Adentrando o mundo Heineken ao som de Warpaint

A Heineken é com certeza uma marca que adora proporcionar experiências únicas aos seus cosumidores, não à toa, busca sempre trazer e patrocionar espetáculos que tenham este tipo de característica. Ano passado tivemos uma ótima edição do Heinken Up on The Roof com a sensacional vista do Mirante do Vale e este ano, São Paulo ganhou a espxosição The Art of Heineken, no Museu de Arte Contemporânea, o MAC.

Como uma marca premium, a Heineken buscou também dar este ar ao seu evento. A verdade é que a impressão que se tem, é de estar tranquilinho, na cobertura de um amigo, tomando um belo chop retirado na hora, geladíssimo, com direito a água gratuita, o que incentiva o consumo responsável (não, não é um evento para você beber até cair, viu?! Só porque é de uma cerveja), escutar boa música e dançar. Também dá para conhecer um pouco da história da marca, levar para casa cartazes antigos e saber um pouco mais sobre como funciona a fórmula que só tem água, malte e lúpulo (ingrediente responsável pelo amargor característico da cerveja).

Não dava para imaginar, que um dos shows que iriam e vão rolar seria do grupo Warpaint. Foi uma bela de uma surpresa! Tanto é que os 490 ingressos dispoíveis, voaram em poucas horas, mesmo custando R$ 150. O Warpaint esteve no Brasil em 2011 e a verdade é que ninguém esperava que o grupo formado por Emily Kokal, Theresa Wayman, Jenny Lee Lindberg e Stella Mozgawa, que acabou de lançar um disco, o ótimo Heads Up (que está na nossa lista de melhores de 2016) e que não tinha previsão nenhuma de vir ao Brasil, desembarcasse em terras tupiniquis.

Pois elas vieram! Fizeram dois shows curtinhos de pouco mais de uma hora para uma plateia empolgada. Passeram por todos os discos da carrreira: The Fool (2010), Warpaint (2014) e até pelo EP Exquisite Corpse (2008), numa espécie de “conheça a nossa banda”, quando poderiam ter focado mais no último álbum. Cantaram e dançaram empolgadas e ao vivo… Se nos vídeos e nos discos, as meninas soam bem, no palco não decepcionam. Elas cantam e tocam com destreza.

O clima intimista “big show” proporcionado pelo espaço deixou um monte de fãs “na grade”, – embora não houvesse uma -, e ver o seu artista preferido de pertinho é uma delícia, não? O ruim, é que quem ficou mais para trás mal conseguia enxergá-las já que o palco é baixo. Mas isso não foi um grande empecilho, até porque, pelo menos, não estávmos espremidos.

O show terminou com entregas de baquetas e “New Song”, o hit de Heads Up.

O The Art of Heineken disponibilizará duas categorias de ingressos com valores distintos: em uma categoria, o ingresso dá acesso à experiência imersiva, que acontece sempre às sextas, sábados e domingos. Este ingresso custa R$45, com direito a meia-entrada (R$22.50); o outro ingresso  que custa a partir de R$70, permite acesso a esta experiência e também a uma das festas que acontecem aos sábados (4, 11, 18, 25 de fevereiro; 4 e 11 de março), domingos (5 e 12 de março) e na terça-feira de carnaval (28 de fevereiro). As festas e shows ocupam o terraço do MAC, tendo a vista do Parque Ibirapuera ao fundo, este ingresso com valores que variam de acordo com a atração da festa.