Documentário: Synth Britannia – A história do Synthpop


No final dos anos 1970, a expansão das grandes cidades européias fazia os jovens sonhar com o futuro, embalados pelo som do Kraftwerk e pelas histórias de J. G. Ballard e pelo Cinema de Stanley Kubrick. A partir daí, grupos como The Human League e The Silicon Teens (que contava com Daniel Miller na formação) adotavam o sintetizador como instrumento e nomes como Depeche Mode e outras instituições ajudariam a (re)inventar um novo gênero musical, que em pouco tempo (graças a grupos pós-punks como Ultravox, Soft Cell, OMD e Yazoo) estaria estampando as capas das principais revistas especializadas em música. Pet Shop Boys e o New Order mostrariam, definitivamente, que o futuro da música eletrônica seria agitar as pistas de dança ao redor do mundo. Mas dizem mesmo que o momento crucial da história do Synthpop foi quando, em julho de 1979, Gary Numan e sua banda Tubeway Army apareceram no lendário programa Top of The Pops, apresentando o rock sintetizado para o resto da Europa. E se você pensa que o mundo passou a ser dominado pelas máquinas depois do Google e que o Brasil era o país mais cafona dos anos 1980, você precisa assistir ao documentário “Synth Britannia: The Story of SynthPop” (produzido pela BBC4 em 2005). O filme ainda conta com depoimentos de Philip Oakey, Vince Clarke, Martin Gore, Bernard Sumner, Gary Numan, Neil Tennant, entre outros. O vídeo está em inglês, e não possui legendas. Boa sessão.

Fonte: Degenerando Neuronios

  • Orgulhosamente Vitorinha tem o Zé Maria com seu belo Synthpop, com certeza influenciaram-se.