Conheça todos os artistas selecionados no edital da Natura Musical em 2017

E saiba detalhes sobre os projetos que estão por vir

Desde 2005, a Natura Musical abre editais para incentivar a música nacional e debaixo de sua tutela, ano passado alguns discos foram selecionados como melhores do ano, a exemplo do O Terno, Rael, Saulo Duarte e Graveola. Aqui distrinchamos todos Conheça os 25 artistas selecionados pelo projeto, que estão enquadrados na categorias Nacional, Pará, Bahia e Rio Grande do Sul. Tem gente conhecida aqui do Move That Jukebox e de vocês também!

Edital Nacional

Hermeto Pascoal e Big Band: Hermeto quase não precisa de apresentação. O genial músico alagoano prestigiado dentro e fora do país que ajudou a aproximar a música instrumental do grande público agora se junta à Big Band para a gravação de um disco e um documentário. Daí, nem escolhemos uma música, mas uma entrevista que deu à Folha ano passado.


Paulo Miklos: com dois álbuns solo, Paulo Miklos (1994) e Vou Ser Feliz e Já Volto (2001), o ex-integrante dos Titãs lançará seu terceiro disco, que pretende refletir sobre a vida contemporânea urbana. Abaixo, Você não sacou”, que está no último álbum. Agora com tempo para se dedicar a carreira solo, o artista pode trazer coisas boas, depois que encenou também Chet Baker no teatro.

Anelis Assumpção: começando como backing vocal do pai, Itamar Assumpção, a cantora e compositora se destacou com seu álbum Anelis Assumpção e Os Amigos Imaginários (2014), ganhando o prêmio APCA de Melhor Intérprete (2014) e fazendo uma turnê em Portugal. Uma das últimas que lançou foi “Declaração”, uma parceria com Kiko Dinucci e Céu e que aponta para o samba. Será que é o que podemos esperar da artista?

Johnny Hooker: artista pernambucano e importante nome na cena musical LGBT, Johnny já faturou diversos prêmios nacionais e é nome confirmado no Rock In Rio 2017. Seu terceiro álbum pretende mergulhar ainda mais fundo nas influências tropicalista e latina. Aqui apresentamos seu último videoclipe “Você Ainda Pensa?”, que tem participação da atriz Renata Sorrah.

Nina Becker: após iniciar sua carreira musical com a banda Orquestra Imperial, a carioca foi reconhecida como melhor cantora pela APCA antes de mesmo de lançar seus dois discos, Azul e Vermelho, ambos em 2011.

Xênia França: a cantora é reconhecida por sua atuação na big band Aláfia e suas diversas participações em álbuns nacionais. Agora, Xênia entra em carreira solo projetando abordar temas como o empoderamento feminino. Com certeza um dos álbuns que mais queremos ouvir!

Edital Nacional (Voto Popular)

Rubel: o cantor e compositor carioca estreou em 2013 com o disco de produção caseira Pearl, misturando o folk rock e MPB. Ganhou maior reconhecimento com a música “Quando Bate Aquela Saudade”. O último lançamento foi o videoclipe de “O Velho e o Mar”, que você assiste agora.

Sofia Freire: Juntando desde música erudita até psicodelia, as letras sonhadoras da pernambucana de 19 anos compõem seu elogiado registro de estreia, Garimpo (2015).

Edital Pará

Arthur Nogueira: tendo três discos lançados, Mundano (2009), Sem Medo Nem Esperança (2015) e Presente (2016), Arthur foi apontado pelo jornal O Globo como responsável por “renovar a tradição dos poetas na canção brasileira”. Aqui, ele junta o Pará com o pop de Lulu Santos numa versão para “O Último Romântico”.

Lucas Estrela: guitarrista de formação acadêmica, Lucas já integrou a banda de Gaby Amarantos e lançou um álbum solo em 2016, Sal ou Moscou, em que gravou todos os instrumentos e programou as faixas eletrônicas.

Luê: com um disco lançado pelo Natura Musical em 2013, A Fim de Onda, a artista trabalha experimentalismos sonoros com a eletrônica e tem uma sonoridade descrita como “livre de gênero, pura e simplesmente música brasileira”.

