Rock Rocket lança cover de Plato Divorak e fala sobre planos para 2011

Depois de 2 discos lançados com o mais puro rock n’ roll independente e alcóolico, o Rock Rocket passou 2009 e 2010 divulgando o EP Rocket Jane, lançando alguns clipes e fazendo shows por aí afora. Pra fechar o ano, Alan, Noel e Jun participaram de uma coletênea na qual vários grupos contribuiram com versões para músicas do músico gaúcho Plato Divorak. O Rock Rocket escolheu a crueza de “Dança do Exciter” não só para fazer parte do projeto, como também para integrar seu novo compacto, que sairá em 2011 e provavelmente terá 3 faixas. Sobre os planos para o próximo ano e otras cositas más, Alan, o baterista do grupo, falou um pouco com o Move. E ah, no final do post você pode escutar e baixar o cover do Rock Rocket para “Dança do Exciter”.

O último disco de inédita de vocês foi lançado em 2008. Conte pra gente o que aconteceu com a banda nesse tempo todo?
O último álbum cheio de inédita saiu em 2008, mas não paramos ali. No começo de 2009, com ajuda dos fãs reunimos material inédito para o bootleg Combo 2002-2009, uma coletânea virtual de raridades. Lá, botamos coisas como a primeira demo, pré-produção dos 2 discos, áudio de programa de TV, show acústico no SESI, músicas que não entraram nos discos, etc. Isso foi quando o Jun (baixista) entrou na banda. As gravações do SESI ja são com ele no baixo. Logo depois gravamos “Pérola da Noite”, “Rocket Jane” e “Malori Beach”, que no final de 2009 saíram em vinil de 7 polegadas e 45rpm, no compacto Rocket Jane. Em 2010 fizemos 2 clipes e saímos em tour divulgando esse trabalho, que já está esgotado. Foi o ano de conciliar a agenda de shows sempre intensa (do Parque Antártica ao Cervejazul na zona leste) com ensaios de pré-produção e gravação das músicas novas. Por enquanto temos 3 músicas já prontas (gravadas, mixadas e masterizadas) que sairão em um novo compacto. Fora isso, temos algumas prontas pra gravar (pretendemos fazer mais uma sessão de 3 ou 4 músicas ainda esse ano) e outras nas quais faltam ajuste final. Acabamos atrasando um pouco o processo, pois em 2010 perdemos 3 ou 4 meses devido a uma fratura de bebado: quebrei meu cotovelo. Agora que já está tudo certo estamos correndo atrás do tempo perdido e entraremos em 2011 com mais um lindo compacto em vinil e um clipe dirigido por mim, que está sendo finalizado.

Vocês já têm material suficiente pra um 3° disco em 2011 ou por enquanto só estão com planos para o novo compacto mesmo?
Sim, temos material suficiente! Vai ser naquele esquema “tudo ao mesmo tempo agora roquero independente brasileiro”, saca? Vamos fazer shows de divulgação do novo vinilzinho nos fins de semana e durante a semana vamos gravar as músicas pra um novo trabalho.

De onde surgiu a ideia de fazer o tributo ao Plato? Sairá em uma coletânea com várias outras bandas, certo?
Sim, a idéia inicial veio do Pedro Brandt, que escreve pro site do Senhor F. Vai ser uma coletânea com vários artistas tocando músicas do Plato, mas gostamos tanto que resolvemos lançar a nossa versão no lado A do novo compacto. A música escolhida foi “Dança do Exciter”, que é uma parceiria entre dois grandes músicos: Plato Divorak e Leonardo Bonfim, que apoiaram a idéia de lançarmos a nossa versão em vinil.

E a quantas anda seu projeto paralelo Os Pólvoras Negras? Se reuniu novamente com seus parceiros para gravar mais material?
Pólvora Negra na verdade é um longa metragem dirigido por Kapel Furman (que também dirigiu o Rock Rocket no clipe de “Doidão”). Ele me chamou pra gravar os temas inéditos pro filme. Depois de algumas reuniões decidimos seguir uma estética rústica, combinando com a textura do filme. Uma coisa bem estradeira de garagem, algo entre Ry Cooder, Cramps e a trilha de Dead Man por Neil Young. Montei então um estúdio analógico na sala com equipamentos emprestados e gravei ao vivo no rolo 1/4 de polegada 20 temas instrumentais com ajuda dos amigos. O disco será lançado em vinil, LP 12″. Ele já saiu da fábrica. Está pronto! Ele abre com a música “Soriano”, do Zefirina Bomba (nela, eu toco um saxofone), e fecha com “Shark Attack” do Rock Rocket. Entre essas 2 músicas muita coisa acontece, sendo a maioria dos temas gravados pelo trio Zé Mazzei (Forgotten Boys) no baixo acústico, Paulo Snoopy na bateria e eu na guitarra. Quando fomos nos apresentar ao vivo pela primeira – e, por enquanto, única vez – resolvemos adotar o nome Os Pólvoras Negras. Assim que esse disco sair pretendemos fazer alguns shows de lançamento e, quem sabe, gravar mais temas.

Os outros membros do Rock Rocket também tocam algum tipo de projeto enquanto não estão com a banda?
O Jun toca no Modulares, que é uma banda bem inspirada pelo Mod Revivel, aquelas bandas inglesas dos 80’s que faziam coisas inspiradas nos 60’s. Bem The Jam mesmo. Lembra o Laboratório SP, banda na qual ele tocava quando nos conhecemos, mas o Modulares soa mais agressivo ao meu ver. Já o Noel não tem nenhum projeto paralelo – o que por um lado faz um certo sentido, pois 90% das músicas do Rock Rocket são de autoria dele, então, imagino que por isso ele não tenha essa necessidade. Eu, fora os Pólvoras, gravo de vez em quando algo em casa com a minha mulher, meio despretenciosamente. Esses dias o Noel me ligou e disse “Tô ouvindo aqui suas músicas de maconheiro”. Boa definição. Segue o link.

Aperte o play e escute, com exclusividade junto ao Rock ‘n’ Beats e ao Senhor F, “Dança do Exciter”:

Curtiu? Então clique na setinha ali no player, embaixo de “Info” e baixe a faixa para o seu computador.