Fonografando #2: calor, frescor e a nova música b(r)azuca

Olá. Esta é a Fonografando, o independente nacional em destaque no Move that Jukebox.

Black Drawing Chalks + Chuck Hipolito = Love Bazucas – Você já deve ter notado alguma semelhança entre o que hoje fazem os goianos do Black Drawing Chalks e o que no final dos anos 90 faziam os Forgotten Boys.  A forma como esses dois grupos trabalharam, explodiram e até se promoveram como banda se correspondem. Acontece que Chuck Hipolitho (vocalista dos Forgotten) sempre foi um grande parceiro do quarteto goiano e a sua vontade de fazer música em conjunto com eles nunca foi segredo para ninguém. Essa relação parece ter amadurecido quando, no final do ano passado, Chuck Hipolitho começou a fazer participações especiais em alguns shows do Black Drawing Chalks – pude presenciar o encontro durante o Goiânia Noise Festival em dezembro de 2009 e posso garantir que é de tirar o ar. Agora, para o bem do rock nacional, Chuck Hipolitho e Black Drawing Chalks investem oficialmente na parceria e começam a fazer (ainda mais) barulho como Love Bazucas.

No blog do Estúdio Costella, de Chuck Hipolitho, você pode conferir um relato técnico e algumas fotos das gravações. Pelo tom das expectativas gerais, o Love Bazucas deve ser tudo isso mesmo: sincero, quente e cru. Como BDC e Forgotten Boys soaram (soam?) em suas respectivas épocas.

E falando em Nagulha… – Diz o teaser que o primeiro registro fonográfico oficial do Love Bazucas sai dia 1º de março pelo portal Nagulha.com.br. Mas o Nagulha nasceu hoje, às 14h, como um projeto que “quer ser referência para a informação e discussão sobre a nova música jovem produzida no Brasil” – palavras deles próprios. Uma iniciativa de Alex Antunes (Bizz, Rolling Stone, General, Folha Ilustrada, Veja), Anderson Foca (DoSol) e Bruno Nogueira (Pop! Up), o portal já traz, em menos de 24 horas de atividades, resenhas musicais, textos analíticos e matérias de cobertura que só confirmam o nível de profissionalismo da história toda – as impressões de Alex sobre o circuito nacional de festivais independentes é a minha recomendação inicial de leitura.

Continue se esbaldando aí: www.nagulha.com.br

Transmissor, Eu & Você – O pop-rock mais refinado do país vem de Belo Horizonte. Outro tesouro musical da capital mineira, o Transmissor faz um som suave e soa como fonte de verdadeiro frescor para o pop nacional. Depois da idéia de exibir ao vivo as gravações de seu próximo disco via site oficial (o criativo transmissor.tv), a novidade da vez é o clipe de Eu & Você, certamente a melhor música do álbum Sociedade do Crivo Mútuo (inteirinho no Trama Virtual, baixa que compensa).

Os tons amarelos, a leveza da voz de Jeninha e a obsessão por televisores fazem desse clipe uma síntese bem justa do que é o Transmissor. Só assistindo pra entender:

O Holger vem aí – Depois de inúmeras demos, um bom videoclipe (logo abaixo) e da deliciosa Caribean Nights, o Holger entra em estúdio para gravar o seu primeiro disco. Apontados por muita gente grande como uma das apostas musicais mais certas para 2010, os paulistas estão experimentando e registrando tudo num home studio, orientados pelo produtor Roger Paul Manson (uma indicação do baterista do Dirty Projectors). O trabalho, que vai ter um título “que soe bem em qualquer língua”, pode ser lançado a qualquer momento entre maio e junho desse ano.  As gravações estão sendo documentadas por Guilherme Passos, membro do Bossa Nova Filmes e diretor de “The Auction”. Tudo pode mudar, mas o setlist do primeiro disco do Holger até o momento é esse aqui:

– Toothless turtles
– Beaver
– She dances
– No brakes
– Caribean nights
– Eagle
– Undesirable Regrets
– Who Knows
– Axé
– Transfinite
– Geneçambique

Você viu, nada de The Auction. Uma injustiça com o maior hit da banda?

Para fechar:

  • Não importa onde você está na América do Sul, é fevereiro e o Grito Rock continua.
  • Nevilton e seu Pressuposto continuam insinuantes, tentadores e disponíveis para download lá no Compacto.rec.

A Fonografando promete cumprir os prazos e está de volta na próxima sexta-feira.

Hick Duarte é fotógrafo e estudante de Jornalismo em Uberlândia, Minas Gerais. Por lá integra o núcleo de comunicação do Coletivo Goma – Cultura em Movimento e mantém o website Fiesta Intruders. Viaja pelo país cobrindo os principais festivais de música independente e é responsável por um blog totalmente dedicado à música independente nacional no Portal MTV, o Indiescópio

6 Comentários para "Fonografando #2: calor, frescor e a nova música b(r)azuca"

  1. hick hick hick

    hick é o cara

    grande texto

    hick é o arquiteto dos textos gostosos

    muito masssa o ritmo, muito interessante, um certo sabor de televisão q é um grande barato

    issaa!

    abraço, cara

  2. mas se o setlist do disco do Holger ficar nisso, vou ter que comprar já meu EP deles para ter War sempre comigo 😡
    de qualquer modo, excelente notícia! (achei até que fosse demorar mais…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *