Por que a música popular moderna está ficando cada vez mais alta e repetitiva

Cientistas desocupados constataram que a música moderna está ficando cada vez mais e alta e mais repetitiva, após analisarem 464.411 canções lançadas entre 1955 e 2012. Três aspectos fundamentais foram levados em conta durante a pesquisa: altura, volume e timbre (cor, textura e tonalidade do som). Os resultados apontam para uma menor variedade no compasso acompanhada da homogeneização timbral, essa por sua vez elevada a um considerável aumento de volume, deixando a dinâmica potencialmente mais pobre.

Outro interessante detalhe revelado pelo experimento tem a ver com a atual popularização das canções cover. Levando em conta todos os dados anteriores, você não precisaria apresentar uma graaaande releitura de certa música mas sim atualizar os aspectos abordados para que o velho pareça novo. Coisa de gênio, não? Sendo assim, abaixem o volume.

Fontes: The Verge e Scientific American

  • Diego

    Legal!

    Mas acho que algumas coisas devem ser levadas em consideração sobre esse lance de homogeneização timbral e lógica de algo que ao meu ver não tem como se racionalizar:

    Cada gênero e estilo musical tem sua peculiaridade expressiva em termos de construção e estruturação e tal. Querer transformar isso em números ajuda tanto quanto querer dizer que a literatura de antigamente era melhor porque os termos eram mais rebuscados e a gramática mais oblíqua, já hoje em dia isso não é mais popular e logo perdeu a qualidade.

    Algo que há de se evidenciar é que a tecnologia facilitou o processo musical, o que leva a alguns encará-la como uma empilhadeira de ritmos e não como mais um instrumento a ser usado para produzir algo novo.

    É evidente que alguns gêneros populares mais recentes, tanto eletrônicos quanto acústicos comecem a saturar, pois a fórmula começa a ficar batida. Mas até aí, acho um processo natural.

    Isso cheira muito mais a saudosismo de outrora do que algo relevante de fato. A música sempre irá saturar e sempre haverão pessoas para recriar aquilo de uma maneira diferente.

    Ah, dizer que a música atual é barulhenta e repetitiva demais é meio querer lembrar só das partes boas: o rock e o rap sempre foram muito repetitivos e barulhentos nas suas vertentes mais populares e nem por isso deixaram de ser igualmente bons!

  • Mariano

    É a prova de uma lógica cultural que se baseia no atordoamento. As formas culturais cada vez mais toscas e brutais são sintoma de uma sociedade insensibilizada que precisa doses cada vez mais fortes e brutais para sentir. No caso da música, EM GERAL, sua primarização conduzida por analfabetos musicais armados com computadores reduzida a batidas elementais, a repetições imbecilizadoras e ao constante aumento do volume (lembrem as críticas a Stadium Arcadium, aí já se falava deste tema) é sintoma de uma sociedade barbarizada. Não há espaço para a nuance, tudo deve ser cada vez mais tosco.