Lily Allen – REMIXED

lily

Lily Allen lançou seu segundo álbum agorinha, no início de 2009, numa vibe muito mais pop do que a de seu debut, ficando ainda mais próxima musicalmente da sua arquinimiga, Katy Perry. It’s Not Me, It’s You saiu de fábrica cheio de ‘Smile’s e ‘LDN’s, e o resultado final ficou de doer os ouvidos, de tão girlie. É claro que sempre há um ou dois pares de músicas para serem salvas. No caso deste disco, são ‘The Fear’, ‘Fuck You’, ‘Everyone’s At It’ e ‘Back To The Start’ as aproveitáveis. A má impressão é pesadíssima e quase irreversível, mas perdura apenas até o produtor Doc Fritz (nascido como Fritz von Runte – chique) repaginar o disco – originalmente produzido por Greg Kurstin – e tira-lo da lama, com o projeto REMIXED.

As nomenclaturas para as releituras das músicas de Lily são criativas e fazem jus às adaptações: Fearchestral version, Uncool mix, Fossa Nova, Riot Hymn e por aí vai. Mesmo com tantos mixes e versions diferentes, Fritz tem apenas um objetivo com o trabalho: Drenar todos os jams de menininha, as batidas Capricho-like e o pop dos primórdios de Britney Spears e converte-los em canções inspiradas na Bossa Nova (como em ‘Fuck You’), pequenas sinfonias (‘The Fear’ ganha uma edição orquestrada ótima), músicas de balada (‘I Could Say’ e ’22’ ficam ótimas para dançar  junto) e regadas de elementos do dub, deixando apenas as letras rebeldes da cantora para narrar as histórias. Analogicamente, é como se tirassem toda a acidez de um limão transformando-o em uma tangerina docinha, daquelas boas de chupar (ui).

Para fazer uma transformação tão drástica em uma obra sem deixar defeitos, só sendo um deus grego e, como Fritz me parece solidamente mortal, algumas gafes são perceptíveis aqui e ali. Ao fundo de ‘Not Fair’, uns ruídos e gritinhos estranhos e repentinos levam a música para o túmulo. ‘Who’d Have Known’ também sofre e, com uma voz mais grave, Lily Allen fica ainda menos interessante.

Entre erros e acertos, Doc Fritz fica bem no balanço geral, mas ainda tem algumas lições para pegar na escola da vida (/oldman). De qualquer forma, o cara já tá com seu lugar ao sol devidamente reservado.

Nota: 3,4/5

Fritz Von Runte é brasileiro e, atualmente, mora em Manchester para se dedicar à música. O download de REMIXED pode ser feito de graça no site oficial do projeto.

4 Comentários para "Lily Allen – REMIXED"

  1. Será que só que gostei e achei muito melhor esse disco que o primeiro? 🙂
    Não ouvi esse remix, nem tenho muita paciência pra eles, mas se foi o próprio produtor que colocou a mão na massa, deve valer uma escutada.

  2. Alexandre,
    Você me interpretou mal. Na verdade, o produtor que fez o REMIXED não é o mesmo que produziu o disco original. De qualquer forma, vale uma escutada sim! haha

  3. Putz, é isso que dá ler postagens próximo à velocidade da luz. rs
    Eu achei a produção desse último mais redonda que a do primeiro. Tá mais propriamente britpop do que o anterior. As letras também mais interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *