Conheça a banda canadense Half Moon Run

Half Moon Run

Half Moon Run é uma banda de indie rock canadense, de Montreal,  formada por  Devon Portielje,  Conner Molander, Dylan Phillips e Isaac  Symonds. Os integrantes possuem idade entre 21 a 25 anos  e carregam nas costas uma formação musical bastante sólida, graças a uma  grande referencia de compositores clássicos e modernos, que serviram como inspiração. O grupo surpreende com a diversificação sonora, que vai de arranjos psicodélicos a influências eletrônicas, fundindo percussão, bandolim, teclado e guitarra.

O primeiro álbum, Dark Eyes, foi lançado em  2012 e  recebeu criticas positivas. Logo, a banda embarcou em uma maratona de 32 shows em 32 dias em turnê pela Europa, incluindo também abertura de  shows de nomes como Mumford and Sons e Of Monster and Men.

Devon, vocalista, é de Ottawa e trabalhava como funcionário publico. Filho de pai músico, já cedo adquiriu gosto pela música e, aos 11 anos, com ajuda de seu pai, aprendeu a tocar guitarra. Quando conheceu Conner e Dylan, nenhum deles sabiam o que seriam de suas vidas profissionais. Dylan estava pensando em se  mudar para a Alemanha, com o intuito de se dedicar à música clássica, enquanto Conner estava planejando ser bombeiro. Apesar disso, ele também tinha vontade de trabalhar com música.  A motivação cresceu e logo largaram suas rotinas e  planos incertos para dar inicio a uma estrada musical que acabou por  atrair muito fãs, com uma pegada folk rock sessentista e ruídos  à la Radiohead.

Para Ben Lovett , integrante do Mumford and Sons, o Half Moon Run é uma das bandas de maior potencial que estreou  em 2012. Posso estar sendo atrevido quanto à minha opinião, mas eles conseguem fazer um ótimo som progressivo sem ser pretensioso”. Vale ficar de olho.

  • Ivani Stanchi

    A primeira vez que ouvi Half Moon Run foi na MTV e bastou um pequeno trecho de uma música para eu me apaixonar pela banda. Adoro bandas com esse tipo de som, e sempre digo ao meu filho que a gente reconhece uma banda de qualidade só de ouvir um trechinho. Logo percebi que eles tinham conhecimento musical, não é qualquer um que faz músicas assim. Concordo com o atrevimento do Mumford and Sons!