Pato Fu e a aula de como ser uma banda de abertura no Rock in Rio

O line-up do Rock in Rio costuma ser cruel. Mesmo bandas do mesmo estilo musical muitas vezes não tem fãs em comum. Mas o festival que nasceu carioca e virou global parece ter a tradição de sempre massacrar bons músicos que foram escolhidos para tocar para um público sem interesse de vê-los. Foi assim com o Kid Abelha e Erasmo Carlos em 1985, Lobão em 1991 e Carlinhos Brown em 2001.

A edição que começa nessa sexta-feira já tem alguns candidatos a vaia coletiva: NX Zero, no dia do Red Hot Chili Peppers, e Glória, no dia do Metallica. Mas será que é possível reverter o quadro numa situação como essa? O Pato Fu surpreendeu em 2001 e deu uma aula de como se fazer um show de abertura para um público que não estava lá para vê-los.

A banda mineira foi a primeira a tocar no dia que teve Guns and Roses, Oasis e Papa Roach, entre outros. Os fãs de Axl Rose chegaram cedo e, mesmo sendo a primeira banda a se apresentar, os patos contaram com o espaço completamente lotado.


De cara, a banda surpreendeu tocando “Capetão 66.6 FM”. Fernanda Takai, convocou a todos com a sutil frase “Vamo detonar essa porra!” com voz de demônio. Foi o suficiente pra ao menos chamar a atenção do público, que recebeu de braços abertos o hit de novela “Perdendo Dentes” na sequência.

A banda emendou com “O Filho Predileto de Rajneesh”, que tem um riff de guitarra potente que agradou aos headbangers. John convocou todos os cachaceiros pra cantar “Pinga” que, embora sua letra seja bobinha, tem uma temática atrativa o suficiente pra agradar os roqueiros.

Ao fim da quarta música, Fernanda Takai finalmente conversou com a plateia e demonstrou o quanto a banda estava nervosa. Mas naquele momento, o público já tinha topado assistir o show do Pato Fu enquanto o Guns não chegava. Fernanda, aliás, comentou que trabalharia na campanha de Axl Rose se ele se candidatasse. E mesma banda que começou o show com “Capetão”, tocou a singela e emocionante “Canção Pra Você Viver Mais”.


“Made in Japan” deve ter sido a primeira música em japonês tocada ao vivo no Rock in Rio. O Pato Fu tocou ainda um trecho de “Rotomusic de Liquidificapum”, da época em que o disco deles fazia parte do acervo de uma gravadora de heavy metal.

Invertendo o clima, tocaram “Antes que seja tarde”, de clipe bastante presente na MTV. O som do teremim deu um clima de terror em “Eu”, que na época ainda não havia sido gravada pela banda. “Sobre o tempo”, primeiro hit da banda (e fórmula da canção pop perfeita) também marcou presença.

Já no fim, Fernanda ousou pedir a todos que fossem pelo menos um pouco mais fofinhos. E tocou a fofa “Depois”. Na despedida, John perguntou se o público queria uma música calminha ou mais porrada. A banda encerrou com a neo-punk “Licitação”, e ainda houve espaço para um solo de “Enter Sandman”, do Metallica. Um detalhe interessante é que a vocalista levantou a mão sangrando ao final do show. Um corte se abriu enquanto ela tocava guitarra. Ela não parou e literalmente deu sangue pela apresentação.


A banda soube domar a multidão, sem precisar fazer concessões. Todas as músicas tocadas faziam parte do repertório do mineiros, mas um setlist bem elaborado e interações inteligentes com a plateia fizeram toda a diferença. As bandas de abertura deviam rever o show do Pato Fu no Rock in Rio de 2001 como se tivessem assistindo a uma aula. Carlinhos Brown estava no backstage e não aprendeu a lição. Foi o próximo a entrar em cena e também marcou seu nome na história do festival – mas de um jeito não muito legal.

O Pato Fu deixou o palco como um dos destaques do evento. Na reportagem da revista Time à época do evento, a banda recebeu uma atenção especial e, em outra ocasião, acabou sendo eleita pela mesma publicação como uma das 10 melhores bandas do mundo, ao lado de nomes como Radiohead, U2 e Portishead. Nada mal pra quem começou o ano como uma banda de abertura…

  • Mateus Paul

    Parabéns pelo texto!
    Muito boa lembrança, além de exaltar, em minha opinião, uma das bandas mais autênticas e sacadas do “Rock” (áspas, afinal eles não se encaixam em rótulo algum) brasileiro.

  • Muito boom =) visita meu blog láh

    http://gamesdownloadonlinegratis.blogspot.com/

    vlw

  • Eu estive lá! Hiper fa do Pato Fu e Oasis amei a apresentacao. Fernanda Takai ñ poderia ter atuado melhor.
    Show de bola pra MUITAS bandas. Mulherzinha é o caralho. haha 😉

  • Amo o repertório deles!

  • Pato fu é uma banda boa por demais, muito ampla e divesificada, muito mais fácil pra eles agradarem que para muitos outros dos citados

  • nossa…fiquei arrepiado aqui d ver eles cantando capetao presse monte de gente!! da hora d mais a matéria!!