Feist – Popload Gig Residências – 23/10/12 no Cine Joia, em São Paulo

Acabava de passar das 23h e Leslie Feist subia ao palco sozinha, somente com sua guitarra. Aos sorrisos e com toda simpatia do mundo, entoava os primeiros versos e acordes de “Intuition”. A plateia, que enchia a casa, reagia bem demais. O jogo já estava ganho.

Talvez fosse a espera do público pela a visita da cantora (que já havia cancelado um show em 2007) que já deixava todos mais fervorosos. Ou talvez fosse a esperança de ouvir os hits ou as lindas canções do novo álbum. Até a saudosa lembrança da canadense no Broken Social Scene poderia ser um desses fatores. Mas a verdade é que era o carisma da cantora que encantava. Não só o carisma, é verdade, mas essa parecia ser a chave de Feist. E essa chave abria a cabeça do público presente.

Com a cabeça de cada um dos presentes aberta (ao menos, essa era a sensação, apesar das constantes conversas que rolam por parte do público mal educado / desinteressado por natureza), ficava fácil encaixar cada detalhe do que acontecia no palco de forma inebriante. Desde as canções mais difíceis aos hits (e sem precisar se apoiar em “1234”), Feist e sua banda mais que competente – com apenas 3 integrantes –  aplicavam doses interessantes de ótimos arranjos e execução. Os metais soavam perfeitos, as guitarras, a bateria criativa e até o violão cheio de efeitos. Destaque para o fofo trio de backing vocals que seguravam bem o clima da noite até com coreografias.

Uma situação interessante era ver como as faixas do disco novo funcionavam bem ao vivo. Não que restasse dúvida quanto a isso, mas por vezes elas atingiram o auge do show, batendo até as canções mais esperadas. Só talvez não foram os melhores momentos do show porque houve uma variedade muito grande deles e ficou difícil decidir: “So Sorry”, com um coro afinado pela própria Feist, ou “Gatekeeper”, de um jeito delicado? “The Bad in Each Other” arrebentando ou um momento Broken Social Scene com “Lover’s Spit”? Versões arriscadas, como a de “The Limit to Your Love”, ou “Secret Heart”, que trouxe a cantora de volta pra um segundo bis?

Difícil escolher. E talvez tenha ficado difícil pra Feist também escolher o melhor momento da noite, pois ela parecia se divertir tanto quanto o público. Quando encarava uma guitar hero, quando conversava com o público, quando realizava um estranho ritual, quando gritava fora do microfone, quando regia as vozes, quando recebia convites para morar aqui… Se foi bom pra ela como foi pra gente, que isso a faça voltar mais vezes. Quem sabe assim não matamos essa dúvida sobre qual é o melhor momento do seu show. Por enquanto, a resposta é: Leslie Feist por inteiro.

  • Talvez vc tenha ficado proximo do local que eu estava p/ ver o show.

    Meu deus! Ao meu lado tinha um grupo de pessoas que nao paravam de conversar durante todo o show, era vergonhoso. Por causa dessas pessoas a experiencia de alguns com o show acaba não sendo 100%.

    Eu particularmente achei um show impecável, os novos arranjos para as musicas antigas funcionaram suber bem.

  • João

    Vocês tem/sabem o setlist completo do Show do dia 23? Queria saber tudo q ela cantou.

  • É, Caio. Eu tava num lugar muito bom com o pessoal só participando mesmo… quando saí (pra não ficar na frente da galera atrás, já que sou alto) me arrependi. Uma turminha conversando sobre assuntos realmente indispensáveis naquele momento. =\
    Mas nada que um bom “xiiiiu” não resolva. =P

  • João, ainda não.
    Tô de olho lá no setlist.fm mas nada ainda.
    Saindo, posto aqui. =]

  • João, Ibere o Cine Jóia postou o set list dos dois dias

    http://www.facebook.com/photo.php?fbid=441096145925602&set=a.256950837673468.54156.202704739764745&type=1&theater

    O da esquerda é o de ontem. A foto é da Luciana Carpinelli

  • Show lindo demais… Só isso

  • Paula

    o show foi lindo, sensacional. mas o Cine Jóia é uma porcaria. fizeram uma passagem de som de quase 4h no primeiro dia e quase 2h no segundo e continuavam os ruídos e microfonias. no primeiro show disparou um ALARME no meio de Lover’s Spit. muita vergonha alheia. fizeram o Cine Jóia todo bonitinho, mas esqueceram o principal para uma casa de shows: a qualidade do som.