Clipe: M.I.A. – Born Free

A M.I.A. está de volta, poderosa e arrasadora. Com o lançamento de seu terceiro álbum previsto para junho, a cantora acaba de divulga o clipe de “Born Free”, música arrebatadora com graves fortes e penetrantes. O vídeo da faixa não perde em nada: dirigido por Romain Gavras – responsável pela criação de “Stress”, do Justice -, o material tem quase dez minutos de duração e é tão violento quanto o outro trabalho de Gavras. Imperdível:

Enquanto “Born Free” vai se espalhando por toda a rede, M.I.A. promete passar o dia inteiro twittando através do @pitchforkmedia. Vai entender…

  • Nossa muito Massa!! Poem violento nisso, coitado do casal ehEHehehheEHEHEH
    E coitado dos ruivos O_O

  • Guerra ao Terror meets “The Day That Never Comes”, do Metallica.

  • Francisco

    Grande bosta, odeio essa pseudo-politizagem-2-neurônios americana. Guerra do Iraque é escrota. Putz, um gênio, hein.
    Esse diretor, antes de pensar no clipe, pensa: “quero causar”.

  • Pseudo-politizagem?? se informe, M.I.A. é filha do guerrilheiro libertista Arular, teve seu nome na listas de pessoas que apoiam o terrorismo, foi impedida de entrar nos EUA em 2006/2007…ela VIVE questões politicas diariamente, ela viu a familia morrer por causa da guerra….se tem alguem no mundo da musica que pode ser verdadeiramente Politica é ELA!

  • Francisco

    não digo pela M.I.A, gosto tanto da M.I.A quanto do Justice. Digo pelo Romain Gavras, todos os clipes dele são assim, uma crítica do tipo “esses porcos capitalistas”, que não é suficiente.

  • Fabio

    Gosto da MIA, mas esse clipe é a prova que dinheiro e recurso muitas vezes estragam tudo. O Stress, do Justice era muito mais tenso sem essas cenas gratuitas, dava mais foco à msg. Quem está a par da situação na França sabe que não é uma mera critica racial e sim ao vácuo socio-economico deixado nas ex-colonias. Agora essa ladainha do americano malvado não convenceu.

  • Esse clipe realmente é bem chocante, mas dá sim sua mensagem. Esse clipe me surpreendeu mais pelo caminho que a M.I.A. vem traçando até agora, quer dizer, os outros clipes dela não chegam nem aos pés do que esse quer passar.
    Isso sim é que é PoP crítico. Telephone agora é fichinha.

  • Pingback: Move That Jukebox! » M.I.A. toca música inédita, divulga título de álbum e troca data de lançamento()

  • luiza

    Acho que a música pop não precisa ser critica.
    Agora as cantoras serem criticas, é uma escolha delas.
    Na verdade, acho que ninguém tem que ser politicamente correto ou ter que fazer alguma critica. Faz quem quer e se sente encomodado.