Como foi o show de Jake Bugg na Lolla Party em São Paulo, antes de seu show no Lollapalooza

DSC01697

Parecia mais um show de alguma boy band em alta, mas não. Era a noite de Jake Bugg, que se apresentou em uma das Lolla Parties – shows separados do evento principal, como shows fechados e exclusivos. O local escolhido foi o Cine Joia,  repleto de meninas menores de idade, muitas barradas na entrada pela censura de 18 anos, mesmo acompanhada dos pais.

O clima da casa proporciona um ambiente bem intimista para seus 1500 pagantes – alguns inclusive saíram bem antes do fim do primeiro dia de Lollapalooza Brasil para chegar a tempo do show. À uma e cinco da madrugada de sábado para domingo, o jovem cantor inglês de 20 anos sobe ao palco, junto com seu violão, um baixista e um baterista para dar inicio à sua aguardada apresentação.

bugg

Com um som empolgante e com voz bem marcante, Jake embalou uma musica atrás da outra, quase sem pausa e interação com o publico. Apesar de se mostrar tímido, mostrou o por que tem sido um dos destaques da cena britânica, com um futuro mais que promissor. “Kentucky” abriu o set com o público correspondendo bem à canção. Em “Seen It All” e “Me and You”,  o esperado aconteceu: a agitação da plateia foi intensa e o coro de vozes, altíssimo.

Extremamente técnico ao vivo, cada música ganhava uma versão bem mais competente das já existentes nos álbums, com solos, extensões e novos arranjos. Em alguns momentos mais “baladinha”,  Jake ficava sozinho no palco, aproximando mais ainda o público ao show. Já com a guitarra elétrica, o grande destaque fica para “What Doesn’t Kill You”, hit do último disco do cantor, extremamente aplaudida.

DSC01714

Bastante influenciado pela música britânica, desde Rolling Stones até nomes mais atuais, Jake logo embalou outro hit: “Two Fingers” foi mais um momento alto do show, com a casa explodindo em euforia. “Messed Up Kids”e “Ballad of Mr. Jones” mostraram que o garoto não estava pra brincadeira,  também deixando claro que ele combina mais com lugares pequenos.

No bis, ainda rolou um excelente cover de Neil Young, em “Hey Hey, My My”, sendo seguido de “Lightning Bolt”, outra canção esperadíssima em seu repertório. Assim, mesmo antes do show no festival, no dia seguinte, Jake Bugg mostrou com originalidade que já tem uma base boa de fãs em terras brasileiras – e seu retorno já é mais do que aguardado!