Liam Gallgher - As You Were

Liam Gallgher
As You Were

Warner Bros

Lançamento: 06/10/017

Liam, o caçula dos irmãos Gallagher sempre foi ofuscado pelo irmão mais velho no quesito composição. Noel escreveu algumas das maiores canções da década de 90, fazendo com que as ótimas contribuições de Liam como compositor em músicas como “Songbird” e “I’m Outta Time” fossem menosprezadas por parte da crítica e de alguns fãs do Oasis. Após o fim da banda que o consagrou, Liam formou o Beady Eye com seus ex-companheiros de Oasis (sem Noel, é claro) e lançou dois discos que geraram opiniões diversas antes de finalmente seguir carreira solo.

Além da evolução de Gallagher como compositor, parece que ele também tem cuidado da voz nos últimos anos, seus vocais aqui são os melhores desde Don’t Believe the Truth (2005) ou Dig Out Your Soul (2008) do Oasis.

“Wall of Glass” foi o primeiro single divulgado do álbum As You Were, a música é um rock robusto que não se via há muito tempo no mainstream. Com uma parede de guitarras e introdução de gaita tocada pelo produtor Greg Kurstin, a faixa foi o suficiente para criar grandes expectativas sobre o disco. A bela “For What It’s Worth” inicia com uma espécie de “mea culpa” com a frase “em minha defesa, todas as minhas intenções eram boas”. “Chinatown” é o grande single do álbum, uma balada que evoca a mesma sensação nostálgica de “Wonderwall”.


O álbum parece operar em dois extremos diferentes, rocks robustos com os característicos vocais rasgados de Gallagher e baladas com sentimentalismo perceptível. “Bold”, “Greedy Soul”, “You Better Run”, “I Get By” e “Come Back to Me” são rocks bem construídos que enfatizam refrãos grudentos, enquanto “Paper Crown” desacelera e mostra um alcance maior dos vocais de Liam.

As You Were é um disco de rock sem frescuras, misturando os resquícios do britpop com a descarada influência de Beatles, Stones, Slade e a arrogância característica do Oasis. O lado bom é que Liam parece acreditar no que está cantando, saindo do piloto automático dos dois álbuns do Beady Eye. As letras das músicas podem parecer desconexas e até mesmo ingênuas, mas as melodias grudentas e os vocais compensam os pontos negativos. A espera pela estreia da maior estrela do rock dos últimos vinte anos valeu a pena.

Escute o álbum na Apple Music

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *