As Melhores Músicas Nacionais de 2012

Vamos às esperadas, polêmicas, xingadas e adoradas listas de fim de ano. 2012 chegou e já tá de saída – e nesse meio tempo, muita coisa boa pipocou nos ouvidos de todos os colaboradores que fazem o Move That Jukebox. Partindo das opiniões de todos, chegamos aos rankings de grandes lançamentos do ano. E pra começar, eis o Top 20 Melhores Músicas Nacionais de 2012 (deixe o seu nos comentários!):

20) Violins – Questão do Chão

“Sobra em pé só quem teve a manha de dizer não quando o chão se dividiu em dois” é o tipo de verso que parece ter guiado toda a criação de uma canção. Sonoro e eficiente, as palavras tocam (ou esmurram) o peito de quem ouve. E se precisar de mais impacto, uma bateria marcante de andamento inconstante, guitarras sujas e ruidosas e um piano que chora cuidam disso. Se todo o novo álbum do Violins mantivesse esse nível, esse seria o álbum do ano. Pelo menos sobrou essa que é a faixa que abre nossa lista. - Iberê Borges

19) Ludov – Circuito

Para comemorar os dez anos de banda, o Ludov preparou uma série de três EPs com novas gravações. Ainda falta um para ser lançado, mas já temos ao menos uma grande pérola. “Circuito” é um power pop intenso de alto potencial radiofônico. A faixa tem uma sonoridade que remete ao Maybees, antiga banda dos integrantes do Ludov. - Gregório Fonseca

18) Caetano Veloso – A Bossa Nova É Foda

Foi quase sem mais nem menos que Caetano Veloso fez a primeira apresentação de “A Bossa Nova é Foda”, em uma madrugada qualquer no programa do Jô Soares. Acompanhado de uma banda muito jovem, Caetano mostrou que a convivência com os mais novos fez bem musicalmente. O ponto forte da faixa, no entanto, é sua letra. “O velho transformou o mito das raças tristes/ em Minotauros / Júnior Cigano / em José Aldo”, em seguida Caetano lista outros tantos lutadores do MMA. A faixa une o antigo, em suas menções à bossa nova, por exemplo, e o novo, principalmente nas referências ao estilo de luta da moda. É uma síntese do que Caetano Veloso é. - Victor Caputo

17) Supercordas – Índico De Estrelas

A atmosfera psicodélica perfeita nunca foi dificuldade para o Supercordas. Mas “Índico de Estrelas” se destaca na leveza e suavidade quase líquida. Seja no arranjo lisérgico ou fosse num arranjo mais popular, a canção funcionaria, porque ela tem o poder melódico que só as grandes canções têm. Mas a forma como cada verso se entrelaça com a sonoridade dos instrumentos faz com que o tema nada usual se torne tão confortável que fica praticamente impossível não se imergir nesse mar e nadar, nadar, nadar… - Iberê Borges

16) Rosie And Me – I Couldn’t Reach You

Uma música de partir o coração. A voz suave de Roseanne canta cheia de melancolia sobre alguém que foi levado para longe dela por pessoas que não respeitavam os dois. O violão da base vem acompanhado de uma chorosa e tradicional guitarra country. Melancolia doce e pura, a faixa define bem o espírito da banda. – Victor Caputo

15) Clarice Falcão – Monomania

“Monomania” apareceu para o mundo pela primeira vez em um vídeo que Clarice Falcão gravou acompanhada de seu violão e postou no Youtube. Virou meme: hoje é possível ver dezenas de covers caseiros da canção, que finalmente ganhou uma versão oficial lançada em um EP em dezembro. - Gregório Fonseca

14) Mesma Cidade – Bidê ou Balde

O Bidê ou Balde tem um talento de escrever canções que usam da simplicidade para serem tão lindas. Isso já aconteceu em “Bromélias”, “Aeroporto” e “Mesmo Que Mude” de maneira muito forte. “Mesma Cidade” é a nova integrante desse grupo espetacular de músicas românticas nada enjoativas. Com seu arranjo muito bem trabalhado e um gancho grandioso para um refrão chiclete, a música é pra te fazer pensar em algum relacionamento que você já teve ou já quis ter, mas não pra te fazer sofrer. Só que é, mesmo assim, de fazer chorar, com sininhos e tudo. - Iberê Borges

13) Jair Naves – Pronto Para Morrer

Uma das histórias que nos é contada na faixa é de um aspirante a padre que tem sua masculinidade questionada em uma cidade. Verdade ou mentira, todos acreditam nos boatos. Até que um dia o rapaz bate em todas as portas e anuncia aos moradores “estejam prontos para morrer”. Esta, entre outras histórias, vem acompanhada de uma bateria com batida seca e guitarras esparsas. Poesia em forma de música. - Victor Caputo

12) Bonde do Rolê – Baby Don’t Deny It

Está pra nascer – pelo menos em 2012 – uma música que traduza com mais perfeição a expressão “hit do verão”. Com sample sabiamente surrupiado de um clássico perdido da gênese do axé, “Baby Don’t Deny It” coloca até o marmanjo mais metaleiro para dançar. O riff agudo de guitarra, a linha de baixo, os vocais espertos e o grande Caetano Veloso aparecendo do nada. Se isso já não bastasse, ainda tem um grudendo “Você! Você! Você!” fechando cada refrão. E tem gente que ainda prefere as podreiras funkeadas do Bondê da década passada. - Neto Rodrigues

11) Apanhador Só – Salão-de-Festas

Dê apenas dois minutos para os gaúchos do Apanhador Só e eles farão você esquecer que não rolou disco de inéditas em 2012. O pequeno EP Paraquedas deu conta do recado. Dele, temos a fofa “Salão-De-Festas”, que vislumbra uma banda mais solta, experimental e com arranjos intimistas, passeando à vontade por batidas sintetizadas e vocais calmos. Uma belezinha de rara sensibilidade, com 120 segundos de ouro que valem mais do que dinheiro. - Neto Rodrigues

10) Céu – Chegar em Mim

“Se eu fosse você/ Já tinha chegado em mim.” Olha, sei lá quem é essa pessoa da qual a Céu fala, mas, com certeza, ela, nesse exato momento, está arrependida de não ter levado à frente o approach. A voz sussurrada e irresistível da paulistana desconcerta qualquer ser pensante – e a levada calma ajuda a realçar a sensualidade dos arranjos e da letra. De longe, o momento mais sexy da música nacional em 2012. - Neto Rodrigues

09) Vivendo do Ócio – Nostalgia

É impossível não reter a mesma vontade proferida pelos garotos do Vivendo do Ócio no refrão de “Nostalgia”, maior destaque sonoro do álbum O Pensamento É Um Imã. Rock daqueles que beiram o visceral, a faixa tem versos calmos, como uma brisa praiana, que explodem em refrões distorcidos e marcantes, com os baianos clamando por um “vento na cara”. São quatro minutos para deixar até quem nunca foi à Bahia com saudades – por mais Clarice Lispector que isso possa soar. - Neto Rodrigues

08) BNegão & Os Seletores De Frequência – Reação

Uma amostra perfeita da influência da música jamaicana na música de BNegão. O início da faixa é marcado pelos metais d’Os Seletores de Frequência, herdados das primeiras gerações do ska. O baixo entra e deixa ainda mais na cara que ali é Jamaica, meu amigo, e a guitarra também segue a linha. A reação em si não chega a ser falada por BNegão, mas ele dá os indícios que ela vai chegar. “Se a paneta tá apitando / Aqueles tempos tão chegando / As crises se proliferando / Como a sede no deserto”. Senta e espera, que uma hora a coisa explode. - Victor Caputo

07) Medialunas – Memorabilia

O sampler de “Soon”, do My Bloody Valentine, que mantém o ritmo por toda a faixa não é o que faz dessa música tão mybloodyvalentineniana. Se Andrio largou o Superguidis (maior perda do rock nacional da década, sem dúvida) para apostar numa sonoridade lo-fi, “Memorabilia” é o resultado mais positivo desse risco que correu. Ao lado de Liege, ele cria o shoegaze que o Superguidis nunca criou, com todo o ruído que isso pede e com uma letra bonita de doer. E dá uma saudade danada do Superguidis, só que de uma forma boa. - Iberê Borges

