#FicaDica: Sampha

Sampha faz músicas íntimas com bases eletrônicas e toques de rap e R&B. Foto: Ben Walker/Google Images

Sampha lançou em 3 de fevereiro seu disco de estreia Process (2017) pela Domino Records. O jovem artista londrino está na crista da onda quando o assunto é música eletrônica-indie-de-qualidade-com-toques-de-hip-hop. Seu álbum é simplesmente um vício. Se essa for a sua praia, duvido que não aconteça o que está acontecendo comigo, ouvir o álbum “Over and Over and Over Again” lá na Apple Music.

E por que fiz questão de falar da plataforma de streaming da Apple? Pois bem, porque não faz nem dois meses que o álbum saiu e Sampha foi convidado por eles para fazer um mini-doc, muito sensível posso contar, que mostra um pouco de sua história e foi dirigido por Kahlil Joseph, que só trabalhou nos vídeos da Beyoncé em Lemonade (2016).

Se você não tem a aplicativo da Apple não tem como assistir, o que faz com que você esteja perdendo tempo, porque eles te dão três meses de graça para experimentar (o que eu estou fazendo e amando, conto para vocês depois um pouquinho dessa experiência). Maaassss… Dá para saber um pouco da estética assistindo aos videoclipes de Sampha, como “Blood on Me”, música com letra pesada, mas que entraria facilmente na pista de uma festa que estivesse esquentando:

Ou o simples e lindo clipe de “(No One Knows Me) Like the Piano”, em que fala sobre o piano da casa de sua mãe, que faz parte de sua vida desde os três anos de idade e que ficava no subúrbio de Londres.

E na verdade, como muitos artistas que estão começando, é a vida de Sampha que está em evidência em todo o seu álbum. Ele fala de como sua família o deixou “voar”, mas como ele sabe que tem para onde voltar, do piano da infância, da mãe, dos avós e também de inseguranças da vida a dois, às vezes de uma maneira bem profunda. Em Process, o filme, o artista passa portanto, por Serra Leoa, país de origem de seus pais e pelo sul de Londres, em Morden. O vídeo de 37 minutos foi gravado em janeiro de 2017.

Obviamente você deve estar se perguntando como um artista que está apenas mostrando o seu primeiro álbum conseguiu tanta atenção, não é mesmo? Pois, antes de seguir sua carreira solo, Sampha trabalhou como compositor, cantor ou produtor de alguns artistas contemporâneos a ele, como a FKA twings, mas já tinha contato com grandes nomes como Queen B., Drake, Kanye West, Frank Ocean e esteve recentemente colaborando com Solange, no celebrado A Seat At The Table (2016). Ou seja, esse rapaz sabe onde se enfiar, não?! Para não dizer que eu estou mentindo, Sampha já cantou com o Drake no Jimmy Fallon, por exemplo.

Antes de você escutar o álbum, que já está em todas as plataformas de streaming, eis aqui uma performance ao vivo de Sampha para a NPR Music, tocando três músicas: “Plastic 100º”, “(No Onke Knows Me)” e “Blood on Me”.

Pronto, já pode se deliciar com Process (2017) no Spotify:

Leia também