Gripe suína chega ao mercado da música

A Gripe Suína, que já chegou ao estado de pandemia, é levada na brincadeira pelos mais céticos, mas também há quem esteja quase desesperado por causa do vírus. Dentro da minha própria sala de aula já se pode fazer uma boa análise sobre o assunto: Até hoje, quando o tema surgiu na aula de redação, os mais alienados ainda não haviam ouvido falar sobre essa nova crise biológica. Em contrapartida, um grupo de alunos ao canto esquerdo da sala já se mostrava super informado e, inclusive, montava estratégias miraculosas para escapar da contaminação.

Por enquanto, o mais elevado número de mortes por causa da gripe aparece no México, onde apareceu o primeiro caso de infecção – cerca de 30 mortes já foram causadas no país, conforme confirmação oficial, pelo novo tipo de influenza, enquanto pelo menos cerca de outros 150 óbitos estão sendo investigados.  Nenhuma outra nação está imune à doença, já que aviões não param de partir da região com destino a diversos continentes. A América do Norte e a Europa já sofrem com a doença, como se vê no Google Maps. Não constam, ou constam em baixíssima escala, informações sobre a propagação da gripe no Brasil, na África, na Ásia e na Oceania.

“Fique calmo e não espirre”, frase que também estampa camisas e bottons desse site.

Agora, a gripe suína já está se manifestando dentro do nosso amado mundo musical. Durante a semana, tablóides ingleses espalharam o boato de que Pete Doherty estaria infectado, mas a interferência da gripe do porco (que – atenção – não é transmitida pela carne do bicho) no mercado da música parece estar batendo mais forte com uma nota lançada pela assessoria de imprensa do Glastonbury, festival inglês que acontece em junho. Segundo seu porta-voz, a organização do evento está “analisando a situação” para concluir se um cancelamento seria necessário. O Glasto recebe, todo ano, centenas de milhares de pessoas de todos os lugares do mundo (inclusive do México), o que representaria um grande perigo a todos.

Se adotada, a medida acarretará em um bafafá enorme, já que todos os tickets para assistir Franz Ferdinand, Lily Allen, Kasabian e muitos outros artistas no Glastonbury se esgotaram há semanas. O problema é que mal dá pra processar alguém e ganhar um dinheiro em cima da causa, por não se poder culpar alguém pela criação dessa gripe 2.0. Mesmo assim, algumas pessoas ainda tentam jogar a responsabilidade pra cima de alguém: Para @lilianeferrari, a culpa é do lobo mau por não ter comido os três porquinhos. Eu, particularmente, dirigia que o responsável é o Ligeirinho, que atravessou o mapa espalhando a gripe na velocidade da luz. Dizem que esse menininho também é um suspeito em potencial:

Cada um com seu palpite. A M.I.A. também vai dar o seu na música ‘Swine Flu’, que está sendo gravada e deve ser lançada em breve, ou, pelo menos, antes do assunto ficar velho.

  • Lucas

    HAHAHA tadinho do garoto.

  • Saulo

    Essa foto tá ótima. Engraçadíssima. Mas, brincadeiras, à parte, o assunto gripe suína é sério. Sugiro leitura no site http://www.gripesuina.org

    Abraços,

    Saulo

  • Ronaldo Rocha

    AUHAUHUAUAHUAHUAUHAA