#FicaDica: Rakta ou o power trio feminino que vem incendiando o underground

Durante show no Japão, as poderosas Rakta. Foto: Mateus Bondini/Divulgação

Rakta é um power trio paulistano e o som remete ao post punk e ao krautrock. É formado por Paula Rebellato (voz e teclados), Carla Borega (baixo) e Nathalia Viccari (bateria). A banda que por vezes já foi chamado de grupo punk feminista, lançou o segundo EP no ano passado (2016), intitulado como III, o trabalho é batizado dessa forma em alusão à nova formação da banda. Até então Laura Del Vecchio era quem assumia as guitarras.

Com o último trabalho lançado pelo selo norte americano Iron Long Records, a banda é um dos nomes expoentes no cenário independente brasileiro. Desde a criação do grupo em 2011 as mennas já têm no currículo duas turnês na gringas: em 2014 passaram três meses rodando pela Europa e recentemente estiveram em países como Japão, Canadá, EUA, México e Colômbia.

Durante essa tour rolou até uma participação no cultuado KEXP:

Que também está disponível para audição na Apple Music:

Sonoramente uma das características mais impactantes do Rakta é a atmosfera ritualística que a banda cria em torno das suas produçõe e isso não parece ser à toa. Rakta por si só é uma derivação de “raja” uma palavra que em sânscrito significa ser o “componente de energia, que produz movimento, força e expansão” e isso também pode ser visto no nome de algumas músicas: “Intenção”, “Filhas Do Fogo”, “Conjuração Do Espelho”, “Raiz Forte” e “A Busca Do Círculo”. Segundo as artistas, o nascimento da banda se deu em um momento de conexão com o sagrado feminino impulsionado pela leitura do livro “Mulheres que Correm com os Lobos” de Clarissa Pinkola Estés que resumindo de forma bem simplista, fala justamente da ligação da mulher com a natureza.

Vem ouvir: