Queens of the Stone Age - Villains

Queens of the Stone Age
Villains

Matator Records

Lançamento: 25/08/2017

Quase todo artista sabe que um disco de sucesso pode levar a dois caminhos distintos: seguir a fórmula do trabalho aclamado para tentar mantê-lo, ou fazer algo completamente diferente, correndo o risco de soar pretensioso e acabar distanciando os fãs.

…Like Clockwork (2013), o sexto álbum de estúdio do Queens of the Stone Age, foi bem recebido pela crítica e pelos fãs, o que acabou levando muita gente a questionar o que Josh Homme e companhia fariam a seguir. Ao anunciar que estavam trabalhando com o produtor Mark Ronson – do hit “Uptown Funk”, com Bruno Mars e produtor de cantoras como Lady Gaga, Adele e Amy Winehouse -, muita gente torceu o nariz, mas o resultado é surpreendentemente positivo.

“The Way You Used To” (confira um pedacinho do videoclipe, exclusivo na Apple Music aqui) foi lançada como primeiro single e a batida dançante já mostrava a influência de Ronson. O disco inicia com “Feet Don’t Feel Me” onde Homme declara que nasceu no deserto em 17 de maio de 1973. É possível perceber que a banda estava muito mais aberta a novas experimentações, como mostram os sintetizadores da balada “Fortress” ou o violino ao final de “Domesticated Animals”. Para os fãs saudosistas, “The Evil Has Landed” apresenta os clássicos riffs robóticos hipnóticos dos tempos de Songs for the Deaf. “Villains of Circumstance” fecha o disco com guitarras cheias de eco e baixo galopante.


A banda conseguiu realizar com maestria a proeza de se reinventar sem perder sua essência no caminho, a batida dançante é mesclada com perfeição ao clássico stoner rock da banda. A voz grave de Homme também aparece com muito mais versatilidade, alcançando ótimos falsetes.

Alguns fãs mais tradicionais podem estranhar ou não gostar do disco, nesse caso, eles estão perdendo, Villains é exatamente o que o rock precisa, o tradicional peso das bandas dos anos 70 com a sensibilidade dançante dos anos 80 filtradas para o público do século XXI, e aqui Josh Homme mostra porque é um dos grandes arquitetos do rock das últimas duas décadas.

Confira o disco completo na Apple Music