A banda carioca Tipo Uísque conversou um pouco com a gente e liberou “Fight It”, o primeiro single, para download exclusivo

Vem lá das terras cariocas uma das boas promessas roqueiras de 2011. Talvez você já tenha até ouvido falar de uma banda cuja formação consiste em 4 garotas e 2 caras e cuja carreira já bate nos 2 anos de duração – e inclui apresentações nos principais palcos do Rio de Janeiro e até o 1° lugar de uma seletiva do festival MADA, de Natal. Tô falando da Tipo Uísque. Conhece?

O grupo, apadrinhado pelo selo Slap, braço da Som Livre que também conta com Little Joy e Marcelo Jeneci, tá tirando do forno seu primeiro EP, intitulado Afague, e que tem em sua tracklist 5 faixas com referências puxadas desde Gossip até suaves toques de Rilo Kiley, New Pornographers e rock clássico.

Na sequência, você pode ler uma mini-entrevista com a banda, na qual o pessoal conta um pouco mais sobre o lançamento, agenda, bandas cariocas e sobre os shows preferidos do ano que passou. Ah, no final do post, dê o play e escute o primeiro single da Tipo Uísque, chamado “Fight It”. Se curtir – e provavelmente irá -, é só baixá-lo.

Obviamente, o EP Afague é um grande passo para a banda no momento. Mas já há planos para um disco completo? Acha que ele deve sair ainda em 2011?

O Afague é o nosso primeiro trabalho. Curtinho, compacto, uma espécie de preliminar da Tipo Uísque. A foda mesmo está por vir, com certeza. Estamos trabalhando em estúdio, compondo, rearranjando e planejando uma pré-produção para um disco completo, é claro! Combinamos de não estimar datas, dá azar! Tentamos durante o ano passado inteiro lançar o Afague, divulgamos mais de 5 datas e nada. Melhor deixar quieto, criar um suspense (até para nós mesmos) e, quando tiver que rolar, rola. Por enquanto trabalhamos para divulgar o EP, fazer shows, e amadurecer.

Na cena “roqueira alternativa” do país, não vemos muitas bandas formadas praticamente só por mulheres. Vocês enxergam algum preconceito em relação a isso ou este fato gera alguma curiosidade e chega até a abrir mais portas?

Há um pouco dos dois. Essa história de preconceito com mulheres tocando é um belo clichê, mas existe. Com a Tipo Uísque, o que aconteceu foram comparações infames com outras bandas predominantemente de mulheres, mas não duraram muito. Acho que superamos esse estigma de “banda de mulher x banda de homem”, até em estilo de música. Isso é tão ultrapassado! Som é som, gênero é gênero. Para a Tipo Uísque, não deixa de ser um ponto positivo para divulgação terem 4 mulheres na banda, mas preferimos não focar nisso. Não é uma motivação, é uma conseqüência.

Como está a agenda da banda? Já estão com shows marcados? Alguma turnê planejada?

Nosso primeiro grande show do ano será em março – a festa de lançamento do nosso EP. Estamos terminando de fechar a data, mas será uma big party.
O que podemos adiantar é que será numa casa nova super bacana chamada Espaço Acústica, no Centro do Rio. Acessem o nosso site que em breve terá todas as informações sobre a festa, agenda, e materiais inéditos: http://www.tipouisque.tk/. Além deste show, temos algumas datas marcadas, mas nossos objetivos são ir para São Paulo e para o Nordeste. Convites são sempre bem-vindos!

Tem algum tempo que o Rio não espalha para o resto do país alguma revelação no rock independente. Ano passado teve o Do Amor e, recentemente, os meninos do Dorgas surgiram como uma otimista promessa. Enquanto isso, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre não cansam de revelar bons talentos. Acham que existe algum fator específico nessa “barreira geográfica”?

