Pitchfork elege os melhores álbuns da década – Radiohead, Arcade Fire e Daft Punk comandam

Com muito mais dignidade e bom senso do que quando formou a lista das melhores músicas da década, a Pitchfork soltou os 200 discos que, para seus jornalistas, estão entre os mais bem sucedidos dos últimos nove anos. Quem canta vitória no pódio é a trupe de Thom Yorke, que chegou em primeiro lugar com Kid A, de 2000. O Radiohead, inclusive, aparece mais duas vezes na lista: Com In Rainbows (2007) na 21ª posição e Amnesiac (2001) na 34ª, deixando apenas Hail To The Thief (2003, um dos meus preferidos) de lado – além, é claro, dos discos lançados pela banda antes dos anos 2000.

interpol

Turn On The Bright Lights, do nosso querido e amado Interpol, ficou em 20º lugar. Fair enough.

Em segundo e terceiro lugar temos, respectivamente, o Arcade Fire (com o clássico Funeral, de 2004) e, claro, o segundo disco do Daft Punk (Discovery, 2001). O Animal Collective, cotado por muitos como a banda da década, não aparece entre os dez primeiros, mas abocanhou o 14º lugar com seu mais recente (e mais divino) Merriweather Post Pavillion. Wilco e Jay-Z completam o Top 5, deixando Is This It, do Strokes, e Ágætis Byrjun, do Sigur Rós, para sétimo e oitavo colocados. A lista é extensa, mas vale dar uma olhada em toda ela, mesmo que seja rapidinho.

E aí, o que você achou dos primeiros colocados?

  • Eduardo Azeredo

    Ágætis Byrjun deveria ser o primeiro (embora haja divergências sobre sua data de lançamento, o que é irrelevante).

    Prefiro o In Rainbows a qualquer outro álbum do Radiohead dessa “década” (já que a década começa mesmo em 2001 e termina em 2010).

    Legal ver o Turn On The Bright Lights entre os 20 primeiros também. Acho “justo” (não escutei quase nada do que tá aí, quem sou pra falar algo com propriedade?).

    2008 pra eles deve ter sido uma merda musicalmente falando, Fleet Foxes em 33º e Saturdays = Youth do M83 só em 111º. Outra injustiça na minha opinião. Mas sou suspeito pra falar do Saturdays pois é o álbum que mudou a minha vida e me fez curtir sons experimentais, principalmente post-rock, mesmo esse não sendo um álbum de post-rock.

    Só achei uma bela inconsistência colocarem o “( )” entre os 200 melhores álbuns e deixarem a obra prima que é o “Takk…” de fora da lista, que pra mim é um álbum que fica a milímetros do grande Ágætis Byrjun. Mas aí é o fã xiíta de Sigur Rós falando….

    Enfim, listas são listas…

  • Plínio P.

    Animal Collective fora dos 10 primeiros, mas vale lembrar que o Noah Lennox (Panda Bear) é um dos rapazes do coletivo animal. Surpreendeu-me essa 9ª colocação, inclusive.

  • Muito boa a lista da Pitchfork, mas Ágætis Byrjun é de 99. E onde eles enfiaram Smile, do Brain Wilson? Uma grande gafe não ter aparecido nem entre os 200.

  • Kaiam

    Reclamacoes: NADA de The Killers nem de Muse. Tirando isso, ta otima a lista!

  • Killer!

    Muse é compreensivel, a Pitchfork nunca gostou deles, basta ver as notas que dão pros discos. Já a falta do Killers, eu também não entendi… e muito menos a de outras coisas óbvias como Death Cab For Cutie, Gnarls Barkley, Gorillaz, Santogold, Editors, e por aí vai…

    Mas no maior parte, concordo com a lista. Basta trocar os discos de posição, tirar uns lixos dai, e por coisas que faltam. Pelo menos o 1° lugar é mais do que certo, KID A FOR LIFE (L).

  • Pra mim a lista ficaria perfeita se trocassem o Discovery do Daft Punk pelo Ágætis Byrjun do Sigur Rós. E tirassem também os discos de hip-hop e afins, claro…

  • E eu também não gostei o Merriwheather Post Pavillion na lista não… Não sei que divindade este disco tem pelo jeito que o tratam. Falo mesmo.

  • Eduardo Azeredo

    Refletindo melhor, o Takk…. de fora é um ABSURDO. hahahah

    E ao Felipe, de fato o Ágætis foi lançado em 99 na Islândia. Mas o lançamento na Europa e nos EUA foi em 2000.

  • Eduardo Azeredo

    Enfim, como bem lembraram aí, deixar Muse e Editors de fora e colocar uns lixinhos tipo Art Brut é triste.

  • Eduardo Azeredo
  • Eduardo Azeredo

    Sorry pela série de comentários, mas revendo a lista mais duas coisas que eu não comentei – Before The Dawn Heals Us é melhor que o Dead Cities, Red Seas and Lost Ghosts do M83.

    E sinceramente, The Moon And Antartica do Modest Mouse é legal, mas o We Were Dead Even Before the Ship Was Sank é sensacional e nem aparece na lista. REVOLTANTE.

  • Anneliese

    nada mais justo do que o Turn On The Bright Lights entre os 20. É o álbum mais lindo que já ouvi.

  • Cara, essa notícia dos ingressos do AC/DC é simplesmente um EPIC FAIL ABSURDO! hahaha

    Bom é o mendigo falando que rock é coisa do capeta!

  • Mas realmente, AC/DC é meio do capeta hahahaahaha.