26 fev 2014

Que tal ouvir a primeira demo tape do Oasis, gravada em 1993?

Por  @15:34

Entre março e junho do longínquo 1993, o Oasis entrou no estúdio Dock Road para gravar as seis primeiras músicas de sua carreira. Tudo foi feito com a ajuda de Tony e Christopher Griffiths, proprietários e integrantes da banda Real People, que, em algum momento do passado, cruzou com o Inspiral Carpets, grupo que contava com Noel Gallagher na função de roadie.

Os irmãos Griffiths

Duas faixas ainda seriam gravadas e adicionadas ao tracklist da fita por Noel, dessa vez no estúdio particular de Mark Coyle, um dos futuros produtores do álbum de estreia da banda.

Hoje a tal fita demo voltou a ser bastante comentada entre os velhos fãs de Oasis, graças ao pacote comemorativo do álbum Definitely Maybe, que está prestes a completar 20 anos. Além da demo, o relançamento ainda terá três CDs repletos de raridades dos irmãos Gallagher (com edições alternativas em formato digital e vinil, claro). Veja mais detalhes do pacote:

Disco 1
1. ‘Rock’n’Roll Star’
2. ‘Shakermaker’
3. ‘Live Forever’
4. ‘Up In The Sky’
5. ‘Columbia’
6. ‘Supersonic’
7. ‘Bring It On Down’
8. ‘Cigarettes & Alcohol’
9. ‘Digsy’s Dinner’
10. ‘Slide Away’
11. ‘Married With Children’

Disco 2
1. ‘Columbia’ (White Label Demo)
2. ‘Cigarettes & Alcohol’ (Demo)
3. ‘Sad Song’
4. ‘I Will Believe’ (Live)
5. ‘Take Me Away’
6. ‘Alive’ (Demo)
7. ‘D’Yer Wanna Be A Spaceman?’
8. ‘Supersonic’ (Live)
9. ‘Up In The Sky’ (Acoustic)
10. ‘Cloudburst’
11. ‘Fade Away’
12. ‘Listen Up’
13. ‘I Am The Walrus’ (Live Glasgow Cathouse June 1994)
14. ‘Whatever’
15. ‘(It’s Good) To Be Free’
16. ‘Half The World Away’

Disco 3
1. ‘Supersonic’ (Live At Glasgow Tramshed)
2. ‘Rock’N’Roll Star’ (Demo)
3. ‘Shakermaker’ (Live Paris in-store)
4. ‘Columbia’ (Eden Studios Mix)
5. ‘Cloudburst’ (Demo)
6. ‘Strange Thing’ (Demo)
7. ‘Live Forever’ (Live Paris in-store)
8. ‘Cigarettes & Alcohol’ (Live At Manchester Academy)
9. ‘D’Yer Wanna Be A Spaceman?’ (Live At Manchester Academy)
10.’Fade Away’ (Demo)
11. ‘Take Me Away’ (Live At Manchester Academy)
12. ‘Sad Song’ (Live At Manchester Academy)
13. ‘Half The World Away’ (Live, Tokyo hotel room)
14. ‘Digsy’s Dinner’ (Live, Paris in-store)
15. ‘Married With Children’ (Demo)
16. ‘Up In The Sky’ (Live Paris in-store)
17. ‘Whatever’ (Strings)

Por aqui, ficamos com o áudio completo da fita que apresentou o Oasis para o mundo, incluindo a nunca-lançada-oficialmente “Strange Thing”. A reedição de Definitely Maybe tem previsão de lançamento para o dia 19 de maio, inclusive no Brasil, afirmou a Sony Music ao Move.

* LADO A – ‘Cloudburst’ / ‘Columbia’ / ‘D’Yer Wanna Be A Spaceman?’ / ‘Strange Thing’

* LADO B- ‘Bring It On Down’ / ‘Married With Children’ / ‘Fade Away’ / ‘Rock’N’Roll Star’

[UPLOAD] O canal do Oasis no Youtube vai disponibilizar velhos vídeos da banda em alta qualidade. O primeiro a ser reapresentado foi “Cast No Shadow”, ao vivo em Knebworth. Olha só como ficou:

Fonte: Oasis News

26 fev 2014

Jair Naves lança projeto no Catarse para financiar seu segundo disco solo

Por  @13:47

jair

O grande Jair Naves se prepara para embarcar na segunda fase de sua carreira solo. Dono de timbres vocais que perturbam, acalmam e confundem, o músico parte rumo ao sucessor do elogiado E você se sente numa cela escura, planejando a sua fuga, cavando o chão com as próprias unhas, de 2012.

Ainda sem um nome definido, o trabalho tem previsão de lançamento para o segundo semestre, com gravações no estúdio paulistano El Rocha e participações de Bárbara Eugênia, Camila Zamith (Sexy Fi) e Beto Mejia (Móveis Coloniais de Acaju). No entanto, para o projeto sair do papel, Jair jogou no ar uma campanha de crowdfunding hospedada no site Catarse.

Assim como em outras propostas similares, a ideia é chamar fãs e colaboradores para ajudarem a financiar o álbum e todos os seus custos. Então, para arrecadar um total de R$ 28.736, existem opções de contribuição a partir de 20 reais. Para cada bloco de valor, as recompensas variam, tudo de acordo com a quantia.

Para saber mais detalhes sobre o projeto e ainda ajudar Jair Naves a produzir seu segundo disco, é só dar um pulo no link da empreitada. Abaixo, um recado do próprio compositor.

25 fev 2014

St. Vincent – St. Vincent

Por  @19:55

st-vincent

Por Allan Assis

Vozes doces não faltam na música. De Regina Spektor a Katy B, passando por cantoras de programas de calouros, jovens de vozes límpidas impunham canções trazendo pouca representatividade a elas. Faltam intérpretes na música, no entanto – seja lá de que gênero for. Artistas que não são apenas veículos de uma letra, mas tornam impossível a audição de uma faixa em outra voz que não seja a sua. St. Vincent, cria da americana Annie Clarke, poderia ser só mais uma cantora branca e afinada, estandarte fácil numa estante que enfileira Sara Bareilles, KT Tunstall e muitas outras, não fosse a imprescindível capacidade em criar temas com sua voz. Da bem sucedida aventura com David Byrne em Love This Giant (2012), Clarke toma emprestado a ousadia de se permitir estranha; do anterior álbum Strange Mercy (2011), sobe o volume das guitarras e a influência de um art rock cada vez mais imperfeito e sugestivo. Tudo embalado pra presente numa voz limpa, mas livre para criar cenários esquisitos no álbum recente e simplesmente chamado de St. Vincent.

Apesar do título homônimo, esta não é uma reinvenção de St. Vincent e nem alguma mudança de rumos, que todo músico lá pelo quarto álbum tenta forjar ou passar uma borracha sobre sua discografia anterior e fingir que seu norte sempre foi este. A capa com Annie de cabelos descoloridos, postada em trono, bela e louca, é, na verdade, um reforço à imagem que há anos lhe persegue nos detalhes de sua música, desde as guitarras em off de Marrow. O fato é que St. Vincent nunca foi das artistas mais óbvias. David Byrne, gênio com olho clínico pra enxergar o invulgar mesmo que ainda em desenvolvimento, a notou antes que qualquer crítico, daí Love This Giant. Depois de uma estadia com o líder do Talking Heads, um dos pais do art rock, fácil seria usar sua amizade na criação conjunta de faixas à prova de erros. O caminho fácil é – claro – ignorado por Annie, e o novo álbum traz apenas o que seria produto de uma admiração pelo talento do, agora, amigo próximo, sem a assinatura dele em música alguma, porém.

25 fev 2014

Zulumbi (Lúcio Maia, Rodrigo Brandão, DJ PG) e seu novo single “Essa é pra você”

Por  @16:52

O trio formado por Lúcio Maia (Nação Zumbi), Rodrigo Brandão (aka Gorila Urbano) e PG (Elo Da Corrente) acaba de soltar o segundo single de seu recém- lançado álbum de estreia, simplesmente nomeado Zulumbi, co-produzido por Daniel Bozio. Abaixo vocês ouvem “Essa é Pra Você” (clique aqui para ouvir “Babe Vou Bombar” e aqui para acessar o Facebook do grupo).

Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos

25 fev 2014

O novo single da Nação Zumbi, sete anos depois

Por  @15:53

Após um longo período sem lançar discos (sete anos para ser mais exato), a Nação Zumbi volta a lançar um single inédito. “Cicatriz” é a primeira prévia do próximo álbum (autointitulado) do grupo, que tem previsão de lançamento para o mês de abril. Quem assina a produção é a dupla Berna Ceppas e Kassin. A masterização ficou a cargo de Daniel Carvalho.

E aí, valeu a espera?

25 fev 2014

Ouça “Megalomania”, música nova da Tulipa Ruiz

Por  @14:39

ruiz

Já é carnaval no reino animado de Tulipa Ruiz. Sua nova música, “Megalomania”, chega a tempo da festança nacional, com tempero de guitarras do norte e arranjos de carimbó com um quê de marchinha. Completam o caldo vários coros animados de Gustavo Ruiz, Caio Lopes, Márcio Arantes e Luiz Chagas.

Gravada no estúdio paulistano El Rocha e masterizada no Sterling Sound Studios, de Nova York, a faixa foi disponibilizada nesta tarde pela cantora. O download gratuito pode ser feito por aqui.

25 fev 2014

Hamilton Leithauser, do The Walkmen, anuncia estreia solo e lança o single “Alexandra”

Por  @14:08

hamilton

Walter Martin não é o único walkmen que resolveu partir pra carreira solo enquanto sua banda principal não volta à ativa. O vocalista Hamilton Leithauser também anunciou detalhes de sua estreia que levará seu nome na capa, além do nome do disco – no caso, Black Hours.

O primeiro single do debute é “Alexandra”, de sonoridade surpreendentemente otimista para quem sempre esteve à frente de composições mais densas e pesadas com o The Walkmen. Produzida por Rostam Batmanglij, do Vampire Weekend, a canção tem arranjos festivos e até algumas linhas de gaita – afinal, por que não? Abaixo, você assiste ao clipe da faixa.

Black Hours será lançado em 5 e 6 de maio e contará com 10 músicas em sua versão normal, acrescidas de outras quatro no pacote deluxe.