Coluna PopMata: Bowerbirds, Pullovers e Wilco

Bowerbirds - Upper Air

Bowerbirds – Upper Air (2009)
O Bowerbirds, trio americano, são como pássaros realmente. Dentro da revoada de bandas e projetos new-folk, eles se destacaram com seu debut. Agora, com seu segundo álbum, podem afirmar que não eram apenas mais um dentre aqueles tantos que sobrevoavam atrás de uma oportunidade no estilo. Eles voaram mais alto e alcançaram o que queriam com dois álbuns excelentes. Eles alcançaram o respeito.

Se, em sua estreia, os temas das músicas eram relacionados à natureza, desta vez a temática se diferencia um pouco. Colocando os humanos e seus sentimentos em primeiro plano, o Bowerbirds ganha mais força. Tratar sentimentos de maneira tão bela e com canções tão potentes é para poucos. Talvez essa nova proposta tenha surgido com a convivência com Bon Iver, com quem o trio excursionou. Então, pode esperar coisas boas.

As canções de belas melodias e harmonias contam com linhas vocais afinadíssimas e com arranjos de violões, violinos, acordeões e tamborim. Tudo sempre doce e saboroso, te deixando com a mente mais leve e com o coração mais confortável. Dessa forma, será possível voar junto com o Bowerbirds e conhecer os lugares mas lindos dentro de você mesmo.

Pullovers - Tudo que eu sempre sonhei

Pullovers – Tudo que eu sempre sonhei (2009)
Apostando numa linguagem e numa visão paulistana, o sexteto vai do samba ao indie-rock em questão de segundos e, agora, falam em português.

Depois de 3 álbuns clássicos para o cenário underground paulistano, o Pullovers aposta numa nova roupagem para o seu som. Além de músicas totalmente em português e com letras incríveis, o som se afasta totalmente das tendências punk-rock e investe em influências que vão de Toquinho a Belle And Sebastian. Esse novo som, porém, é mais do que uma junção de estilos, é a criação de uma nova vertente para o rock-alternativo. Vertente essa que flerta com esquisitices, referências pop e o adorável samba paulistano.

Porém, criar uma música que é a voz de São Paulo não é limitar sua abrangência. As visitas ao Rio de Janeiro são constantes nas canções, e a disposição para alcançar qualquer ponto do Brasil ou do mundo é presença certa em cada faixa do álbum “Tudo que eu sempre sonhei”. O Pullovers pode se orgulhar por ser voz de uma metrópole e por, mesmo assim, estar tão próximo dos ouvidos de qualquer um, em qualquer lugar.

Wilco - Wilco (The Album)

Wilco – Wilco (The Album) (2009)
O Wilco já possuiu diversas faces, mas nunca deixou de ser Wilco. A essência sempre esteve ali, e há quem reconheça o Wilco em sua forma mais experimental, assim como há quem prefira o Wilco em seu início, apenas com aquele country-alternativo mais despretencioso. O Wilco não tem dúvida do que realmente é. E pra provar isso, depois de tantos “Wilco” em banda e em palavras, com vocês “Wilco (The Album)”.

Em “Sky Blue Sky”, álbum de 2007, o Wilco soube fazer uma síntese dos anos anteriores e acrescentar novos elementos à sua música, mas não se alterando de maneira tão visível como em “A Ghost is Born”, de 2004, por exemplo. Porém, desta vez, o Wilco parece vir disposto a se reapresentar, ou se apresentar para um público que ainda o desconhece. Para isso, faz uma recapitulação de todas as suas fases e chega a uma unidade precisa. Em “Wilco (The Album)” é possível ouvir resquícios de tudo que já foi produzido pelo sexteto de Chicago, e fica a sensação de que esse é o Wilco por inteiro.

Sendo assim, esse seria o registro de um Wilco mais apropriado para o público geral e para apresentação da banda. Sem dúvida é um grande álbum, cheio de grandes momentos, assim como a carreira da própria banda. Há quem vá torcer o nariz, há quem vá adorar. Mas, acima de tudo, há Wilco. E, quando há Wilco, há música em uma de suas melhores representações.

Coluna PopMata

  • xi

    Sobre o Bowerbirds, eu escutei a uns dias e achei a simplissidade deles algo além do entendimento. Dessa forma, transforma o som da banda numa verdadeira viagem sentimental e gostosa. Prato cheio para quem quer viver a vida com mais emoção.

    Esse álbum do Pullovers, realmente é surpreendente. Tanto na qualidade quanto na sonoridade. Espero ter a oportunidades de ver algum show deles aqui no Rio.

    E falar do Wilco é sinônimo de fazer elogios! Album gostoso e sensacional, nem dá pra falar muito dele!

    excelentes escolhas de álbum!

  • Lucas Rodrigues

    Donload só na comunidade?
    Acho que vocês poderiam por nos comentários, como outros blogs fazem..
    Na vedade é só uma opinião, porque não tem como reclamar, muito bom o site. Leio todo dia.. Parabéns.

  • Vi bowerbirds ao vivo antes mesmo de ouvir o disco. Uma chatice, perda de tempo e dienheiro mesmo.

    A bande tem uma dinâmica de canção de ninar e os membros têm sintonia zero, parece que cada um tá fazendo o próprio show… isso nem é bom.

    Porém, as críticas ao álbum teem sido as melhores possíveis, com certeza vou dar uma ouvida.

    By the way… ótimo blog. Acompanho sempre.

  • Pingback: Move That Jukebox! » Vídeo: Wilco – You and I ao vivo, com Feist()