Entrevista: Francisca Valenzuela

Francisca Valenzuela nasceu em San Francisco, Califórnia, mas se mudou para Santiago, Chile, aos treze. Já tem dois discos na bagagem e atualmente divulga o independente Buen Soldado. Ano passado ela foi atração do palco principal do Lollapalooza Chile e nos próximos dias se apresentará no SXSW, no Texas, onde tocou também em 2011.

Seu som vai do pop ao rock alternativo, com influências de jazz e folk. O piano é seu principal instrumento, mas ela também se aventura pelo violão, sempre acompanhada por uma banda completa nos shows. Antes de ser uma cantora profissional, publicou 2 livros, um em inglês e outro em espanhol. Conversamos com ela via e-mail e você confere a entrevista a seguir.

Move That Jukebox: Qual é a melhor coisa em ser uma artista?

Francisca Valenzuela: Fazer coisas tão diversas; ser criativa, criar conteúdo, o desafio de ter uma carreira independente tão dinâmica e com tantas mudanças; liberdade.

MTJ: Você é conhecida como a princesa do rock chileno. Você concorda com esse título?

FV: Esse título veio de um artigo da Rolling Stone depois que eu participei de um grande festival chamado Vive Latino. Eu acho que se o título vem numa situação de reconhecimento, à capacidade de compor e executar, feminilidade e humor, está ok ;). Eu realmente não me apoio no que eles me chamam, apenas me sinto sortuda o suficiente por haver interesse em minhas músicas, minhas palavras, meu projeto.

MTJ: Artistas latino-americanos usualmente tem dificuldades em alcançar os Estados Unidos, algumas bandas até mesmo cantam em inglês como forma de alavancar suas carreiras internacionais, mas você já fez diversos shows por lá. Quais são os principais obstáculos ao se tocar nos Estados Unidos?

FV: Eu sempre escrevi e cantei em inglês e espanhol, e continuarei a fazer isso – eu acho que tenho me apresentado e cantado mais em espanhol devido ao fato de viver num país que fala espanhol, e quero que as pessoas me entendam. Letras e comunicação são importantes!!! Creio que atingir os EUA é importante e, sem dúvida, difícil, mas se você fizer músicas interessantes e um bom show ao vivo – e no meu caso eu me apresento em ambas as línguas – é o suficiente para explorar apresentações por lá.

MTJ: Recentemente, os seus instrumentos foram roubados no estúdio. Como você se sentiu quando isso aconteceu?

FV: Foi terrível, eles roubaram TUDO. Todo o nosso patrimônio de equipamentos e instrumentos, meu e de meus músicos. Felizmente, fizemos uma grande campanha online e na imprensa para evitar a revenda desses equipamentos, e nós surpreendentemente recuperamos um terço de tudo. Foi uma grande perda e me senti muito desconfortável e vulnerável, mas é uma coisa horrível que acontece com as pessoas comuns e é preciso simplesmente continuar a trabalhar, e ser grato por nada ter acontecido a seus entes queridos.

MTJ: No ano passado você veio ao Brasil pra tocar com a Ana Cañas. Quais foram as suas impressões do público daqui?

FV: Eu estava em turnê com o Paulinho Moska e a Ana no festival Soy Loko Por Ti America, em São Paulo e Brasília, e foi EXTRAORDINÁRIO. “Eu tenho saudade do Brasil!” Hahaha. “Eu tenho saudade do Açaí!” Hahaha (Nota: as duas últimas frases foram em português). A música e a cultura brasileira são absolutamente maravilhosas e minhas experiências tocando lá foram extraordinárias. A plateia estava atenta, tinha um humor excelente, estavam relaxados e tinham um ritmo perfeito quando batiam palmas acompanhando a música!

MTJ: Buen Soldado acabou de ser lançado na Espanha esse ano, quase um ano depois do lançamento original. Você está longe de um novo álbum, ou já está trabalhando em novas composições?

FV: Estou trabalhando lentamente em novas canções em espanhol e inglês. Esse é um álbum independente, por isso tem sido um trabalho duro lançá-lo por todos os EUA, América Latina e mais, bem como promovê-lo e tocá-lo. Mas agora ele está lançado, crescendo, e novos videoclipes e singles vem por aí. Estou animada em continuar promovendo-o e tocando-o para em breve começar a imaginar e criar um novo álbum!

Todas as fotos foram retiradas dos álbuns da cantora no Facebook.

Pra conhecer o som da moça, visite sua página no Soundcloud.