Gravadora inglesa chega ao Brasil em agosto e lança festival no Ibirapuera

Os países europeus sempre tiveram uma afinidade cultural com o Brasil, mesmo com pouquíssimas características semelhantes entre eles. Nossa música é exportada a vontade ao velho continente, desde Nação Zumbi até Caetano Veloso, passando pelo electro do CSS e sem deixar Adriana Calcanhotto – que virou ídolo em Portugal – de fora. No final da década de 80, o Reino Unido foi apresentado a mais uma figura que estava pronta para levar nossos talentos ao norte: Afonso Marcondes, paulista que, aos vinte anos, foi morar no Reino Unido e passou a vender discos de música brasileira no mercado de Camden.

Afonso logo foi parar na Ninja Tune, ocupando o cargo de Diretor de Vendas. Depois de dois anos na empresa e com um mestrado concluído em Music Business, o cara fundou o selo do ChinaWhite, clube londrino frequentado por celebridades de alto calão, como Lily Allen e Kate Moss. “Depois de um ano e meio ali, resolvi que queria montar meu próprio negócio na indústria fonográfica, aí, em 2001, formamos a primeira encarnação da (©urve)music™ com Any Cato, que hoje é metade do Groove Armada”, conta o empresário. Atualmente a gravadora tem dois escritórios na Europa, um no coração da Inglaterra e outro na Itália.

Hoje já são 19 artistas contratados, todos da nossa terra – “não importa o estilo ou se a música é feita dentro ou fora do Brasil, o importante é que todos eles sejam brasileiros”, explica. Afonso diz que os ingleses aceitam bem os artistas estrangeiros e que, por isso, resolveu expandir, mesmo em momento de crise mundial, adotando novas estratégias de marketing e selecionando bons parceiros para a divulgação de seus artistas (e não é que o Move That Jukebox foi considerado um “bom parceiro”?).

Na foto: Monique Maion, uma das três artistas solo adotadas pela (©urve)

O processo de seleção dos artistas costuma variar, o que significa que a sua banda pode entrar pro line-up da (©urve) a qualquer momento. “Durante a minha última viagem ao Brasil, em março desse ano, assinei alguns contratos. Muitas vezes são nossos próprios artistas que dão dicas de bandas, outras caçamos na unha pela internet.” Já com Monique Maion, que teve um de seus shows discotecado pelo Move That Jukebox, a história foi bem diferente: “Encontrei ela discotecando no Tapas, com esse som super eclético. Vi várias tribos dançando e pensei ‘Ué, peraí, temos que dizer um oi!'”, lembra Afonso, que aos 40 anos vive com sua mulher (também brasileira) em Londres.

Em agosto, a (©urve)music™ faz um mega release no Brasil, que já virou matéria no O Globo. O lançamento acontece com 12 discos e 2 EPs do selo, que vão desde o Hip-Hop ao Rock, do Jazz ao Folk e passam pela música eletrônica, todos lançados em formato físico e digital. Ainda em 2009, a empresa lança um festival no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, que vai receber diversos artistas em três noites de evento – e já estão todos convidados.

  • letícia

    que genial!

    vai poder acampar também? hahaha
    -n

  • AM

    que label patriota!! So Brazuca mesmo?

  • andrea gouvea

    Oi Alex, adorei essa novidade!!

    Será que vc poderia me ajudar com o contato do Anderson pra afzer uma materia pra rádio BandNews fm???

    Logico q darei o credito pra vc.

    Valeu!

  • Mandei um email pra você agora, Andrea.

  • que legal.
    quando será esse festival?

  • Ainda não tem data, Christian. Posto aqui quando fecharem.

  • Suzana Cavalieri

    Que ótimo ler esta notícia! Conheço muito bem o trabalho do Afonso.
    Esse é o cara!!!!!!
    Ansiosa pelo festival!

    Beijão e boa sorte na jornada!
    Su

  • Marília

    mazá essa gurizada do blog!

  • Dalhe Curve!!! Dalhe Fonzeeeee !
    Só sonzeira!!! Full support always!