O femônemo Liniker lacra em show de lançamento de “Remonta”

AION SÃO PAULO 02/10/2016 = Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer - Lineker e os Caramelows -Rafael Barone, William Zaharanszki, Pericles Zuanon, Márcio Bortoloti, Renata Éssis, Fernando TRZ, Marja Nehme, Eder Araújo e Liniker subirão ao palco do Auditório Ibirapuera para a apresentação de Remonta, álbum lançado no dia 16 de setembro.FOTO SERGIO CASTRO/AUDITÓRIO IBIRAPUERA.

Renata Éssis (backing vocal) e Liniker no palco do Auditório Ibirapuera Foto: Sérgio Castro/Ibirapuera

Não, eu não gostei do Liniker quando eu escutei e vi o vídeo de “Zero”, música que o lançou em outubro do ano passado. Achei mais uma daquelas músicas que alguns artistas fazem propositalmente para você gostar, sabe? Como A Banda Mais Bonita da Cidade e bendita música “Oração”. Ou as músicas dos Los Hermanos, que não tem como, fazem todo mundo cantar junto. Os shows se tornaram uma coisa insuportável, inclusive, de não conseguir ouvir os caras cantar, porque o público não consegue não cantar e tudo bem, dá para entender. Mas tem música que tem isso, ela é feita para te laçar.

Senti que o Liniker era mais um desses caras e por isso, não me convenceu. Mas tanta gente gostou, porque eu ia ficar de fora? Dei a segunda chance. Resolvi ver ao vivo na Virada Cultural. O show foi no Sesc Pinheiros e fiquei impressionada com a sua performance. Mas de novo não me convenceu. Também não era a hora nem o lugar. O local estava cheio, eu não assisti a apresentação inteira, não dava para ver o palco… Um horror! A terceira deveria ter sido dada no show que fez com as Saladas das Frutas (amo este nome!), que rolou no Cine Joia, mas depois de três músicas, as costas pediram para eu ir para casa dormir. A quarta (jesus!), foi no CCBB, mas nem consegui vê-lo no palco.

Desisti, mas nunca sem tentar. Esperei pacientemente até o último domingo (2), quando pude finalmente assistir sentadinha, com uma bela acústica, casa cheia (explodindo!), boa iluminação, o show de Liniker e os Caramelows, no Auditório Ibirapuera. Estava indo sem nenhuma expectativa, já que depois que escutei Remonta (2016), seu recém-lançado álbum, tive a mesma impressão de quando ouvi “Zero”. Então, não bateu.

Também achei que ele errou muito em trazer todas as músicas do EP Cru. Eu que não sou fã dele já sabia todas aquelas músicas. Imagina os fãs? Parece que ele resolveu fazer isso para lançar sua carreira como cantor. Mas como uma pessoa que tem mais de 5 milhões de views no Youtube pode querer lançar sua carreira como cantor? Já está mais do que lançada, meu bem! Liniker já é artista desde o momento em que aquele vídeo caiu nas graças do público.

Depois de toda essa espera para finalmente assistir decentemente um show do Liniker e seus Caramelows, bem, não posso dizer outra coisa a não ser que isto É um show! Ele dá um show! É simplesmente inquestionável e impressionante como em tão pouco tempo ele se transformou em um grande artista que tem total domínio do palco, do seu corpo no palco, da força de sua música. Sua voz é tão bonita e tão hipnotizante que o público aguarda em silêncio. Quem canta, canta para si, pois a pessoa foi lá ver/ouvir o Liniker cantar e não ouvir sua própria voz. O público só canta junto quando é conclamado a fazê-lo e faz com paixão que tem pelo seu ídolo.

Ídolo mesmo, porque uma das coisas louváveis de Liniker é justamente ter discurso. Ele não é apenas mais um rostinho bonito na sua telinha ou no mundo da música. Ele fala de igualdade, de como você deve se aceitar como você é, de como você tem que perceber que as pessoas são diferentes sim e qual o problema de ser diferente? E qual o problema de você ter nascido homem, mas se identificar com o feminino? E qual o problema de você estar descobrindo a sua sexualidade? E qual o problema de ser preto? E qual o problema de você ser simplesmente você? Já dizia a Pitty, que o “importante é ser você, mesmo que seja bizarro”, nos idos dos anos 2000.

AION SÃO PAULO 02/10/2016 = Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer - Liniker e os Caramelows -Rafael Barone, William Zaharanszki, Pericles Zuanon, Márcio Bortoloti, Renata Éssis, Fernando TRZ, Marja Nehme, Eder Araújo e Liniker subirão ao palco do Auditório Ibirapuera para a apresentação de Remonta, álbum lançado no dia 16 de setembro.FOTO SERGIO CASTRO/AUDITÓRIO IBIRAPUERA.

Ao final do show, o palco lotado com a banda e todas as participações especiais. Foto: Sérgio Castro

Sendo assim, Liniker se juntou a mais um monte de gente que pensa e age como ele, que está aí desbravando as barreiras da cor da pele, questionando a questão do gênero e valorizando suas habilidades, como a Tássia Reis, As Bahias e a Cozinha Mineira, Tulipa Ruiz, Xênia França (diva!), MC Linn da Quebrada… Todas essas participaram do incrível show de Liniker, que também teve a participação do Aeromoças e Tenistas Russas, em “BoxOkê”.

De todos os momentos, se é que dá para escolher apenas um, o mais arrepiante e emocionante foi quando Linn veio dançar a música “Lina X”. Foi exatamente no momento em que a música tem uma quebra e fica lenta, que o palco abriu a parte de trás e Linn veio dançar a canção. O detalhe da luz amarela focada nela, cor que é citada na letra deu arrepios. Nem preciso dizer que foi uma comoção, quando a artista dançou de frente para o parque e se jogou do palco (uau!) e seguiu andando sozinha no gramado.

A iluminação foi o destaque, mas também deixou a desejar algumas vezes. Liniker ficou no escuro muitas vezes, mesmo tento uma luz só para ele. Por que aquela luz não o seguiu? Outra coisa que percebei é que elx dança com toda a banda e por isso, acho que um palco com os músicos mais próximos delx é mais interessante do que com todo o espaço que tinha por lá. Claro que não dava para receber todos os convidados, nem muito menos os dançarinos se estivessem todos juntinhos. Imagino que no palco da Audio, onde se apresenta com o Lenine na Sexta Básica, dia 21 de outubro, isso não acontecerá, já que o palco é bem menor.

Em tempo, o show de Liniker e os Caramelows é um arroubo! Ou como ele mesmo diz: um lacre!