Paulo André Barata: Juntamente com seu falecido pai, Ruy Barata, está entre os maiores compositores de MPB do Pará com influência do carimbó. Seu novo projeto comemora seus 70 anos, dando nova roupagem a clássicas canções.

Pio Lobato: Nome revolucionário da guitarrada brasileira, Pio foi o grande pesquisador do estilo nos anos 90. Agora com seu sexto disco, suas novas pesquisas feitas ao longo de vinte anos resultam em um trabalho variado e experimental.

Os Reis do Eletro: David Sampler, Joe Benassi, Marcos Maderito e Waldo Saquash são os responsáveis por levar a música eletromelody (mistura entre a eletrônica e o tecnobrega) às plateias periféricas em festas de aparelhagem em Belém. Juntos farão um DVD para mostrar o estilo para o país. Como não há registro deles juntos, nada de Youtube por aqui

Strobo: O duo que mistura rock, carimbó, guitarrada e música eletrônica já tocou na Virada Cultural, possui três discos e atualmente trabalha com Marina Lima. No novo projeto, irão gravar dez vídeos tocando suas músicas nas ruas de Belém. Veja abaixo “Vingativa”, mais recente videoclipe e que marca o iníco da coloboração entre a banda e a artista.

Edital Bahia

Livia Mattos: já tendo colaborado com Dominguinhos e Chico César, a multi-instrumentista com origens circenses já realizou turnês europeias e agora lançará seu novo álbum e apresentará sua performance, A Sanfonástica Mulher-Lona.

Luccas Santana: seu disco Sem Nostalgia, de 2009, foi aclamado por veículos como o jornal francês Liberation, a revista Bravo! e a Rolling Stone norte-americana. Com 16 anos de carreira, agora o artista pretende divulgar Modo Avião, que possui formato “áudio-cinematográfico”. Aqui ele explica melhor o que isso tudo quer dizer.

Matheus Aleluia e os Tincoãs: Os Tincoãs foram um trio que atuou nos anos 60 e 70 e fez história na música baiana. Em 2017 será lançado o livro Nós, Os Tincoãs, juntamente com shows e discografia relançada. Enquanto isso, você aproveita o belíssimo disco de Matheus Aleluia.

OQuadro: Com seu álbum homônimo lançado em 2012, o grupo que mistura influências regionais e hip hop já participou de festivais na Europa que apresentaram nomes como Paul McCartney e Kendrick Lamar.

Talita Avelino: Talita lançou em 2013 seu álbum Pequena Flor. A paulistana radicada em Salvador foi finalista no Festival Nacional da Canção de 2013, interpretando sua composição “Flor que não se cheira”, e hoje faz parte do grupo Las Marditas.

Xangai: Considerado ícone da canção regional, Xangai luta para preservar a “música de raiz”, se mantendo longe de modismos. Com 17 álbuns gravados, agora ele apresenta uma série online chamada “Catingueiros”, em que interpretará clássicos de sua terra. Aqui você escuta a música que fez parte da trilha sonora de “Velho Chico”, novela da Globo, ao lado e Elomar.

Edital Rio Grande do Sul

Dom La Lena: Com formação clássica no Conservatório Superior de Paris e de Buenos Aires, porém posteriormente dando mais atenção à música popular, lançou seu primeiro álbum Ela em 2013, alcançando êxito na crítica. Também já participou de turnês de Jane Birkin e Jeanne Moreau.

Dingo Bells: o trio Rodrigo Fischmann, Diogo Brochmann e Felipe Kautz despontaram no cenário musical em 2015 com seu álbum de enfoque existencial Maravilhas da Vida Moderna. Além disso, brilharam nos shows no Lollapalooza e no Planeta Atlântida.

Renato Borghetti e Yamandu Costa: representando mundo afora a música regional instrumental, os dois artistas pretendem registrar em CD e DVD sua parceria, tocando gravações do início de carreira.

Quinteto Persch: gênios da música gaúcha com o objetivo de difundir o acordeão na canção regional e brasileira, são o único grupo no país com esta formação instrumental, inusitada no Brasil e no exterior.

]