Projeto de Lei prevê mudanças na concessão das carteirinhas de estudante e venda de meia-entrada

Dois momentos eram aguardados com ansiedade por todos que estavam na coletiva do Lollapalooza Brasil que vai acontecer em 2013, realizada há alguns meses. O primeiro deles era, obviamente, o line-up. Um vídeo todo bonitinho serviu para matar essa curiosidade. O segundo, nem tão glamuroso, era sobre o preço das entradas para o festival. Antes mesmo de falar qual seria o valor por dia, a organização começou a se explicar. É claro que isso sinalizava que dali viria uma bomba. Mas mesmo assim, o ponto levantado foi extremamente relevante.

Na primeira edição do festival, realizada este ano, o percentual de venda de meia-entrada foi de 87%. É claro que é de se esperar que aqueles que frequentam um evento desses sejam de fato jovens, mas 87% é um número absurdo. O efeito colateral disso é óbvio—e por isso a explicação veio antes do preço a ser revelado—e quem sofre é o próprio consumidor. Os preços cobrados para shows e festivais no Brasil sobem sem parar.

Na opinião de alguns, uma das soluções para que esse exagero na quantidade de meia-entrada deixe de acontecer é ter um controle maior sobre a venda das entradas para estudantes. A Comissão de Educação e Cultura aprovou um projeto de lei no Senado brasileiro com este objetivo. Caso o projeto 4571/08 seja aprovado, a concessão de meia-entrada passa a ter um limite, que será de 40%.

Outra consequência da aprovação do projeto de lei seria a unificação da emissão de carteiras de estudante. Elas passariam a ter um modelo único para o Brasil inteiro, confeccionadas pela Casa da Moeda do Brasil, e seriam emitidas apenas por entidades estudantis.

O resultado disso seria exatamente um controle maior sobre as carteiras. Apenas estudantes de verdade poderiam ter uma carteirinha. Sabe aquele esquema de comprar uma e até ganhar uns vales da Pizza Hut? Pois é, isso chegaria ao fim.

Algumas polêmicas podem ser levantadas com o projeto, principalmente a questão de um teto de venda de meia-entrada. Mas a discussão sobre controle de carteiras de estudante e venda de meia-entrada é algo que ainda está aquém do necessário no Brasil. Alguns fatos recentes mostram que o limite de preço a ser cobrado em festivais e shows está sendo alcançado, vide a baixa venda para as apresentações das divas pop Madonna e Lady Gaga. Enquanto isso não é discutido e resolvido com seriedade, os fãs de música continuam pagando o pato—e os ingressos caros.

  • Jose Rocha

    Na minha opinião – talvez radical – é a completa extinção de tais carteirinhas. Elas foram criadas em uma época que o simples fato de ir estudar, era complicado porque a passagem de ônibus era cara (ainda continua), porém hoje, jovem trabalha, jovem recebe mesada e de verdade, não precisa de meia entrada para nada. Com a extinção da carteirinha, os preços tendem a baixar e o valor de meia, se torna o oficial. Simples assim.

  • Nicole

    concordo, tem que extinguir mesmo. Isso porque sou estudante.
    sobre unificar as carteirinhas, acho que essa iniciativa já vem tarde, mas olha, tem que ser muito otimista para acreditar que isso será feito rapidamente.
    tá na hora de marmanjão de 30/40 anos, que nem está em pós parar de falsificar carteirinha tbm.

  • Monossilábica

    né?!