Michael Jackson, The One

O mundo está de luto. A frase que parecia inimaginável está sendo pronunciada por todos os cantos do planeta. Michael Jackson morreu.

E se pararmos para pensar é algo realmente difícil de se dizer. Para mim e milhões de pessoas Michael não simplesmente morre, ele não é humano, Michael Jackson é Michael Jackson.

Certo que ele não era mais o mesmo do auge, passou por polêmicas, problemas, julgamentos. Mas estes são detalhes que não desenriquecem a história do rei que Michael foi, por suas músicas, dança, clipes, inovações, sua criatividade e o mais importante, a busca pela perfeição em tudo que fazia, que não preciso nem dizer, era alcançada.

É inegável que ele influenciou a cultura de todo o planeta de algum modo, o mundo não seria o mesmo se aquela criança que liderava os Jackson 5 nos anos 60/70 simplesmente parasse de cantar e fosse fazer qualquer outra coisa na vida. Mas pensando bem, de um jeito ou de outro ele seria o que foi. Michael é um predestinado, ele nasceu com o dom, e com toda certeza soube aproveitá-lo. Nós agradecemos.

Dizem que as grandes estrelas mesmo depois que já não existem mais, continuam brilhando por milhares de anos. C0m certeza Michael é uma dessas, a mais brilhante delas, que reluzirá para sempre. O gênio do pop é imortal.

Uma homenagem do Move That Jukebox! ao maior fenômeno que a música já viu.

  • Opa, chorei aqui.

  • Caio

    #Never mind.

  • thaís

    Michael é tipo Beatles. Nossos filhos vão conhecer e ele sempre vai ser referência. =/

  • Sabe o que é engraçado?

    Quando nos desentendemos acerca dos posts neste mesmo blog, um dos “personagens” era o Michael.

    Um leitor reclamou de um comentário que eu fiz acerca de MJ, vocês (Marçal ou Alex, não lembro quem) disseram que MJ não era assunto pra cá, pois fugia do perfil do blog.

    Isso que me fez decidir sair daqui simplesmente, pq vivi na década de 1980 (e vcs não) e Michael Jackson teve uma influência enorme na minha vida. Vocês não tiveram noção disso, pois ainda não eram nascidos – e tudo o que sabem sobre ele é de “ouvir falar”.

    Daí vi que essa diferença de idade entre mim e vocês era absolutamente irreconciliável, e resolvi me retirar.

    Agora vocês vêm falar dele como se estivessem realmente sentindo a perda? Acho fake. Ainda mais pq o final desse post está igualzinho ao da Rosana Hermann.

    Sei que vocês podem moderar esse comentário, por isso estou escrevendo isso. Mas podem bloquear, deletar, whatever. Não precisam tornar isso público se não quiserem.

    Beijo.

  • por mais bizarro que fosse a vida dele nos ultimos tempos, foi uma surpresa e tanto. O cara marcou a música e nada vai tirar isso dele.

  • Nádia, vamos conversar então.

    Não reclamaram de você ter falado de Michael Jackson, reclamaram de você fazer textos extensos sobre o dia na história do rock, com coisas que muitas vezes não eram relevantes, e o exemplo citado foi “Michael Jackson vai à festa do Oscar com Madonna”. Ninguém reclamou do Michael, porque inclusive nós já fizemos vários posts sobre ele e Jackson 5. Seu primeiro argumento caiu.

    Quanto à veracidade do texto e das palavras, parabéns por ter nascido na época dele. Eu não nasci, mas ouço suas músicas desde criança por causa dos meus pais, conheço bem o trabalho dele e gosto muito. Realmente senti com a morte dele. Não sabia que para curtir algo você TEM que viver quando isso está em alta.

    E não, não copiei o texto de ninguém. Escrevi com minhas próprias palavras. Se ela usou o mesmo exemplo que eu, foi mera coincidência.

    Se quer criticar a qualquer custo, pelo menos ache uns argumentos bons.

  • hahaha droga, vou ter que parar de ouvir led, beatles, stones e por ai vai… =X

  • Deletando Velvet Underground, Joy Division, Cash, Kinks, Bowie, Kraftwerk, Pink Floyd, Mutantes e Smiths do iTunes a-go-ra. O Pablo Honey nasceu no ano seguinte do meu nascimento. Posso guardá-lo?

  • Meninos, vocês não entenderam o que escrevi. Eu não disse que vocês não poderiam gostar do Michael Jackson, Beatles ou coisa que o valha por não serem nascidos na época em que eles fizeram sucesso. O que eu disse pra vocês em nossas conversas, e mencionei o Michael Jackson ESPECIFICAMENTE à época, é que nossas referências eram diferentes, por isso mesmo vocês achavam alguns assuntos irrelevantes. E eu, não.

    Eu só falei que acho fake – e continuo achando, mas isso é só achismo e não acredito que minha opinião seja relevante pra vcs – o “sentimento”, pois nunca ouvi vocês dizerem que eram fãs do cara.

    Quanto às críticas, honestamente eu não pretendi falar mal do seu texto, somente do que acho ser um falso sentimento, uma necessidade de falar da morte do cara só pq “é obrigatório pra um blog de música”.

    Se o quisesse, Marçal, teria falado – rapidamente – que o verbo desenriquecer não existe em português.

    E várias outras coisas, sabe? Mas não tô aqui pra discutir e nem nada, só dei minha opinião.

    As respostas de vocês foram absurdamente grosseiras e não condizentes com a postura que vocês queriam que eu tivesse por aqui.

    Fakes, é o que digo. F-A-K-E-S no sentimento, fakes nas atitudes.

    Beijo.

  • pena que a gente ta trocando de server e alguns desses comments vao sumir pq o cara salvou os dados mais cedo. Estamos com raridades aqui.

  • Parece que você tá à espreita esperando eu admitir que ODEIO o Michael e que escrevi só pra promover o blog.

    Para sua informação, já havia um post sobre a morte de Michael Jackson. Se eu não quisesse, simplesmente não escreveria mais nada e estaria de bom tamanho.

    Mas me esqueci que você acompanha minha vida desde 1991 e sabe o tanto que gosto de MJ, podendo considerar com toda a certeza que tudo que escrevi é fake.

    E não tente polemizar. Ninguém aqui foi grosseiro com você, ninguém afirmou com veemência que você escreveu algo com um sentimento falso.

    Mas ainda peço desculpas por ter escrito um verbo que não existe. Desculpas a você e a todos os demais que se incomodaram com isso.

    PS: seus argumentos continuam fraquíssimos…

  • gente do céu, calma! haha!
    respeitem o falecido, oras!
    e marçal, desculpas aceitas pelo verbo, ok? =X

  • Gustavo Mazucanti

    Vai caça chocolate gordinha!

  • Gustavo Mazucanti

    *caçar, antes que a Gordinha Pasquale me corrija…

    Ah! E a palavra F-A-K-E também não existe em português.

  • jessyca

    agora todos irão deixá-lo em paz michael.e agora a musica perdeu a graça :p :*