Festival Natura Nós: Snow Patrol e o rock para as massas

Tenho que confessar que conheço pouco do Snow Patrol, praticamente nada. Mas também tenho que confessar que o show dos caras não decepciona os fãs. A banda já abre mandando uma mensagem para os brasileiros no telão:

E aí os caras entram e, de cara, manda um dos maiores sucessos, “Open Your Eyes”. O álbum Eyes Open, aliás, é a grande base do show, respondendo por seis das catorze faixas do setlist. Estão ali “Shut Your Eyes”, “Hands Open” e Chasing Cars”, entre outras. Para “Set The Fire To The Third Bar”, feita originalmente em parceria com Martha Wainwright,  o vocalista Gary Lightbody anuncia: “todas as vezes que a gente toca essa música, eu arranjo alguém para cantar comigo, mas desta vez eu não arranjei, então vou cantar sozinho”. Tadinho.

Lightbody é muito comunicativo. Ele fala vááárias vezes que este é o último show da turnê de dois anos, e o último antes de a banda gravar o próximo disco, e tenta mostrar como isso é grandioso e importante. Diz, com uma certa teatralidade, que a banda foi apresentada, no dia anterior, às caipirinhas brasileiras, e que por isso não se lembra de muito do que aconteceu. Arrisca também uns termos em português até que, em certo ponto, diz que vai ficar só no “obrigado” porque não quer arruinar a língua.

É bom que a comunicatividade seja divertida num show do Snow Patrol, porque, com todo o respeito, as músicas não são. Uma banda que tem três guitarristas, dois bateristas e um baixista com um fucking Rickenbacker deveria ser uma monstra instrumental no palco. Mas as músicas são quase todas baladas, misturando tecos de Britpop com pitadas de soft rock e, eventualmente, algum rock de arena. É a mesma receita do Coldplay e, acredite você, o Snow Patrol tem até uma música com “ô ô ô ô ô” pra platéia cantar em coro. Não sei qual veio primeiro, se a deles ou a do Coldplay, mas isso dá uma boa noção de aonde o Snow Patrol quer ir.

Faz falta um pouco de ousadia e peso na música dos caras, mas, para ser bem honesto, isso é problema meu. Senti claramente que os muitos fãs que encararam a chuva e a lama da Chácara do Jóckey pelo Snow Patrol saíram satisfeitos do show. Ótimo, então. Até porque esses fãs vazaram depois e abriram espaço para eu ficar na grade.

  • achei interessante a comparação entre as fórmulas de Coldplay e Snow Patrol, mas no resultado final, vejo muitas diferenças.
    A mesma falta de ousadia do Snow Patrol vingou no lado do Coldplay, que fez um cd comercial e diferente do costume no seu quarto disco.
    E não estou defendendo o Viva La Vida, pois nem gosto tanto dele assim…

    No mais, não vejo nada de errado em baladinhas, rockzinhos de arena, influências de britpop… às vezes são enjoativas, mas às vezes são bem gostosinhas…