Fonografando #5: Holger, Dead Lover’s Twisted Heart, Homemade Blockbuster

Fonografando: o retorno do retorno. Mas agora é sério mesmo.

Doses semanais de música independente nacional voltarão a dar as caras no Move That Jukebox a partir de agora. Começando pelo Holger.

Sunga, do Holger – “Com muito orgulho, anunciamos que o Sunga está pronto, gravado, mixado e finalmente masterizado, e com a arte mais linda do mundo pronta!”, disse o Holger pelo twitter, no início dessa semana. Muita gente está esperando o álbum de estreia da banda que, sem muito material gravado mas com um show enérgico e muito caroloso como cartão de visita, aproveitou o hype ao seu redor, conquistou sinceramente um bocado de fãs pelo país e está além das promessas do ano para a música brasileira.


Holger, ao vivo em Florianopólis – Foto por Yuri Gama

A primeira faixa do álbum a aparecer na Internet, “Let’em Shine Below”, evidencia porque o Holger se destaca entre as outras bandas com apelo indie semelhante que, de uns anos para cá, começaram a pipocar em território nacional. É que, apesar das letras em inglês, a banda não esconde que vem do coração do Brasil e sabe balancear bem suas influências nacionais (“nós queremos soar como o luiz caldas!”) e internacionais (eles respiram Vampire Weekend nessa música nova). Por isso, tudo indica que “Sunga” estará recheado de composições autênticas e, na história da banda, mais tropicais do que nunca.

Ouve aí (via Bloody Pop) e diz se o Holger não está de parabéns.

Fica esperto: o álbum deve dar as caras na internet a qualquer momento.

Com vocês, o Dead Lover’s Twisted Heart – Não que seja uma banda nova, mas só agora saiu o primeiro disco da banda que, ao lado do Transmissor e do Graveola, figura entre as mais bacanas de Belo Horizonte.

É folk, é country, é indie, é pop: é muito rico esse primeiro trabalho dos mineiros mais estilosos da nossa música. A não ser que você já tenha visto o show, que denuncia toda essa agradável bagunça sonora, a próxima faixa é imprevisível. Da festiva e muderna “Rock Hurts and Heart Beats” às campestres “Line 5012” e “Isabelle” (meu Deus, isso foi feito no Brasil?), o Dead Lover’s Twisted Heart surpreende do começo ao fim do disco. Com (claras) influências que vão de Eagles of Death Metal a Roberto Carlos, o grupo está pronto para ganhar o Brasil – e eu aposto forte neles.

Ah, claro! Para nossa alegria, dá pra ouvir e baixar todas as faixas do álbum aqui.

Mini Box Lunar no Música de Bolso – O La Blogotheque brasileiro traz novidades! Passando por São Paulo, o Mini Box Lunar, ícone psicodélico da música que vem do Amapá, apresentou duas músicas para as câmeras do Música de Bolso, uma delas nas escadas do Estúdio Lamparinas (onde também funciona o escritório do Fora do Eixo). Conheça “Despertador 7:45” e aprecie a beleza das duas vocalistas mais delicadas e charmosinhas da nova música brasileira assistindo ao vídeo abaixo:

Recomendamos também os vídeos do Nevilton para o Música de Bolso, disponíveis aqui.

Quem é Homemade Blockbuster? – O hype brasileiro de 2010? O novo fruto do sempre efervescente e promissor meio indie de Curitiba? A revelação nacional do importante Popload Gig? Tudo isso e mais: é a banda responsável pela deliciosa “Sweet Boys, Sweet Girls”, que você ouve (só ouve) a seguir:

Esse e o outro hit (“Dance Moves”) estão disponíveis para download no Trama Virtual dos caras.

O Homemade Blockbuster faz parte do cast do Vigilantes, selo de que falamos na última atualização desta coluna. O Move conversou recentemente com o Rafael Ramos, o produtor à frente do projeto – vale conferir aqui.

Antes de partir, algumas rapidinhas:

  • Quem também está lançando disco novo é o Mombojó. E o que é melhor, no ritmo do download gratuito. Clique aqui e faça a festa.
  • Junto com o Homemade Blockbuster, quem também tá com tudo nessa onda de novidades do indie nacional é o Wannabe Jalva. Eles vêm de Porto Alegre. Toma três músicas de presente!
  • Depois de fazer barulho com o Love Bazucas, a nova aventura de Chuck Hipolitho é a banda Vespas Mandarinas, que ele formou com membros de grupos como Forgotten Boys, Ludov, Banzé e outros. Rola uma entrevista bacana com todos eles no Nagulha (e o download do primeiro EP, também).

A Fonografando volta na semana que vem! Até lá, boa música, boa Copa and save the Galvão birds!

– – –

Hick Duarte é fotógrafo e estudante de Jornalismo em Uberlândia, Minas Gerais. Por lá integra o núcleo de comunicação do Coletivo Goma – Cultura em Movimento e mantém o portal Fiesta Intruders. Viaja pelo cobrindo os principais festivais do país e é responsável por um blog dedicado a música independente nacional no Portal MTV, o Indiescópio.