Datarock @ Estúdio Emme – São Paulo, 24/03/11

Muito tempo atrás, no longínquo ano de 2007, um dia antes desse blog nascer, eu saí do show de uns caras uniformizados com jaquetas vermelhas sem voz, extasiado e com uma certeza: teria que ver um show do Datarock de novo. O tempo passou e vieram novas bandas, novos discos e outros shows desejados, me conformando de que talvez não os veria mais. Mas um dia desses alguma pessoa de bom coração resolveu trazê-los para São Paulo, e aí já sabe…

Logo de cara veio “Give It Up”, uma das melhores músicas do último álbum, um ótimo cartão de visitas para aqueles que não sabiam do que eles são capazes. O Estúdio Emme tinha um clima bem agradável e apesar de estar longe de sua lotação máxima, os presentes pareciam estar dispostos a se soltar. Como no último show deles por aqui, isso foi rolando aos poucos. Eles precisaram conquistar a maior parte do público, o que não foi díficil. A sequência de “True Stories”, “Dance!” e “Nightflight to Uranus” foi muito bem recebida, assim como as duas músicas novas, que Fredrik fez questão de perguntar várias vezes se havíamos gostado.

O ápice veio com “Fa Fa Fa”, e aí meu amigo, ninguém era mais de ninguém. Todo mundo dançava, pulava e entoava as sílabas que nomeiam a música. Depois ainda veio “Computer Camp Love”, “I Used To Dance With My Daddy” e o tradicional cover de “The Time of My Life”, que costuma fechar os shows deles da forma mais apoteótica possível, e que pelo que consta no script deveria ser mesmo o encerramento.

Mas o som estava bom, o clima uma maravilha só, ninguém queria que acabassem os riffs, os solos de saxofone e o ritmo balançado. Então fizemos um acordo: a banda iria embora fingindo que o show havia acabado e depois voltaria, combinado? Voltaram, descamisados, suados e dispostos a manter a temperatura lá em cima por mais um bom tempo. E já que a festa estava armada mesmo, eles resolveram aproveitar. O baixista se jogou na galera enquanto tocava, o tecladista/saxonista/animador de plateia desceu e tirou uma garota para dançar e o baterista amarrou um sutiã na cabeça (que simplesmente voou da pista para o palco). Fecharam com “Ugly Primadonna” e depois de juras de amor ao público deixaram o palco ao som de um remix de “California”, uma das músicas novas, mostrando que eles saem do palco mas a festa continua. E eu, satisfeito por ter realizado um “to-do” de 2007 vi nascer um novo desejo: tenho que ver um show do Datarock de novo.

Foto por Michel Salvianoeltoron.com
Vídeo por Diego Maia

  • Laura Catta Preta

    Eu tb vi o show do Planeta Terra sem conhecer a banda e achei incrível, mal acreditei que eles tinham voltado!

    O sutiã não chegou no palco haha, chegou em mim, e eu re-joguei ele.

  • ÓTIMO! Simplesmente ótimo!
    Eu estava tbm em 2007. Acho q todos que estavam sairam dali com o mesmo desejo de ve-los novamente – e novamente agora!

    By the way – eu estava ali colavo no palco…e de repente a dona do sutiã aparece do meu lado, junto a seu marido, os dois sorridentes e orgulhosos do feito!!!! hahahah
    Datarock effect!? Who knows! rs

  • ai…como eu keria ter ido…