Relembrando o passeio por ritmos latinos e influências tropicais do espanhol El Guincho

el guincho

Sempre fui atraída por sonoridades exóticas, que pudessem instantaneamente  levantar meu astral na medida em que meu corpo se move sem eu perceber. E confesso que faz muito tempo que não encontro nada parecido às musicas que o vocalista e compositor Pablo Díaz-Reixa faz. Pablo consegue combinar várias influências, indo da tropicalia ao krautrock, passando por ritmos afrocaribenhos que, de quebra, se unem ao ritmo de suas guitarras suingadas e batidas calientes.

El Guincho é o projeto musical de Pablo, que, fascinado pelos ritmos latinos, principalmente os de origem  brasileira, fez de seu terceiro e mais recente álbum uma seleção de sons e texturas inundadas por um clima caloroso e diversificado. O lançamento de Pop Negro repercutiu em  2010  e serviu para posicionar o espanhol como um dos nomes contemporâneos celebrados dentro da world music. Cruzando elementos da eletrônica com afrobeat, dub, pop, tropicalia e timbres “étnicos”, o produtor conseguiu alcançar um som conceitual e dançante na mesma medida.

Pablo Díaz-Reixa vem das Ilhas Canárias, arquipélago de propriedade espanhola na costa do noroeste da África.  Aos 14 anos, saiu de sua casa rumo à Europa continental, a fim de se dedicar a uma carreira no esporte – mas não deu certo. Então, mudou-se para Barcelona, onde começou a tocar em várias bandas, incluindo o grupo Coco, no qual tocava guitarra . Foi durante a turnê com o Coco, em 2006, que a ideia de criar o El Guincho surgiu. Pablo, então, pôde explorar mais seu estilo de som preferido, que unia a mistura da tropicalia ao ritmo calypso, juntamente com percussão e voz. Logo, El Guincho recebeu reconhecimento através de blogs, principalmente com o lançamento de seu segundo álbum, Alegranza, que rendeu performances nos famosos festivais americanos SXSW e Pitchfork Music Festival.

Pop Negro, o sucessor de Alegranza, foi gravado por etapas: um pouco em Berlim e em alguns locais ao redor da Espanha, com lançamento em setembro de 2010. O single que puxou o trabalho foi a incrível “Bombay”, cujo clipe uniu com criatividade, sexo e arte, violência e religião, com sabor vintage dos anos 70, carregado de erotismo, humor, inocência e provocação, com pitadas de fantasia,  realidade e liberdade.

Com isso, fica a pergunta: qual – e quando – será o próximo passo de El Guincho?

  • Caio Hidalgo

    Muito legal o texto! Som excelente!