Bruno Natal’s Jukebox (URBe)

Finalmente um representante d’O Esquema aparecendo por aqui! Editor do excelente URBe (@URBe), Bruno Natal, entre outras coisas, foi o produtor e diretor do premiado documentário Dub Echoes, que mostra as origens, influências e evoluções do ritmo jamaicano com o passar dos anos. Muito simpático, Bruno se dispôs prontamente a nos contar um pouco sobre sua bagagem musical:

E o hype? – o que você tem escutado de novidade?
Darwin Deez. Conheci na coluna mais hype do planeta, New Band Of The Day, do Guardian. A banda foi a 690ª a aparecer por lá.

Good Times Bad Times – qual banda/artista sempre esteve ao seu lado, fazendo, por mais piegas que isso possa soar, a “trilha sonora de sua vida”?
Uia…Um só? Não sei, não… Bob Marley sempre esteve por perto, atravessando várias fases. Talvez tenha sido o mais resistente.

Do the D.A.N.C.E. – o que não pode faltar na hora de soltar a franga na pista?
Já faz um tempão que praticamente toda vez que boto som, toco o remix do Soulwax de “Gravitys’ Rainbow”, do Klaxons.

Quais documentários musicais recentes você indicaria pra alguém que não tenha muito conhecimento na área?
Bom, se consideramos 2006 recente (antigamente era, agora semana passada é uma eternidade…), dia desses finalmente assisti The Devil And Daniel Johnston, de Jeff Feuerzeig, e é espetacular. Um lindo retrato de um artista complexo e pop ao mesmo tempo.

Você não vale nada mas eu gosto de você – todo mundo tem um guilty pleasure, vai. Aquela banda que, quando começa a tocar no computador, você desabilita o last.fm o mais rápido que pode.
São várias! Hahaha! Outro dia rolou um revival do “II”, do Boyz 2 Men. Lembra demais as festinhas furadas do meu intercâmbio. Tem também o primeiro disco do Counting Crows, August And Everything After, da mesma época, que a cada 5 anos ressurge.