Cults – Cults

A história do Cults me lembra um pouco do que aconteceu com o filme “A Origem” – comparação estranha, eu sei. Mesmo antes de que algumas informações chegassem ao público já existia um puta de um hype envolvendo o filme. No caso do Cults, enquanto as primeiras faixas da banda iam pipocando pela web, era bem difícil achar qualquer informação sobre eles, apesar da grande quantidade de comentários rolando por aí. Imagine procurar o termo “Cults” há algum tempo no Google – aparecia de tudo, menos a banda. Eles não tinham site, não tinham MySpace, não tinham nada.

Enfim, depois dessa onda de mistério já é possível ter algumas informações sobre a dupla. Fomada pela vocalista Madeline Follin e pelo guitarrista Brian Oblivion, a dupla é sediada em Nova Iorque e, ao que tudo indica, os dois são estudantes de cinema que começaram a fazer música de bobeira. O negócio foi indo tão bem que Cults não é somente o nome da banda apenas, mas também o nome do competente debut deles.

Algumas das principais características da banda – desde o fato de serem um duo, passando pelo vocal feminino e o aspecto de dream pop – fazem com que ela sofra algumas comparações, principalmente com nomes como She and Him e Beach House. E, realmente, em alguns pontos, é quase impossível não traçar esses paralelos.

Mas não vá se enganando achando que a audição do primeiro álbum da dupla trará apenas uma cópia de alguns nomes que estão mandando bem na cena musical. O Cults traz algumas faixas muito interessantes, algumas já conhecidas do público, como é o caso da felizinha “Go Outside” – que é uma das músicas mais fortes do trabalho. Ela parece ser a essência da banda: um som simples e bom para ser curtido em uma festa ao ar livre. Outras boas faixas são “Abducted” – que abre o CD e que tinha até ganhado um clipe (acima) – e “Never Heal Myself”.

O bom LP de estreia e a falta de informações no começo conferiram à banda uma aura interessante, que talvez tenha sustentado uma curiosidade maior do que o normal. Se continuarem com a criatividade e o clima legal que colocaram no primeiro álbum, o duo ainda vai dar outros bons álbuns para serem resenhados, assim como este debut.

O trabalho já está disponível para streaming no site da NPR. Para facilitar, o player está embedado abaixo.