Morrissey no Espaço das Américas, em São Paulo

Morrissey encerrou sua turnê brasileira no último domingo, no Espaço das Américas, em São Paulo. Não houve surpresas no setlist (que foi igual aos shows de Belo Horizonte e Rio de Janeiro), mas mesmo previsível, o show fez valer o alto preço cobrado pelos (esgotados) ingressos.

Desde a primeira música, percebeu-se a adoração do público pelo cantor inglês. “First of the Gang to Die” teve um bom papel como cartão de visitas e a plateia cantou desde o começo. Entre alguns “Gracias” e “Obrigado”, Morrissey interagiu bastante com o público. Começou priorizando as músicas de sua carreira solo e funcionou bem.

Em “Meat is Murder”, Morrissey fez sua habitual pregação pelo vegetarianismo, com uma sequência de imagens de animais no telão. Transmitiu a mensagem, mas de certa forma quebrou o clima de alegria que permeava o local. Outro momento “político” do cantor foi quando recomendou ao público que dissesse “não” aos pedidos do Príncipe Harry, em viagem ao Brasil.

As últimas cinco canções foram uma sequência matadora, repleto de hits dos Smiths: em “Let Me Kiss You”, como nos shows anteriores, Morrissey tirou a camisa e jogou para o público (poderia ser um momento de vergonha alheia, mas ele pode). A canção seguinte, “There’s a Light That Never Goes Out” foi o momento em que a voz da plateia foi mais alta.

Do recente Years of Refusal, Morrissey cantou também “I’m Throwing My Arms Around Paris”, provando que até hoje é capaz de compor canções poderosas. O set foi encerrado por uma singela “Please, Please, Please Let Me Get What I Want” seguida por uma poderosa “How Soon Is Now?” (também conhecida na voz do t.A.T.u pela geração dos anos 90).

O bis foi curto, apenas uma canção. “One day goodbye will be farewell” foi o suficiente pra deixar o público extasiado e satisfeito com a apresentação. Num meio musical onde artistas se apoiam no passado para lotarem seus shows, Morrissey mostrou que ainda é (muito) relevante, ao vivo e em estúdio, sem deixar de valorizar sua obra junto com os Smiths.

Confira o setlist completo da apresentação:

First of the gang to die
You have killed me
Black cloud
When last I spoke to Carol
Alma matters
Still ill
Everyday is like sunday
Speedway
You’re the one for me, fatty
I will see you in far off places
Meat is murder
Ouija board, ouija board
I know it’s over
Let me kiss you
There is a light that never goes out
I’m throwing my arms around Paris
Please, please, please let me get what I want
How soon is now?

Bis
One day goodbye will be farewell

Fotos por Stephan Solon, do Flick do Midiorama.

  • fez bem em mesclar os sucessos da carreira solo com mega hits da banda anterior.
    p.s.: eStasiado?

  • Extasiado. Corrigido, obrigado!