreira. Como ainda estar trabalhando e criando coisas novas? Ainda há o que falar depois de tanto tempo de música? Além disso, lançou há pouco tempo o Dia 16 (2015), parece que você está com a cabeça fervilhando de ideias para músicas.
Odair José: Olha sou um observador e a cena tá sempre em movimento e minha cabeça também… Além do mais, compor, tocar e registrar minhas ideias é a minha principal ocupação e fico sempre na esperança de estar dessa forma sendo útil como ser humano… E já estou pensando um próximo para 2018, se eu ainda estiver por aqui é claro.

Move That Jukebox: Desde o último álbum, Dia 16 (2015), você também abraçou o rock’n’roll. Como se deu essa aproximação? E você acha que isso ajudou a renovar seu som?
Odair José: Sempre gostei de rock e pra mim não tem um conceito melhor pra transmitir o meu recado… E essa coisa de guitarras me acompanha desde minha adolescência, agora tô tentando através desse estilo trazer algo novo para o meu trabalho e não ficar repetindo fórmulas. Fazer essa pegada alternativa é bem mais divertido. Gosto de correr riscos!

Move That Jukebox: Perguntei acima sobre a renovação do seu som, mas o seu público também ficou mais jovem. Você também teve uma homenagem de artistas do independente em 2006, agora está tocando no Cine Joia. Imaginava isso nessa virada na sua carreira?
Odair José: Eu sempre gostei de tocar pra pessoas de um olhar sem preconceitos. E é claro que o jovem tem esse pensamento mais sem fronteiras, mas existe muita gente que mesmo com a idade mais avançada é moderna e aquela produção de músicos de uma geração mais recente sobre a minha obra foi muito legal. [Escute acima]

Move That Jukebox: Em Gatos e Ratos você está criticando a sociedade e a política. Neste momento difícil em que estamos vivendo, queria te perguntar se você acha importante um artista se posicionar.
Odair José: Estamos vivendo um momento muito negativo e conturbado no mundo e o artista, não importa o segmento da sua arte, tem a obrigação de se expressar sobre o que acontece no seu tempo, acho que é quase como um dever e aquele que fica na sua zona de conforto como se essa situação não tivesse nada a ver com ele “Não faz arte e sim negócios”, e nesse caso eu os coloco nessa parte hipócrita da sociedade.

Move That Jukebox: Odair numa entrevista recente você disse que tinha duas coisas que você imaginava que não ia ver “o avanço da tecnologia e o retrocesso da sociedade”. Por que você acha que estamos vivendo este processo?
Odair José: É verdade, eu meio que sabia que a tecnologia chegaria longe, mas não tão rápido e que eu ainda pudesse conviver um pouco com esse avanço… Por outro lado eu acreditava que a raça humana também fosse evoluir gradativamente pra melhor, e que as pessoas ficassem mais leves., mas não é o que está acontecendo, tá uma insanidade total! Minha esperança em todos sentidos está nos jovens, aposto nessa juventude pra grande mudança!

Leia também