Conheça o trabalho solo de Cícero, ex-vocalista da banda carioca Alice

Canções de Apartamento é o título do primeiro disco solo de Cícero, ex-vocalista da banda carioca Alice, que deixou para trás o barulho das guitarras e iniciou seu trabalho solo acompanhado por Paulo Marinho (bateria) e Bruno Schulz (acordeon, piano e coro).

Letras muito bem elaboradas, quase melancólicas, cantadas pela voz macia e por vezes triste de Cícero, são acompanhadas pelos belos arranjos divididos entre violão, piano, bateria e acordeon. Canções de Apartamento traz temáticas despretensiosas, mas sempre muito sinceras. Partindo da MPB, Cícero traz influências do rock e do indie, acompanhados por certo experimentalismo, e cria uma atmosfera próxima à solidão de um apartamento vazio, mas cheio de lembranças, saudades e divagações.

O álbum foi lançado dia 22 de junho, de forma independente, e já pode ser baixado gratuitamente no site oficial do músico, é só clicar e baixar. Mas antes, escute “Tempo de Pipa” para ter um gostinho do disco!

  • Luma

    Ouvi Cícero por intermédio de um amigo meu do Rio. E, me apaixonei por esse rapaz-poeta. 🙂
    Letras retóricas, com melodia de carnaval-melancólicas conquistaram meu coração.
    Canções de Apartamento já entraram pra um dos meus álbuns preferidos desse ano.

  • Pedro Rodolpho

    Disco extraordinário,já tinha conhecido pela resenha do Scream & Yell.Me arrisco a dizer que é o melhor álbum nacional que ouço em alguns anos,carregado de uma melancolia extremamente sincera de alguém que realmente viveu e acredita o que canta.

  • Eduardo Azeredo

    Muito bom ver um conhecido sendo divulgado como o Cícero está sendo. Ele discoteca em algumas festas aqui no Rio e sempre manda benzão, como fez neste álbum maravilhoso!

    O cara merece todo sucesso!

  • Fabiane

    Estou muito feliz pelo meu primo, ele arrebenta as músicas são maravilhosas e traz um sensação de paz maravilhosa e a vontade de quero mais. Parabéns primo!

  • Amanda

    Conheci o Cícero numa das primeiras matérias que sairam dele na internet (uma das 5 mil que saíram nas últimas semanas) e fiquei apaixonada pelo disco. Há muito tempo não sentia tanta sinceridade nas letras, voz e arranjos. Senti exatamente o que fala na matéria, são temáticas despretensiosas, porque são reais. São de verdade. Toda a coisa de abrir seu “apartamento”, “dores”, “expectativas”, num disco foi muito bonito de ver. O sucesso enorme que o disco vem fazendo na internet com menos de 3 semanas no ar com certeza vem disso. As pessoas, assim como eu, estão vendo um artista de verdade se expressando nas músicas. E não mais um ego em busca de flashes ou um jovem sedento pra tocar guitarra para meninas histéricas. Como a safra de compositores brasileiros dos anos 60 e 70, Cícero me parece que tá chegando pra ficar. Que bom!

  • Paola

    Conheci esse menino pelo falatório que tá inundando a internet sobre ele e confesso que fui ouvir com uma certa má vontade que tenho com essa “nova MPB” que pra mim é tão sem sal e sem alma.

    Como adorei estar errada.

    Ele tem EXATAMENTE o que sinto falta na nova MPB: ALMA.

    As letras, a voz, os arranjos, as guitarras, tudo faz parte de um sentimento único de se expressar artisticamente e isso me emocionou. Mais do que cada coisa isoladamente.

    Espero muito que ele consiga sair do mundo digital e consiga se mostrar para o Brasil real, de pessoas que só assistem TV e andam em ônibus lotados… porque esse país precisa voltar a ter artistas sinceros, menos preocupados com a perfeição, com o êxito, com a grandiosidade e mais preocupados em alimentar corações com verdades miúdas.

    Parabéns Cícero, Parabéns Move That Jukebox por ajudar a boa música a acontecer.

  • Há muito tempo não lançam uma musica tão linda como Tempo de pipa, Cícero é quase tão bom quanto Marcelo Camelo.