CSS lança “I’ve Seen You Drunk Gurl”, primeiro single do novo disco da banda

Depois da conturbada saída de Adriano Cintra, um dos principais responsáveis pelo boom da banda, em meados da década passada, e principal “faz-tudo” do grupo, o CSS tenta mostrar que ainda é sexy – e pra isso, se refugiou na pista de dança.

Sob o comando do grande Dave Sitek, uma das cabeças do TV On The Radio, Lovefoxxx e amigas mostraram como deve soar a nova fase da banda, que ainda não tem data para lançar seu quarto álbum de estúdio. “I’ve Seen You Drunk Gurl” foi divulgada pelo selo Federal Prism, do próprio Sitek.

Com infinitos quatro minutos de duração, a música é um electro preguiçoso e sem vergonha – e se isso soaria ousado e divertido na mão de outros artistas, por aqui, é constrangimento puro. Barulhinhos aleatórios, beats manjados e letra adolescente. Esse é o novo – e desanimador – CSS. Ou não. Torcemos para que o novo single não reflita a sonoridade do restante do disco.

Mas enquanto ele não chega, alguém mais está escutando as risadas de uma das metades do Madrid por aí?

  • Pingback: Resumo musical da semana « Cultura no Prato()

  • Rabiosa Desdenhosa

    …ai, ai…como se Madrid tivesse feito algo relevante!!!

  • Hidrofobia nervosa

    Olha, eu acho que esse projeto Madrid está sendo muito superestimado… Admito que ele revelou um lado muito mais “erudito” por assim dizer do Adriano e da Marina, mas as pessoas estão tratando como se fosse uma dupla de compositores barrocos reencarnada. Chega né.

    Fora isso, concordo quanto a crítica a “I’ve Seen You Drunk Girl”. Música péssima, lixo, repetitiva e desanimadora. Uma decepção. CSS já vinha decaindo desde Donkey, porém conseguiu fazer um bom álbum que foi o La Liberación. Entretanto, atualmente elas são vistas como extremamente ultrapassadas e obsoletas no cenário indie internacional.

    Elas até podem ter feito algum barulho, algum “hype” naquela cena musical pós-electroclash/new-rave que durou entre 2005/2007, mas hoje elas são o resquício de uma piada que não tem mais graça em ser contada.

    Com ou sem Adriano Cintra, essa banda já passou da hora de pendurar as botas.