#FicaDica: 2DE1

Os gêmeos de 2DE1. Foto: Jonas Tucci/Divulgação

Fernando e Felipe Soares são irmãos e mais, são gêmeos e acabam de lançar o projeto 2DE1, com vídeo exclusivo no site da Red Bull, “Casal 72” (assista abaixo). O duo dos irmãos manda o preconceito pro lado e joga na cara do sociedade sua música que canta o amor livre. Influenciados pela MPB, R&B e black music, estilos que ficam claros, quando perguntamos como tudo começou: “Começamos a cantar de criança, já cantando na escola, algo que começou naturalmente, e que não sabemos dizer exatamente o momento de estopim. Sempre foi da gente revisitar gêneros, buscar referências em tudo que a gente ouve e até vê e vive andando por aí. Influências que vão de Amy WinehouseSilva, de Cauby Peixoto a Sampha, de Tulipa Ruiz a Solange. Sempre foi da gente misturar, e pra esse disco usamos influências do black music, do R&B, do pop, da mpb e do eletrônico”, contam.

O disco em questão é Transe, que sai em parceria com o selo Freak e tem dez músicas. O que achei legal é que a banda traz uma nova vertente do esteriótico do hétero e do gay. Porque, por mais que dentro da sua bolha social, você pode conheça uma série de pessoas de estilos e sexualidades diferentes, com certeza existe um pensamento coletivo do que é ser gay e do que ser hétero na sociedade. Dá uma olhada do vídeo que o Porta dos Fundos soltou chamado “Bicha”.

“Quando estávamos compondo pra esse álbum nos vimos com a necessidade de construir um discurso que fosse nosso, e fosse verdadeiro. Cantamos o amor livre porque é a nossa verdade. Somos gêmeos, porém muito diferentes. Um Gay, o outro hétero, um Drag o outro dentro de um relacionamento aberto. E essas diferenças fizeram com que a gente se aceitasse dentro dessas nossas diferenças, e é assim que a gente vê o mundo. Que as pessoas tenham liberdade pra amar do jeito que quiserem, e serem felizes do jeito que quiserem!”, refletem.

E por isso, surgiu uma ideia para fundamentar melhor este discurso, algo que fosse além do disco, da música em si. A banda resolveu fazer um site em que você tira uma foto sua e tem ela agrupada a foto de outra pessoa.

“A ideia do site surgiu de uma conversa entre o Selo Freak e a AKQA, com a intenção de apoiar a música independente. Eles curtiram o discurso do disco, e pensaram em como defender esse discurso. Fomos conversando, agregamos a agência Firee, e construímos o #LoveWindow. A AKQA fez toda a concepção do site e layout, (tanto do site quanto do disco, por sinal), a Freak deu todo o suporte de assessoria (e é responsável por toda a produção do álbum e assessoria do duo) e a Firee entrou pra colocar o site no ar. Ficamos bem felizes com o resultado porque além de as pessoas poderem se identificar com o nosso som, elas conseguem interagir com ele, e isso, pra gente, é incrível”, finalizam.

Escute abaixo Transe e liberte-se!

  • Entrevista foi realizada por e-mail e os dois responderam juntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *