5 perguntas para… Rincon Sapiência

Rincon Sapiência. Foto: Divulgação

Não é novidade de Galanga Livre, o primeiro disco do rapper Rincon Sapiência saiu este ano e já veio abalando geral e com certeza estará em todas as listas importantes de melhores do ano, pois é, isso não é mistério nenhum. Vocês que acompanham o Move, seja nas redes ou por aqui, jáa sabiam do que tava rolando, né? Pois bem, o artista vai participar de uma das noites que tem mais possibilidades para serem memoráveis em 2017, uma apresentação do Grandmaster Flash, que também terá Black Alien e The Gaslamp Killer no 3° M.A.C. Festival. O evento será nesta sexta (15), Nos Trilhos (Rua Visconde de Parnaíba 1253 – Mooca), a partir das 22h.

Se não caiu a sua ficaha de quem é Grandmaster Flash, vamos te dar uma dica simples, “The Get Down”, aquela série do Netflix, sabe? E vamos te dar como deveer de casa assistir o vídeo abaixo e entender a importância desse ícone para o hip-hop!

Mas voltando ao Rincon, que apenas tem se mostrado um dos artistas mais interessantes dessa nova safra. Como já falamos por aqui, em outra oportunidade, ele canta sem medo sobre racismo, bota o dedo na ferida, mas faz isso não só com crítica, mas também com a alegria de exalta a cor negra. Daí, batemos um papo com ele via e-mail, rapidinho e sem dor. Dá uma olhada!

Ah, se não puder ir no show dessa sexta, fique tranquilo, dos dias 29 e 30 de setembro, o Rincon Sapiênia estará no palco do Sesc Pompeia.

Move That Jukebox: Como ta sendo a recepção do público ao Galanga livre?

Rincon Sapiência: Tem sido muito positiva, acredito que consegui abrir bons caminhos com meu álbum de estreia. Tem propostas novas no álbum, principalmente se tratando da parte musical, fico feliz em ver que receberam bem essas propostas.

Move That Jukebox: Você vai tocar no MAC Festival em São Paulo que no lineup também terá o lendário Grandmaster Flash, como é isso para você?

Rincon Sapiência: Mais um presente que a cultura hip hop me dá, sem dúvidas será muito grandioso estar perto de um dos pilares da cultura.

Move That Jukebox: Serão muitas gerações nesse festival, o que você tem ouvido atualmente, dos clássicos e de coisas novas?

Rincon Sapiência : O rap ouço mais como pesquisa, pra entender qual o papo que tá em pauta, timbres, levadas, mas não tenho escutado algum artista em específico. Mas to vendo tudo, vejo uma geração nova cheia de apetite, lançando coisas relevantes, faço uma mescla de pesquisas de coisas novas e clássicas.

Move That Jukebox:  O Rap e o Hip Hop estão em alta, qual a importância dessa mensagem estar chegando a mais pessoas nesse momento que o país vive?

Rincon Sapiência: É importante, se bem que a mensagem do rap é bem diversa, alguns mais politizados, outros nada politizados, porém, é importante a cena se expandir e a diversidade é um ponto positivo pra essa expansão.

Move That Jukebox:  Você tem estado muito ativo nos últimos tempos… nesses momentos de estrada você consegue tempo para criar?

Rincon Sapiência: Ultimamente tenho me adaptado pra isso, gosto de criar em casa, com tempo, mas esse momento tem sido cada vez mais raro. Tenho aproveitado essa ocasião pra fazer colaborações, gravar com outros produtores onde eu só precise compor e gravar, então mesmo nesse corre tem surgido coisas novas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *