Assista a vídeo do Strokes feito por Albert Hammond Jr.

Uma das piores músicas já feitas por uma das melhores bandas surgidas na última década ganhou um vídeo mais ou menos oficial. De acordo com o esperto We All Want Someone To Shout For, o clipe da sonolenta “Call Me Back” foi feito pelo guitarrista do The Strokes Albert Hammond Jr. – e enviado aos fãs que compraram o disco Angles na pré-venda como uma forma de agradecimento (se eu tivesse comprado, exigiria o dinheiro de volta). O registro não-oficial mostra uma câmera viajando lentamente no meio de bolinhas – ou bolhinhas – suspensas. Aí, a certa altura, surge uma moça bem aparentada que resolve tomar um banho em uma queda d’água. Juro que é desse jeito:

Enfim, tentei ao máximo gostar de Angles, mas, infelizmente, não desceu. Apesar de ter 2 músicas excelentes e umas 3 bem interessantes, o resto me parece sobras de estúdios e músicas que foram feitas mesclando uma má vontade com uma certa obrigação e preguiça. Uma pena. Mas, de acordo com notícias por aí, a banda já pensa no quinto álbum. E Strokes sempre vai merecer uma nova chance, mesmo após um “meio fracasso”.

  • joao

    Discordo, peguei muito bem com o novo cd!

  • vitor

    e cada vez mais, lendo blogs desse tipo, eu vejo o quão insignificante é a crítica musical. não por ser real fã de strokes (e por isso gostar e me identificar com absolutamente tudo que eles lançam), mas por perceber que é inútil. o grande lance é produzir.. afirmar que alguma coisa é ruim é muita arrogância. quero é ver um suposto crítico musical como o escritor desse post pegar num instrumento e criar alguma coisa.
    escute aí, rapaz.. escute aí e fique na sua.

  • http://www.facebook.com/adriano.correia Adriano Correia

    Não concordo em nada que disse. Angles ta longe de ser um álbum ruim ele não é uma revolução como Is This It e pra mim fica em segundo dentro da discografia da banda. Crítica sem fundamento a tua.

  • http://www.maheferreira.wordpress.com Mahê Ferreira

    Cada um com sua opinião, eu gosto dessa música, e gosto do album! Mas não sou do tipo fã deslumbrada a ponto de não querer assumir que o novo cd tem sim os seus altos e baixos. E esse com certeza é o vídeo mais tediante da semana. Tive que passar pra frente pra saber se ia rolar outra cena! haha

  • Rafael

    @vitor

    Cara, ele faz parte de um site sobre MÚSICA. Por que diabos não é válido ele compartilhar a opinião dele num site de MÚSICA? Se for pra ficar na dele, qual seria o propósito de fazer parte do Move, e ainda mais além, por que tu se da ao trabalho de ler críticas se é isso que tu acha? Afirmar que uma coisa é ruim (ou boa) não é arrogância, é uma crítica. Se tu nao quer levar ela a sério, just MOVE along.

  • btiatto

    não acho que essa seja uma das piores músicas que eles fizeram. considero ela como uma das melhores do album. gostei muito do video também.

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    mais uma opinião ridícula, típica de quem é “formador de opinião” aqui no Move That Jukebox. triste que um blog popular assim seja tão carente de gente com embasamento pra falar algo.

  • http://twitter.com/netorodrigues Neto Rodrigues

    vitor, meu caro, você falou o seguinte: “afirmar que alguma coisa é ruim é muita arrogância.” ao que tudo indica, você achou meu post e meu comentário ruins, certo? isso faz de você um arrogante, né?

    adriano, isso não foi uma crítica, foi um comentário. a crítica, elogiando o disco, tá linkada no post. pode ir lá que você vai gostar dela. tenho certeza.

    bruno raphael, quando você consertar o erro de português que tem no subtítulo do teu blog, a gente conversa.

  • Pingback: Albert Hammond Jr., guitarrista do Strokes, dirige vídeo de “Call Me Back” da banda - teco apple | MTV Brasil

  • http://www.blogdobracin.tumblr.com Vinicius Bracin

    Música boa, vídeo chatíssimo.

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    neto r, acho melhor você ir fazer um cursinho de gramática. pergunta pro pasquagli se tem algum erro de português no subtitulo do meu blog, querido.

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    eu achei que era sobre o “visando”. mas, se for em referência à vírgula, só fica provado o quanto esse blog sabe de música e (novidade pra mim) correção gramatical.

    E VIVA A IGNORÂNCIA

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    finalizando aqui meu inconformismo, deixo aqui um vídeo de Caetano Veloso que resume bem meu sentimento em relação a muita coisa que esse blog divulga como meio de sobrevivência, e que muita gente acata como uma verdade universal. Como Caetano disse no passado, “vocês não estão entendendo nada”:

    http://www.youtube.com/watch?v=mCM2MvnMt3c

  • Pedro Cruz

    No geral é melhor do que o FIOE, Taken For a Fool caga em cima de todos vcs blogueiros

  • Melissa

    Neto, desculpa, esse post sumiu com toda a credibilidade do Move That Jukebox, que já vinha caindo há tempos.

  • vitor

    rafael, vou nessa “just move along”, rapaz, não se afobe. na paz..
    eu acredito no jornalismo musical, só não acredito no que é feito aqui. (em relação às críticas, as notícias e tudo o mais são limpeza..)
    e, verdade, só ontem que fui acessar o move that jukebox pela primeira vez. e só expressei minha opinião na ótica do artista.. e dizer que esse post constitui uma crítica é estranho, não? mas bem, peço desculpa, não tinha visto que tinha rolado outro post com uma crítica dita verdadeira do disco (muito interessante de se ler, por falar nisso).

  • http://twitter.com/netorodrigues Neto Rodrigues

    bruno raphael, o verbo “visar” pede crase no sentido em que você quis usá-lo. se for no sentido de “ver alguma coisa”, daí estaria certo usar somente o artigo “a” – mas seria um subtítulo sem o menor sentido. e se vier com o mimimi de que esse fato já tá incorporado à língua devido ao uso (errado) em exaustão, é a mesma coisa que falar que é certo escrever “preço à vista”, “assistir o jogo” e “confira o clipe da banda”. aí eu nem vou entrar nisso, que é caso perdido. aliás, caso perdido é argumentar usando caetano veloso como apoio, ein?

    melissa, tá desculpada!

  • http://atividadefm.wordpress.com Jéssica

    Eu até simpatizei com a música, mas o clipe é uma merda mesmo

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    se a incorporação natural de algo à nossa língua se parte de um português “brasileiro”, que foi se adaptando com o passar dos tempos, porque não acreditar que uma frase como “assistir o jogo” poderia passar a ter 2 significados (o de auxiliar e de ver)? E pelo contrário, o sentido da frase realmente é o que voce induz como não tendo o menor sentido. eu avisto a imparcialidade sempre, e aqui no MTJ é um dos lugares na web em que menos isso existe.

  • http://www.veracidadedosfatos.blogspot.com Bruno Raphael

    e queria que você me explicasse porque argumentar usando Caetano Veloso seria um casa perdido. assim você já pode mandar seu currículo pra Veja em vez da Rolling Stone, cara.

  • Victor Caputo

    É duro ouvir isso, mas eu preciso falar… não existe imparcialidade!

  • Pedro Ivo

    Achei o vídeo muito chato e o disco, idem.
    A crítica é boa, e mesmo se eu discordasse, a respeitaria. As pessoas precisam aprender a respeitar a opinião alheia e entender que ele não fez uma constatação científica, inflexível e que todos precisam aceitar como verdade absoluta. É apenas a impressão dele, poxa. Menos.

  • Gustavo

    Quem é The Strokes? É banda nova?
    Você que é o empresário da banda?
    Gostaria de contratar pra uma festa aqui em Carapicuíba!
    Como posso entrar em contato? Me ligue. Meu telefone é 11 4181 5000

    Só uma dica: quando for fazer o clipe da sua banda, use imagens próprias ou mais interessantes. Utilizar cenas do filme A lenda do guardião não ficou fix cara. Tenta umas do Dragon Ball Z.

    Vamos conversando, vamos fechar o show da sua banda!

  • Rafael

    Tava lendo toda a discussão e pensei na mesma coisa que o Victor. Gente, imparcialidade não existe.

  • Victor Zimpeck

    Concordo! o clip é uma bosta, porém é “mais ou menos oficial”. A música eu gostei muito, assim como o álbum, talvez com a exceção da faixa “You´re so right” que não me agradou muito.
    Concordo também que Angles poderia ser um pouco melhor, por mais que eu tenha gostado do álbum.

    Com relação as criticas do Neto Rodrigues, penso que ele ficou apenas frustrado com o Angles. Não foi tudo aquilo que ele imaginava, e vamos ser realistas, não foi tudo aquilo que todos nós imaginávamos.
    Afinal! tanto tempo de espera gera um pouco de expectativa, ainda mais, vindo dos Strokes.

  • Jeff

    Cara, eu não suporto mais posts do Neto….
    Toda vez que ele fala alguma babaquise no meio do caminho por não saber quando calar a boca. O problema seu, não é vc nao gostar da musica, isso é opção sua. O problema é ficar fazendo esses argumentos imbecis como definir “que essa é a pior música já feitas por uma das melhores bandas…”
    Vê se para pra escrever algo que valha a pena ler…

  • http://www.twitter.com/samucael Samuka

    Caramba, quanta gente se ofende com crítica negativa… Dá até a impressão que o trabalho único dos críticos seria elogiar, e quando não o fazem é por algum motivo como “arrogância” ou “implicância” ou tentativa de aparecer… E aí descem a lenha dizendo que o crítico não consegue fazer igual ao artista por isso critica… Fla sério! Porque se dão ao trabalho de ler críticas, então, quando só a relevam em situações onde lhes é favorável?

  • http://yahoo Paga Pau de Saco Cheio

    K culpa tem o blogueiro se este é o álbum mais cagado do ano?
    Deixa o homi se expressar, seus implicantes!!!

  • Boom

    Imparcialidade zero!
    Críticas tem que ser construtivas e não carregadas de frustrações do seu eu interior.

    “Pior música do ano” é uma pinóia! Dizer isso é forçar a barra. Respeito criticas, mas não force a barra baseando-se no seu gosto.

    Em minha humilde opinião a música é muito boa, o vídeo (não é oficial) é chato (só tem bolhas?!).
    Realmente tem músicas em Angles que cagam em cima de todas as críticas, Taken for a fool, Machu picchu e Gratisfaction são exemplos.