06) Otto – Ela Falava

Sabe-se lá quem ela é e que tanto falava para o Otto. O que importa é que ela falava para Otto coisas ruins. E, veja bem, até sobre futebol. A faixa é a primeira de trabalho de The Moon 1111. Regada a teclados, a um baixo bem gostoso e à guitarra sempre agradável de Fernando Catatau, a música ainda conta com a participação da atriz Tainá Muller, que canta junto com o pernambucano. - Victor Caputo

05) Curumin – Passarinho

“Passarinho” foi uma das últimas músicas a entrar em Arrocha. A música é uma composição do MC Russo Passapusso. O próprio Curumin já disse que a faixa veio preencher um buraco do álbum, que estava muito pesado e carente de um toque mais leve. Não há dúvidas que a leveza e sutileza de “Passarinho” funcionou bem e ainda se saiu como um dos melhores momentos de todo o disco. “Não tem gaiola / Que possa me segurar” – voa, Curumin! - Victor Caputo

04 – Black Drawing Chalks – Cut Myself In Two

Competindo com “Chegar Em Mim” pelo posto de música sexy nacional do ano, “Cut Myself In Two” perde na letra nonsense, mas é compensada pelo riff inusitado – pelo menos pra uma banda famosa pela ferocidade de suas guitarras. Com o baterista medindo a força, a vibe stoner do quarteto do cerrado é deixada de lado em prol de andamentos quebrados nos versos e sensuais no refrão. Grande música inesperada de um álbum ainda melhor. - Neto Rodrigues

03) Holger – Ilhabela

Levando o nome do novo disco do Holger, “Ilhabela” é o tipo de música que te leva pra qualquer lugar. Empolgante e sexy, é perfeita para ouvir na estrada, principalmente rumando para aquele verão bom que as férias te dão. Com sua letra nada presa aos padrões de composição que a música brasileira quase sempre impõe, nesse single, os paulistanos criam seu momento mais rock nacional (oitentista, no caso) e esbanjam, jogando a música pra última faixa do LP. Acho que é pra dar vontade de “quero mais” ao fim do álbum. Funcionou. - Iberê Borges

02) Cambriana – The Sad Facts

Em fevereiro, quase que do nada, chega a banda Cambriana e impressiona todos os que topam com sua música. Soa produção gringa, mas vem de um quartinho goiano. A voz tristonha de Luis Calil, cabeça do projeto, se encaixa como luva no instrumental melancólico da canção, que conta com bateria marcada e um agradável sintetizador no refrão. Uma mistura apaixonante e viciante, dessas da qual daria orgulho e gosto de ver zanzando por aí em sites mundo afora – oh, wait! Isso já está acontecendo. - Neto Rodrigues

01) SILVA – 2012

Com o perdão do trocadilho, 2012 foi o ano do SILVA. E a música de mesmo nome abre com precisão e sensibilidade ímpar o álbum debut do capixaba. Gritinhos, synths e teclados indie pop se fundem a influências eruditas, criando uma amálgama de nuances precisas e libertadoras. A letra segue o clima alegre e algo grandioso da melodia, explicitando ansiedades sobre o fim do mundo. E se ele chegar, de fato, tudo bem – desde que tenhamos SILVA cantando para nos confortar diante do lusco-fusco final. - Neto Rodrigues

  • Camila

    estranho “ela falava” entrar na lista, uma vez que eu considero a mais fraca do 1111. Acho selvagens olhos a melhor faixa sem dúvidas, e digo mais, digna de 1° lugar.

  • vinicius

    legal a lista, mas vocês pecaram em não ouvir o disco da Banda Uó. Eles emplacavam fácil umas três nessa lista ;)

  • http://twitter.com/netorodrigues Neto Rodrigues

    calma, vinicius! apareça por aqui amanhã que vc vai ficar feliz ;)

  • antonio

    nostalgia deveria ser o primeiro….. wtf silva?!!!!

  • Daniel

    Essa Clarice Falcão é ruim demais, fala sério.

  • Gabriel

    Nossa, super merecido a posição de SILVA! Apesar disso, ainda acho a faixa Claridão a melhor do albúm dele

  • Eduardo

    2012 mereceu o 1º lugar!

  • Roger Indie

    Legal a lista,mas na minha opinião faltou Mangue Beatle e Gente da Volver.

  • Olimpio Neto

    Credo, essa musica do SILVA é tá parecendo Natal de pobre.

  • caio braz

    super merecido silva e holger no top 3, mas tá faltando banda uó

  • Fellipe

    Cambriana pra mim foi a melhor surpresa do ano.
    Lançaram um cd agradável e com personalidade própria.
    Segunda posição merecida!

  • Eduardo Pepe

    Faltou Banda Uó, Lucas Santtana, Felipe Cordeiro e Gaby Amarantos. E “Chegar em Mim” da Céu é muito “Vagarosa” (2008), acho que “Retrovisor”, “Amor das Antigas” ou “Baile de Ilusão” resume melhor o disco “Caravana Sereia Bloom”, que marcou o ano. Ainda assim, a lista está coerente

  • http://twitter.com/igordisco @igordisco

    É muito louco esse treco de lista.

    SILVA em primeiro lugar é pra deixar o James Blake de cabelo em pé. Tão financiando esse papo de que ele é tipo James Blake em pt-br mesmo…

    E concordo que ELA FALAVA é a mais chata do disco do Otto, e o primeiro lugar poderia ir pra Selvagens Olhos mesmo…

    Mas é lista, e música não é ciência :)

  • lucas ribeiro

    Acho errado ela falava ser a representando do disco do Otto também, assim como esse tal de Silva ser a coisa mais chata do momento, e na minha opnião só estar com todo esse hype por causa dos blogs que o elegeram “fodão”.
    Mas o maior problema dessa lista está na música da Céu, “chegar em mim” não é nem de perto a melhor musica do cd Caravana Sereia Bloom, ja que cantada por alguém como Kelly key e sem o swing que a banda da céu proporciona, seria uma musica da Kelly key, em um disco com musicas como “retrovisor” “contravento” “falta de ar” “baile da ilusão” e na minha opnião, aquela que deveria sera a número 1 dessa lista “streets bloom” acho que não tem nada a ver a escolha de vocês.
    Concordo com bnegão, bdc, e holger estarem onde estão, é o fino do fino da musica brasileira!
    Abraço

  • Dani Ribeiro

    Lucas Ribeiro, querido, cada um tem sua opinião. Se você acha que “Chegar em mim” não é a melhor música, respeite a escolha dos outros. Por que não faz sua própria lista? Gente chata! Haterzinho de profissão…
    E ainda vem me falar que Bnegão é o fino da música brasileira, pfff.

  • Nicole

    sabia que ia ter holger nessa lista. quanto à clarice falcão, deixa o namorado dela dar uma moral, gente

  • Bruna

    SILVA merecido primeiro lugar!!! Mas bem que podia se A Visita! ADORO!

  • Isaac Viana

    Muito boa a lista. Na minha opinião, ficou faltando a banda de rock nacional Palavrantiga.

  • Ana Lopes

    Cadê Chinese new years love?

  • http://movethatjukebox cristiano radins

    Uma das mais interessantes de Otto é a faixa “O que dirá
    o mundo”,com versos contundentes;”Negros e praças são feitos para as desgraças,o amor e o medo são pontas de facas”.Tulipa Ruiz com Lulu Santos em “Dois cafés” é contagiante.

  • Fabio Bracht

    Sem entrar nos méritos das escolhas, digo que, agora, ouvindo o SILVA, considero que ter passado a última hora dando play em uma por uma dessa lista valeu a minha noite.

    Por um lado, felicíssimo em ver coisas que eu adoro, como Bidê ou Balde, Ludov, Apanhador Só e – principalmente – Violins mostrando serviço e aparecendo com sons excelentes e ainda desconhecidos por mim (exceção feita à Violins, cujo trabalho eu acompanho de perto).

    Por outro, caralho, quanta coisa boa eu descobri nessa última hora!

    * Rosie and Me é exatamente o tipo de som que eu descubro e me entusiasmo obsessivamente nos meus passeios periódicos ao TheSixtyOne. Vou ouvir, e vou ouvir muito.

    * Bonde do Rolê fazendo música boa?! Essa é nova pra mim. Não que eu tenha gostado (ainda que tenha mudado muito, e pra melhor, tá soando muito como um CSS-wannabe e ainda não é minha praia), mas me impressionou o simples fato de constar numa seleção da crítica.

    * Já tinha ouvido falar bem desse disco do BNegão, mas não sabia que era TÃO do caralho. Eu curto mais o ska-core de coisas como Less Than Jake e principalmente Streetlight Manifesto, mas pirei nessa coisa mais jamaicana, misturada com dub, e com uma estrutura meio loucona. Pirei foda, vou ouvir o disco inteiro amanhã. Certeza.

    * Três reações enquanto ouvia Medialuna: 1) MERDA, SUPERGUIDIS ACABOU HÁ UM ANO E MEIO E EU NEM FIQUEI SABENDO! 2) Jesus amado do céu, como isso é lindo. 3) Onde tem mais? Onde tem mais?!?!

    * “Opa, Black Drawing Chalks tava na minha lista e eu não tinha ouvido ainda, vai ser agora!” No fim, não gostei muito. Tava esperando uma coisa mais Red Fang. Mas tenho quase certeza que vou gostar das outras mais pesadas do álbum.

    * Quando eu vi que Cambriana era de Goiânia, já me empolguei. A única coisa vinda de lá que realmente decepcionou foi o segundo CD da Volver. O que eu não esperava era gostar tanto tanto tanto. Me lembrou uma espécie de Postal Service, o que é ótimo.

    * Nunca tinha ouvido falar de SILVA (meta pra 2013: estar mais por dentro dessas coisas). Ouvi com expectativa e, apesar de não ser exatamente o tipo de som que mais me atrai, gostei foi um monte.

    Ou seja: por mais que, sim, eu alteraria e muito a ordem, tiraria coisas (bem chatinha essas do Otto e da Céu, hein?) e colocaria outras, adorei a lista.

    Obrigado.

  • Alexandre Lacerda

    Mediaunas é inaldível. Bide é lindo, Holger é fantástico, SILVA é sem sal/superestimado e Apanhador Só merecia o 1º lugar.

  • Alexandre Lacerda

    *inaudível.

  • Jessica

    R.I.P. Move That Jukebox

  • Luiz Jr.

    Nessa lista de ‘Melhores Músicas Nacionais de 2012′ vcs simplesmente escolheram a música mais representativa de cada álbum da lista de ‘Melhores Discos Nacionais de 2012′ e colocaram como uma lista.
    Acho que álbuns são muito mais importantes que singles, mas é ignorância pensar da forma que vcs pensaram e excluir ótimas músicas de álbuns não tão bons.

  • J Eduardo Dantas

    “Chegar em mim”, da Céu, é tão boa, mas tão boa, que deixa o resto do álbum no chinelo…

  • Luan Lima

    Acho que a música “Acorda (part. Marcela Bellas)” do grupo Mão de Oito merecia estar aí. Depois deem uma ouvida.

  • Marcela

    SILVA suuper merecido, parabéns à equipe q escolheu. Eu só acho (lá vem) que “Claridão” está ainda melhor que “2012″.
    Boa lista.

  • L.J.G.Pinto

    Minha listinha:

    1 – “Faz Uó!”
    2 – Nevilton – Tempos de Maracujá
    3 – 3VOL – Guts
    4 – Adriano Cintra – 4 Bitches, 1 Bone
    5 – Far From Alaska – Mama
    6 – Ana Canãs – Rock in Roll
    7 – Audac – Distress
    8 – Grandphone Vancoucer – it All
    9 – Suburbia – Wrong Riot
    10 – The Gramophones – Mistress Hips
    11 – We Are Pirates – When She Goes Away
    11 – Schoobell – Haze
    12 Molho Negro – Mania de Perseguição
    13 Badhoneys – Mother Fucker
    14 – Filipe C. – Night Call
    15 – Database – Living in This City(remix)

  • Joana Garibaldi

    …and more:

    Hatches – Chinese New Years’ Love
    Cambriana – The Sad Facts
    Schoolbell – Spin Me
    Adriano Cintra – Cousins

    p.s.: musica que num guento mais ouvir o Rei cantar – esse véio sou eu!!!

  • Pablo Jezreel

    Sobre Cambriana acho que foi merecido o reconhecimento, talvez pegaria até a 1ª colocação.

  • https://www.facebook.com/pages/Som-do-Cora%C3%A7%C3%A3o/129760870546490?ref=hl Som do Coração

    Muito bom!!
    Sabe aquela musica q gruda e não sai da cabeça?
    Deposite ela na nossa página! Vc curte e a gente canta!!