Existem várias bandas daqui que admiramos muito e que são exemplos de revelação, também. Temos Medulla, R.Sigma, Beach Combers, Colombia Coffee,  Carlos Posada e o clã da pá virada, Wendy K, Tereza, Rockz. E essas são só algumas das nossas preferidas! Talvez um fator que cause essa “barreira geográfica” seja esse estigma criado sobre o Rio de Janeiro. Tá certo que a maioria do que se produz aqui é samba, MPB e funk. Tem tanta coisa desses gêneros que as pessoas ficam bitoladas em buscar só isso quando se fala em cultura carioca. Mas não significa que não há outros gêneros. Matanza é daqui, tá?

Fugindo um pouco do assunto, a banda costuma acompanhar shows no Brasil? Se sim, qual foi aquele show de 2010 unanimidade entre os membros? E qual é a apresentação mais esperada de 2011?

Não há uma unanimidade na questão de shows, mas podemos citar o do Paul McCartney (aliás, já viram nosso vídeo sobre o show? http://www.youtube.com/watch?v=WyFou1wIkUw), Rage Against the Machine, Stone Temple Pilots, Mombojó e Swell Season. Bem, para 2011, ficamos animados com o show da Amy Winehouse, mas a maioria está esperando ansiosamente pelo Red Hot. Mesmo sem o Frusciante, Red Hot sempre será Red Hot.

.

Escute “Fight”, o primeiro single da Tipo Uísque:

[audio:http://movethatjukebox.com/wp-content/uploads/Tipo-Uísque-Fight-It.mp3|titles=Tipo Uísque – Fight It]

Curtiu? Então clique aqui para fazer o download, com exclusividade. (botão direito > Salvar link como…)

[UPDATE] O EP completo já está disponível para download lá no Sonora.

18 Comentários para "A banda carioca Tipo Uísque conversou um pouco com a gente e liberou “Fight It”, o primeiro single, para download exclusivo"

  1. Me amarrei no som da galera! A vocalista tem uma puta voz, e me amarrei nos riffzinhos dessa música. Boa promessa!

  2. Curti demais o som, realmente existe bastante referência das bandas gringas do cenário independente, não deixa a desejar nenhum pouco. Tem muito bom gosto nisso aí, fora o perfil da banda, em evidenciar o vocal feminino, que particulamente é o meu preferido nas bandas gringas que conheço, como: gossip, css, chew lips, la roux, crystal castells, copacabana club, e por aí vai.. Se for nesse caminho, serei fã dessa banda… Fora a personalidade que vocês conseguiram passar na foto! Tá mt bom o figurino e o contexto da foto… Arrasaram!

  3. A Pin canta muito, e a banda possui um talento enorme. É muito bom ver que finalmente a banda está tendo o reconhceimento merecido.

  4. Respondendo uma das perguntas feitas para a T.U; pra quem não sabe, a banca carioca Plastic Fire acabou de retornar de uma bem sucedida turnê pelo Nordeste, passando por 7 estados e tocando em 9 cidades (Salvador, Aracajú, Maceió, Recife, Campina Grande, João Pessoa, Fortaleza, Mossoró e Natal), durante 20 dias.

    O problema é que muitas bandas do Rio tem preguiça de sair da cidade e do estado. Muitas acham que ser conhecida e admirada por aqui já está bom demais.

    A Tipo Uísque vem tentando mudar isso também, mesmo com pouco tempo de vida já fez mais que muita banda antiga. E o caminho é esse… essa galera merece voos mais altos.

  5. Quando Que a Banda vai fazer turnê aqui para o sul do pais?!

    (Aguardo aciosamente)

    Show de bola o som dessas garotas!

  6. Nossa, muito bom mesmo esse single. Parabéns! Os sets da Larissa são realmente ótimos. Arrasou na última Candy 🙂

  7. bandas gringas que conheço, como: gossip, css, chew lips, la roux, crystal castells, copacabana club, e por aí vai..

    Maneiro, nem sabia que CSS e Copacabana Club eram gringas não!

    Enfim…Tipo Uísque ftw.

  8. Adoro essa banda as meninas o os 2 garotos são incriveis!!!!Vale a pena escutar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *