Ondei’s Jukebox (Podcast de Cinema da MTV)

Grande responsável pela parte de cinema da MTV, Bruno Ondei (@ondei) comanda o divertido Podcast de Cinema, que ainda conta as participações de Borbs, do Judão, e da lindacuticuti Sophia Reis, entre outros. Ondei ainda faz algumas entradas ao vivo em programas da emissora e cultiva um ótimo gosto musical, como pode ser ouvido em seus casts – e agora lido na mini entrevista abaixo:

Bruno (esquerda), ao lado de Chris Wolstenholme, baixista do Muse

E o hype? – o que você tem escutado de novidade?
Olha, se tem um disco de um artista novo que me conquistou no ano passado foi o do Emicida. Fazia muito tempo que eu não ouvia rap. Muito mesmo. Quando o Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe caiu na minha mão, não saiu mais do rádio do meu carro. Sensacional!

Good Times Bad Times – qual banda/artista sempre esteve ao seu lado, fazendo, por mais piegas que isso possa soar, a “trilha sonora de sua vida”?
Complicadíssimo isso, né? Gosto muito de samba, por isso ouvi muito Candeia, Paulinho da Viola e Cartola na minha vida. De uns anos para cá, me apaixonei perdidamente pela música jamaicana. E, entre dezenas (centenas?) de artistas geniais, Toots and the Maytals é o que eu mais ouço. Mas, se você apontar uma arma pra minha nuca e mandar eu escolher um, grito: “Muse“!

Do the D.A.N.C.E. – o que não pode faltar na hora de soltar a franga na pista?
Depende muito da pista, né? Normalmente, a intensidade da franga solta varia em torno da quantidade de doses de tequila. Daft Punk talvez seja a banda que mais mexa comigo, no sentido literal da palavra.

Cinema e música (quase) sempre andaram juntos, certo? Qual é o exemplo máximo de que essa combinação é realmente perfeita?
Quentin Tarantino. Simples assim. Todas as trilhas do cara, além de se encaixarem perfeitamente com os filmes, foram ouvidas insanamente por mim. Claro que temos ainda trilhas incidentais absolutamente apaixonantes. Destaco a de “O Senhor dos Anéis”, feita pelo Howard Shore. Se Tolkien pudesse ouvir, ficaria muito satisfeito. Agora, se eu tivesse que destacar um momento específico de um filme: o enterro do Comediante, em “Watchmen”, ao som de “Sound of Silence”, do Simon & Garfunkel. Emocionante.

Você não vale nada mas eu gosto de você – todo mundo tem um guilty pleasure, vai. Aquela banda que, quando começa a tocar no computador, você desabilita o last.fm o mais rápido que pode.
Putz…Eu gosto demais de “Toxic”, da Britney Spears. Mas não é um “guilty pleasure”, né? A música é foooooooda! Então vai: tem umas paradas do Chitãozinho e Xororó que eu acho bonitaças!