O último show de Brent Mydland e a maldição dos tecladistas do Grateful Dead

Degenerando Neuronios

No dia 23 de julho de 1990, Brent Mydland fazia o seu último show como integrante do Grateful Dead. Três dias depois, o músico foi encontrado morto em sua casa, na Califórnia, após uma overdose de speedball (cocktail de cocaína com heroína).

Mydland foi o quarto tecladista do Dead, sendo o que permaneceu por mais tempo no grupo (1979-1990). Seu sucessor, Keith Godchaux, também faleceu jovem e de maneira trágica: num acidente de carro em Marin County, Califórnia. Antes de Godchaux, foi a vez do fundador do Dead, Ron “Pigpen” McKernan, perder a luta contra o alcoolismo e morrer aos 27 anos, após uma hemorragia gastrointestinal.

A última vítima da maldição que perseguiu os tecladistas do Grateful Dead seria Vince Welnick, que cometeu suicídio em 2006. A única exceção à regra seria (e continua sendo) Tom Constanten, que excursionou com o Dead entre 1968 e 1970, apenas para suprir a ausência de Pigpen.

Ron “Pigpen” McKernan (08/09/1945 – 08/03/1973)

Keith Godchaux (19/07/1948 – 23/07/1980)

Brent Mydland (21/10/1952 – 26/07/1990)

Vince Welnick (21/02/1951 – 02/06/2006)

Musicalmente falando, Brent Mydland foi um dos membros mais importantes na história do Dead, contribuindo e desfrutando do sucesso comercial alcançado pelo grupo em 1987 com o álbum In The Dark.

Abaixo, vocês ficam com o áudio e a gravação completa em vídeo da performance da banda no The World Music Theater, em Ilinóis, no dia 23/07/1990. Observação: na última faixa, “The Weight” (clássico da The Band), quando vários integrantes do Dead revezam nos vocais, Brent Mydland canta a frase “I gotta go, but my friends can stick around”. Coincidências mórbidas à parte, não deixa de ser uma bela despedida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *