Coldplay lança novo single: “Every Teardrop Is A Waterfall”

Hoje o Coldplay lançou em seu site oficial o single  “Every Teardrop Is a Waterfall”. Embora o título possa sugerir uma canção de emocore (alguém já ouviu “Cada Poça Dessa Rua Tem Um Pouco de Minhas Lágrimas”, da Fresno?), as influências da banda, nesse caso, vão do pop setentista à música eletrônica.

Depois das inúmeras acusações de plágio que os ingleses levaram nos últimos anos, o novo single foi recebido com receio pelo público, principalmente por causa de especulações que começaram a rolar na rede mundial: aparentemente, a música teria uma grande semelhança com “I Go To Rio”, de Peter Allen, gravada na década 70. A semelhança, nesse caso, não é coincidência. No site oficial do Coldplay, há uma nota esclarecendo que a canção contém elementos da música do cantor australiano.


Embora “Every Teardrop Is a Waterfall” não tenha um potencial como “Viva La Vida” para se tornar um hit, é um bom presente para os fãs. A banda não chegou a divulgar nenhum detalhe relativo a um novo álbum, mas o lançamento de uma nova canção já fala por si só que novidades estão a caminho.

  • Ninóticka Robótica

    imitação detectada

  • marina

    gente, que horror de música.

  • luanpc

    quase david guetta esse início…esperemos por musicas melhores

  • Rafael Porto

    A impressão que eu tenho é que o flerte das bandas de rock com a música eletrônica tem beirado a promiscuidade.

    No passado, aproveitava-se alguns elementos do estilo para que o rock ganhasse um diferencial. Hoje, com o sucesso que são os remix, a lógica se inverteu.

    As bandas compõem um remix pronto, com 90% de elementos da música eletrônica. As guitarras e os timbres do rock é que são minoria.

    Que rock é este?

    Saudade do “Parachutes”.

  • Pingback: Coldplay toca cinco inéditas em festival na Alemanha | Move That Jukebox()

  • Pingback: Ouça “Major Minus”, som novo do Coldplay | Move That Jukebox()

  • Weslley Talaveira

    A música é legal, mas parece que o Coldplay esqueceu que “influência” e “inspiração”, é diferente de “cópia”. O comecinho da música é idêntico à música do Peter Alan, e a música inteira não tem nada de rock, a não ser alguma coisa no fim. Eu gosto da ideias de ritmos diferentes que se juntam numa música, mas isso foi meio que “forçar a barra”…

    Mas mesmo assim a música e legal. Como o post disse, não tem a força de Viva la Vida, mas é boa.