Gaía Passarelli’s Jukebox (rraurl)

Fundado em 1997, o rraurl.com se consolidou como um dos maiores portais de música do país. Primeiramente atrelado à música eletrônica, a página ganhou proporções muito maiores e, hoje, tem um cunho indie fortíssimo – basta ver a lista das últimas resenhas, onde aparecem textos sobre os novos discos de Crystal Castles, Sleigh Bells, Foals e The Golden Filter.

Ao lado de Gil Bárbara, a “mãe de família que mexe com música” Gaía Passarelli (@lubita77) comanda o rraurl desde o primeiro suspiro do site – que, com mais de dez anos de idade, agora é parceiro do Portal MTV. O site tem tantas caras que fomos conversar com a moça sobre suas influências, inspirações e frustrações pra ver qual é a dela. Aproveita o papo na sequência!

Good Times Bad Times – qual banda/artista sempre esteve ao seu lado, fazendo, por mais piegas que isso possa soar, a “trilha sonora de sua vida”?

O New Order. Ganhei o Low Life de presente da minha mãe quando tinha 13 anos e fiquei maravilhada/intrigada, tinha tudo a ver com minha angústia adolescente. Depois disso, “Blue Monday” foi hit nas festinhas da escola e tanto em fases mais rock quanto em fases mais eletrônicas a banda me acompanha. Só fui ver os caras ao vivo recentemente, pouco antes da banda acabar.

E o hype? – o que você tem escutado de novidade?

Eu tenho um problema com essa urgência do novo que a gente sofre. É difícil acompanhar a velocidade das coisas e eu sou do tipo que gosta de ouvir o mesmo disco, a mesma música, dezenas de vezes. E hoje as coisas datam de uma semana pra outra! Enfim, das coisas desse semestre continuo ouvindo muito Delorean, os discos do Caribou (que provavelmente vou ficar ouvindo até o fim do ano), do Four Tet, do The National, Local Natives, LCD Soundsystem e Tame Impala. Descobri recentemente a Janelle Monaé, porque um leitor enviou a resenha do disco dela pro rraurl no fim de abril e fiquei besta: ah, se toda a música pop fosse boa assim. Aguardo com fortes esperanças o disco do Midnight Juggernauts, do Mark Ronson e da MIA.

O rraurl já tem mais de dez anos de vida e, nesse tempo, acompanhou a extinção de movimentos musicais (como o clubber) e estimulou o nascimento de novos estilos e vertentes. Já apareceram tendências que você achou que bombariam mas que foram pro ralo?

Cara, eu detesto essa palavra “clubber”, acho que ficou ficou negativo, relacionado a uma caricatura dos anos 90. O envolvimento do rraurl, a gênese do site, tem mais a ver com estilos como techno e house e um momento muito específico da música eletrônica. Respondendo sua pergunta, sim, o site já fez apostas que não rolaram. Um exemplo bem claro e recente foi um grande retorno da house music que a gente indicou lá em 2007 que não aconteceu. Pelo menos não como a gente imaginava.

Do the D.A.N.C.E. – o que não pode faltar na hora de soltar a franga na pista?

Vodka, Red Bull e meus amigos 😉 Musicalmente, vai, o set do Classixx no Gloria foi a coisa mais legal que dancei esse ano.

Você não vale nada mas eu gosto de você – todo mundo tem um guilty pleasure, vai. Aquela banda que, quando começa a tocar no computador, você desabilita o last.fm o mais rápido que pode.

Cara, eu *nunca* desabilitei o last.fm pra ouvir nada. Juro! Mas algumas coisas que eu escuto no carro não fariam bonito num playlist, tipo… Jason Mraz, as coisas solo do Paul McCartney…. Fora isso, eu gosto de ouvir música caipira nas estações locais quando viajo, por algum motivo essas coisas “da roça” falam comigo, acho bonito.