Fim de semana de Los Hermanos em Porto Alegre

Os barbudos mais queridos do Brasil (haters gonna hate) desembarcaram esse fim de semana em Porto Alegre para dois shows da turnê em comemoração aos 15 anos da banda. Mais de 14 mil gaúchos passaram pelo Pepsi on Stage. Sábado o Move esteve por lá.

alFoto: Revista Noize / Fernando Halal

Sem atrasados e com o público ansioso, clamando pelo início, a banda subiu ao palco e, de cara, mandou o hit “O Vencedor”. Entre um sorriso de Camelo e uma piada de Amarante, veio “Retrato pra Iaiá” e “Todo carnaval tem seu fim”, ambas do álbum Bloco do eu Sozinho, fazendo tremer o chão da casa.

Hora de relembrar 2005. Luzes baixas, telões ligados e o combo “O Vento”, “Primeiro Andar”, as mil caretas e expressões de Amarante e “Morena”. Coro geral e total.

Foto: Revista Noize / Fernando Halal

Na metade do show, quando menos se esperava, surge um grito furioso. Era “Azedume”, representando o lado hardcore da banda e seu primeiro álbum, lá de 1999. Em meio aos aplausos inesgotáveis, “Sentimental” chegou para  o momento “todas chora”  derramar lágrimas. “A Flor” veio na sequência e caiu como uma luva.

Uma breve pausa e a atenção do público se volta para Rodrigo Amarante anunciando música inédita. Câmeras ao alto! “Um Milhão” tomou forma, bem ali na nossa frente, e adivinha, já tem vídeo:


Obrigada, Youtube!

A segunda metade do show foi dominada pelas faixas de Ventura – “Deixa o Verão”, “De Onde Vem a Calma”, “A Outra”, “O velho e o Moço”, “Conversa de Botas Batidas” e “Último Andar”, encerrando a apresentação com vinte e três músicas.

Fim do show? Claro que não! O bis começou da melhor forma possível na capital gaúcha, com um cover da banda Graforréia Xilarmônica – e o bairrismo imperou no Pepsi on Stage. Ok, o Los Hermanos tocou “Anna Júlia”, mas quem precisa falar dela quando se tem uma sequência de “Quem Sabe” e “Pierrot” encerrando a noite? Ah!

Foto: Revista Noize / Fernando Halal

É verdade que a interação entre os integrantes não é mais a mesma de dez anos atrás, mas levando em conta o tempo em que a banda ficou em hiato, não há do que se queixar. Os hermanos fizeram seu trabalho bem feito, animando o público do início ao fim.

Mas como nem tudo são rosas, quem estava esperando ouvir “aquele lado-b que só fã de carteirinha conhece”, se decepcionou. Foi um show de reencontro, comemoração e, acima de tudo, agradecimento. A banda entregou todo um repertório de clássicos, levando ao público um pouquinho de cada fase através de suas músicas. Só valeu!

Confira o set list completo:

01. O vencedor
02. Retrato pra Iaiá
03. Todo carnaval tem seu fim
04. Além do que se vê
05. O vento
06. Primeiro andar
07. Morena
08. Um par
09. Do sétimo andar
10. Azedume
11. Descoberta
12. Sentimental
13. A flor
14. Cara estranho
15. Condicional
16. Deixa o verão
17. De onde vem a calma
18. A outra
19. Um milhão (Faixa inédita)
20. Casa pré-fabricada
21. O velho e o moço
22. Conversa de botas batidas
23. Último romance

Bis:
24. Nunca Diga (Cover – Graforréia Xilarmônica)
25. Tenha dó
26. Anna Júlia
27. Quem sabe
28. Pierrot

  • Não só os gaúchos passarm por lá, essa paranaense aqui também não perdeu o espetáculo do dia 12.
    Amarante foi único em Condicional! Quem quiser conferir a performance é só buscar um vídeo na net, ele foi sensacional!
    Amei e queria mais!

    De Foz do Iguaçu-PR