5 perguntas para… Patrícia Palumbo (Rádio Vozes)

RV-patricia-palumbo01

Patrícia Palumbo é conhecida jornalista por trabalhar com música brasileira. O programa “Vozes do Brasil” sempre foi cobiçado entre dez e dez artistas que se dedicam ao rtimo, queriam e querem participar dele. E jornalista agora vem com uma grande novidade, a Rádio Vozes, que está no ar 24 horas por dia, na internet! E o que ninguém esperava ser diferente, 70% da programação será nacional.

Na programação estão alguns programas, como: “O mundo estranho de Paulo Miklos”; “A discoteca do Zé Pedro”; “Bike é Legal com Renata Falzoni”; “Urbânica com Anelis Assumpção”; e “Vozes do Brasil”, de Patricia Palumbo, “Faixa Infantil”, “Meio Amargo com Helena Mattar” e “Tabuleiro”.

Batemos um papo via e-mail com Patrícia para ela contar um pouco sobre a iniciativa e mais, dar dicas sobre bandas que ela acha, vale a pena você escutar.

Move That Jukebox: Porque fazer uma rádio na internet? Quanto tempo demorou para a ideia ser colocada no papel e finalmente vir ao ar? E como vocês vão sustentar a rádio sem intervalos comerciais?

Patrícia Palumbo: A internet é, pra mim, o rádio de ondas curtas de antigamente. Podemos chegar no mundo todo com essa tecnologia. E como estamos todos conectados o tempo todo, nada mais contemporâneo do que oferecer conteúdo digital. O desejo de ter uma rádio deve passar pela cabeça de todo mundo que já trabalhou no meio. Mas, a ideia da Rádio Vozes surgiu no meio do ano passado e comecei a reunir um grupo de amigos, que amam rádio, amam música, arte, poesia, literatura, e começamos a pensar na rádio que a gente sempre quis fazer. Foram meses de conversas, reuniões deliciosas em torno do tema e muito investimento na tecnologia e na concepção dessa grade. Nosso plano comercial é criar um novo modelo de negócio entre os anunciantes, patrocinadores, apoiadores com a Rádio. Os breaks são de conteúdo patrocinado. Menções de oferecimento, conteúdos e eventos criados em parceria e customizados pra atender um novo mercado.

Move That Jukebox: Patrícia, 70% da programação será brasileira, como você é conhecida pelo seu vasto conhecimento na área, queria te perguntar o seguinte, como está a música brasileira?

Patrícia Palumbo: Está maravilhosa! Num momento de muita criatividade! O que mais me deixa feliz é ver que a diversidade já é o comum. Não é mais aquela novidade tropicalista, mas é a amálgama perfeita entre os gêneros e estilos – e isso traduz a nossa cultura. A Rádio Vozes tem essa diversidade como matéria prima e o resultado no ar é delicioso!

Move That Jukebox: E você acha que existe agora um fluxo? Uma tendência entre os artistas?

Patrícia Palumbo: Acho que a tendência é ser original. Como enfraqueceu o esquema das grandes gravadores ditando o que tocar, e o artista pode produzir seu próprio som, não vemos mais aquela repetição de estilos, as mesmas vozes, os mesmos gêneros. Claro, falando de uma cena que não aparece na grande mídia, mas dessa que eu frequento e ouço.

Move That Jukebox: Pode inumerar alguns artistas que você acha, ainda não despontaram, mas estão prestes a?

Patrícia Palumbo: Todo dia aparece gente nova e boa. Mas posso chamar a atenção para MãeAna, Ian Ramil, Liniker, Arthur Nogueira que vai lançar um disco em homenagem a Antonio Cícero que está um escândalo de bonito.

Move That Jukebox: O que move a sua jukebox? 

Patrícia Palumbo: Ouço muita música brasileira, claro, mas amo os solos de piano de Nelson Freire e Martha Argerich, me descansam. Esses dias tem sido o disco novo do Emicida que está muito gostoso, Ava Rocha sempre, Dorival Caymmi e Tom Jobim, Ella Fitzgerald, Avishai Cohen e claro, tudo isso junto e misturado na Rádio Vozes !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *