Novo disco do Chromeo funciona tanto em estúdio quanto ao vivo; veja como foi o show

Se procurássemos um termo para resumir o Chromeo, “World Artist” poderia ser uma boa escolha – não pelas raízes musicais, obviamente, mas graças às relações da dupla com a cultura de várias regiões. Criados em Montreal, no Canadá, David Macklovitch e Patrick Gemayel (amigos desde sempre, vale notar) vieram de famílias judias e árabes, respectivamente, e moram em New York quando não estão fazendo shows pelo mundo.

Nessa última semana, Dave 1 e P-Thugg, como atendem quando não estão comprando pão de manhã ou dando aula de literatura francesa, no caso de David, passaram alguns dias longe de NY. A convite da Ford, a dupla passou por aqui para apresentação única no Espaço da Bosque, em São Paulo, onde aconteceu a festa de lançamento do New Fiesta (com uma ação bem legal envolvendo o botão “curtir”, do Facebook). Só com convidados, o evento reuniu umas 300 pessoas – algumas interessadas no show, outras mais afins de ficar fazendo pose e carão, como de praxe nos eventos fechados.

Inclusive, a maior preocupação dos Chromeo com o show dessa quarta-feira era o público, como Dave disse num bate-papo com blogueiros (eu, Christel, Matias, Lalai e Ana Laura) algumas horas antes da festa. Recebendo todos com muita simpatia, principalmente quando foram avisados de que falariam com alguns blogueiros, Dave e P fizeram piada, falaram do seu envolvimento com blogs (tem mais sobre isso lá no rraurl) e sobre Business Casual, terceiro disco da banda que ganha lançamento oficial em 14 de setembro. Me lembro que, enquanto subíamos de elevador no hotel cinco estrelas da Alameda Santos, alguém até havia comentado: “Que estranho o disco ainda não ter vazado!”. Na hora do papo, Matias jogou o tema na pauta e Dave arriscou dizer que o álbum ia cair na álbum até o fim da semana. Dito e feito.

Ao vivo, três das dez faixas de Business Casual foram testadas com o público: a até-então-inédita “Hot Mess” e dois singles, “Don’t Turn The Lights On” e a incrível “Night by Night”, que os mais interessados já sabiam cantar de cor. A impressão deixada pela apresentação é a mesma que fica para quem passeia pela discografia da dupla: o Chromeo soa cada vez mais como uma banda dos anos 80. E eles sabem disso.

Os hits dos caras funcionam e empolgam bastante ao vivo, com destaque para a abertura (com o “Chromeo-oooo-oooo” cantado em coro, como na intro do segundo disco) as manjadas [mas incansáveis] “Tenderoni”, “Fancy Footwork”, “Momma’s Boy” (Fancy Footwork, 2007) e “Needy Girl”, primeiro single deles (She’s In Control, 2004). As outras duas músicas do debut que apareceram na noite, “Me & My Man” e “You’re So Gangsta”, soam melhor ao vivo.  Em boa parte da apresentação, o lugar ficou com mais cara de balada do que de um show propriamente dito – o que é incrível – e você fica se perguntando COMO DIABOS APENAS DOIS CARAS CONSEGUEM FAZER TANTA COISA AO MESMO TEMPO E SEGURAR DEZENAS DE PESSOAS ANIMADAS NUMA PISTA. É claro que os samplers ajudam, mas o cowbell e o prato que dividem espaço no palco também dão um bom caldo. Mesmo assim, fica na cara que a essência do duo, além da pose de galã de Dave 1, são os efeitos de voz que P-Thugg alcança com o talk box, tão exagerados que até parecem irônicos.

Sem as perninhas luminosas que os acompanham em turnê, o Chromeo contou com LEDs lindões na parte de trás do palco para dar um TCHAN na energia, mas o show é tão divertido que poderia aguentar uma noite inteira com uma iluminação qualquer. Nada mal para uma primeira vez, mas esperamos que haja uma segunda, dessa vez aberta para o público. Eles também estão querendo. Fica a dica para 2011.

Tem mais vídeos no canal do Matias no YouTube.

  • Marcel

    Show incrivel mesmo! Mas cade o fiesta?

  • Comecemos a juntar dinheiro para 2011 então.
    esses caras merecem cada centavo. o show deles parece ter sido ótimo.

  • “Fica a dica para 2011.”
    Ah!, fala sério!; isso é pra ontem!

  • Alexandre Carvalho

    Falhou apenas no fato de que Montreal não é a capital do Canadá, é apenas capital da província de Québec.

  • Alexandre Carvalho

    Perdão pelo erro, Montreal não é a capital de Québec, apenas a cidade mais populosa.